Implementação de ferramentas da qualidade para gestão de estoque em uma loja de conveniência

Autores

  • Rafael da Penha Tavares Gomes Nunes Centro Universitário Salesiano - UniSales
  • Marcos Wagner Jesus Servare Junior Centro Universitário Salesiano - UniSales http://orcid.org/0000-0002-4531-9934
  • Thiara Cezana Gomes Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil https://orcid.org/0000-0002-6279-4008

DOI:

https://doi.org/10.47456/bjpe.v8i2.37171

Palavras-chave:

Controle de Estoque, Ferramentas da Qualidade, Lojas de Conveniência

Resumo

Controlar o estoque de forma adequada é uma das formas de obter sucesso em qualquer ramo de atividade, contudo, é possível perceber que muitas empresas ainda são insuficientes nessa área, trazendo um impacto negativo no seu fluxo de caixa e materiais. Sabe-se que o mercado de micros e pequenas empresas é responsável por movimentar grande parte da economia do país, e por essa razão, o estudo justifica-se pela necessidade de enfatizar processos que por muitas vezes parecem ser irrelevantes neste mercado, como o controle do fluxo logístico em uma loja de conveniência. A empresa escolhida é uma empresa do ramo de comércio varejista de mercadorias localizada no estado do Espírito Santo, no município de Vila Velha. Com aproximadamente 2 anos de mercado, a loja de conveniência trabalha com venda e salgados, bebidas, cigarros e outros produtos. Nesse sentido, utilizando ferramentas de controle e gestão, é possível melhorar o processo de entrada e saída de mercadorias da loja de conveniência retratada, bem como o fluxo financeiro e previsão de demanda. Para alcançar o objetivo deste trabalho, foram utilizadas as ferramentas Curva ABC, Diagrama de Ishikawa, 5S e 5W2H.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael da Penha Tavares Gomes Nunes, Centro Universitário Salesiano - UniSales

Graduando em Engenharia de Produção

Marcos Wagner Jesus Servare Junior, Centro Universitário Salesiano - UniSales

Engenheiro de Produção e mestre em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Espírito Santo. Atualmente cursa o Doutorado em Engenharia Elétrica na mesma Universidade com período sanduíche na Hautes Études Commerciales de Montréal. Atua como Docente e Coordenador do curso de Engenharia de Produção na UniSales (Centro Universitário Salesiano) de Vitória/ES.

Thiara Cezana Gomes, Universidade Federal do Espírito Santo, UFES, Brasil

Doutoranda em Engenharia Ambiental (Área de concentração: Recursos Hídricos)/ Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Mestra em Engenharia Civil (Área de concentração: Transportes)/ UFES. Especialista em Engenharia de de Segurança do Trabalho/ UFES e em Engenharia de Suprimentos/ PROMINP-UFES. Graduada em Engenheira de Produção/ UFES. Pesquisadora de modelos matemáticos aplicados a área de recursos hídricos, localização de facilidades, logística reversa e planejamento de operações portuárias. Atualmente trabalha com o emprego de maneira combinada de técnicas de otimização, modelo de qualidade de água, dimensionamento hidráulico e problemas de localização de facilidades para o planejamento integrado de sistemas regionais de tratamento de efluentes com foco na avaliação sistêmica da bacia hidrográfica. Possui experiência no manuseio de softwares de simulação e otimização: IBM ILOG CPLEX, LINDO Systems, Excel Solver, Arena Rockwell Software.

Referências

Ajala, R. S. & Giordani, R., de. (2018). Proposta de gestão de estoques para atacado: um estudo de caso. Revista Latino-Americana de Inovação e Engenharia de Produção - RELAINEP, 6(9), 40-60. http://dx.doi.org/10.5380/relainep.v6i9

Arnold, J. R. T. (1999). Administração de materiais: uma introdução. Atlas.

Cabral, A. C. S., Zeitouni, M. M. S., & Souza, M. A. de. (2017). Análise da aplicação de ferramentas básicas da qualidade em uma empresa distribuidora de medicamentos. In: XXXVII Encontro Nacional De Engenharia De Produção - ABEPRO, 37, Joinville, SC. Anais. Recuperado de http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_STO_239_389_33090.pdf

Campos, V. F. (2004). Controle da Qualidade Total no estilo japonês. 8ª edição. INDG Tecnologia e Serviço, Nova Lima, MG, Brasil.

Carvalho, A. R (2017). Método Monte Carlo e suas aplicações. Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional, Boa Vista, RR. PROFMAT: 2017. Recuperado de http://repositorio.ufrr.br:8080/jspui/bitstream/prefix/388/1/M%C3%A9todo%20Monte%20Carlo%20e%20suas%20aplica%C3%A7%C3%B5es...%20Carvalho.pdf

Carvalho, M. & Paladini, E. (2013). Gestão da qualidade: teoria e casos. Elsevier Brasil.

Fernandes, F. C. F. & Godinho, M., Filho. (2010). Planejamento e controle da produção: dos fundamentos ao essencial. São Paulo: Atlas, 2010.

Freitas, R. P. (2008). Controle de Estoque de Peças de Reposição: Revisão da Literatura e um Estudo de Caso. Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Engenharia Industrial, Rio de Janeiro. Recuperado de https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/12396/12396_1.PDF

Giacomin, C., Gomes, T. C., & Servare Junior, M. W. J. (2021). Controle de estoques como diferencial estratégico: uma análise bibliométrica por meio do PROKNOW-C. Brazilian Journal of Production Engineering-BJPE, 41-55.

Gomes, A. C. N., Ferreira, A. R. D. S. V., Borges, F. H., & da Silva, E. B. (2018). A aplicação das ferramentas da qualidade na criação de Procedimentos Operacionais Padronizados em dois restaurantes de meios de hospedagem no Rio de Janeiro. Exacta, 16(2), 95-106. https://doi.org/10.5585/exactaep.v16n2.7066

Guerra, O. & Teixeira F. (2010). A sobrevivência das pequenas empresas no desenvolvimento capitalista. Revista de Economia Política, 30(1), 124-139. https://doi.org/10.1590/S0101-31572010000100008

Ishikawa, K. (1986). TQC-Total Quality Control: estratégia e administração da qualidade. IMC Internacional Sistemas Educativos.

Lins, B. F. (1993). Ferramentas básicas da qualidade. Ciência da Informação, 22(2), 153-161. https://doi.org/10.18225/ci.inf..v22i2.502

Lucas, G. A., Ferreira, L. G. M., Ribeiro, A., & Gontijo, F. B. de. (2018). Gestão de estoque: eficácia do uso das ferramentas 5s e diagrama de Ishikawa. In: XXXVIII Encontro Nacional De Engenharia De Produção - ABEPRO, 38, Maceió, AL. Anais. Recuperado de http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_STO_259_488_36357.pdf

Piran, A., Azzolini, J. C., & Vanin, A. B. (2020). Proposta para melhoria na gestão de estoque em uma empresa que atua no setor de distribuição de alimentos do meio oeste catarinense. In: XL Encontro Nacional De Engenharia De Produção - ABEPRO, 40,, Plataforma Online. Anais. Recuperado de http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_STO_351_1804_41175.pdf

Possale, S. & Callefi, J. S. (2020). Implementação e continuidade do Ciclo PDCA: Um estudo de caso no setor metal mecânico. Gepros: Gestão da Produção, Operações e Sistemas, 15(3), 155.

Rebello, M. A. D. F. R. (2005). Implantação do Programa 5S para a conquista de um ambiente de qualidade na biblioteca do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, 3(2), 165-182.

Reis, M. F., Litter, B. S. S., Santos, M., Lima, A. R., & Paixão, A. C., de. (2019). Proposta de melhorias no controle de estoque utilizando a ferramenta masp em uma fábrica de descartáveis. In: XXXIX Encontro Nacional De Engenharia De Produção - ABEPRO, 39, 2019, Santos, SP. Anais. Recuperado de http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_STO_293_1659_36874.pdf

Santos, B. T. & Lubiana, C. (2017). O uso da curva ABC para a tomada de decisão na composição de estoque. Inter-American Journal of Development and Research, 1(1), 62-78.

Silva, F. H. L., Oliveira, M. M., Lima, R. A. A., Rodrigues, L. M. S., & Assis, L. F. de. (2016). Estudo sobre métodos de previsão de demanda em uma indústria de laticínios da cidade de Sousa - PB. In: XXXVI Encontro Nacional De Engenharia De Produção - ABEPRO, 36, 2016, João Pessoa, PB. Anais. Recuperado de http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_STP_226_319_30207.pdf

Silva, J. M. D. (1996). O ambiente da qualidade na prática–5S. Belo Horizonte: Fundação Christiano Ottoni, 26.

Sinpospetro Campinas. (2018). Lojas de Conveniência: Setor fatura R$7,2 bilhões por ano. Recuperado de http://www.sinpospetrocampinas.com.br/lojas-de-conveniencia-setor-fatura-r-72-bilhoes-por-ano/

Slack, N.; Chambers, S.; Johnston, R. (2009). Administração da produção. São Paulo: Atlas.

Trainotti, M. (2007). Aplicação da Metodologia 5S, visando a Melhoria do Processo Organizacional em uma Fundação de Direito Privado: um estudo de caso. 119 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia).

Werkema, M. C. C. (1995). As ferramentas da qualidade no gerenciamento de processos 1. ed. Belo Horizonte: Sografe.

Publicado

08.02.2022

Como Citar

Nunes, R. da P. T. G., Servare Junior, M. W. J., & Gomes, T. C. . (2022). Implementação de ferramentas da qualidade para gestão de estoque em uma loja de conveniência. Brazilian Journal of Production Engineering, 8(2), 62–78. https://doi.org/10.47456/bjpe.v8i2.37171

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>