Estratégias narrativas em O karaíba, de Daniel Munduruku: recusa da perspectiva histórica genocida

Autores

  • Suene Honorato Universidade Federal do Ceará – UFC

DOI:

https://doi.org/10.47456/contexto.v%25vi%25i.30165

Resumo

RESUMO: O romance O karaíba, de Daniel Munduruku, é composto a partir de estratégias
consagradas na tradição narrativa ocidental. No entanto, a adequação a tais estratégias
impõe certos limites, essenciais para a compreensão dos sentidos do texto. De um lado, a
adequação permite que o romance indígena – em que se supõe uma dinâmica entre
sociedades dissimilares (a ocidental, centrada na escrita; a indígena, centrada na oralidade) –
suspenda a radicalidade da diferença; de outro, a recusa a certas convenções narrativas
constrói novas formas de narrar, que poupam os personagens de um destino trágico e opõemse à perspectiva histórica genocida.


PALAVRAS-CHAVE: Literatura indígena. Daniel Munduruku. Genocídio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-10-27