A Guerra do Paraguai à luz dos romances Santo Reis da Luz Divina e Río Escarlata

Autores

  • Adenilson Barros de Albuquerque Instituto Federal do Paraná - IFPR
  • Jorge Antonio Berndt Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
  • Thiana Nunes Cella Instituto Federal do Paraná - IFPR

Resumo

RESUMO: A Guerra do Paraguai (1864-1870), também conhecida como Guerra da Tríplice Aliança, tem na literatura híbrida de história e ficção um espaço de resistência contra o esquecimento e de ressignificações muitas vezes críticas e interpelativas. Trata-se, neste artigo, de parte do percurso da historiografia sobre a Guerra do Paraguai, abordando seus principais aspectos e episódios relevantes como subsídios à compreensão e comparação dos romances históricos Río Escarlata (2016), da paraguaia María Eugenia Garay, e Santo Reis da Luz Divina (2004), do brasileiro Marco Aurélio Cremasco. Por perspectivas distintas — nacionalista e crítica desconstrucionista, respectivamente —, são obras que reelaboram o tema da Guerra do Paraguai e oferecem possibilidades interpretativas atualizadas. Objetiva-se, dessa forma, demonstrar como essas narrativas são capazes de ressignificar um momento marcante da história da América Latina e induzir à reflexão sobre o humano, a sociedade a que pertence e o percurso do tempo.


PALAVRAS-CHAVE: Ficção. Guerra do Paraguai. História. Romance histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-20