Retrato Oficial: manipulação e materialidade da imagem fotográfica

Autores

  • Rafael Pagatini DAV-UFES

DOI:

https://doi.org/10.47456/rf.v2i18.18672

Resumo

O presente artigo discute o processo de criação da produção artística Retrato Oficial. O trabalho apresenta o detalhe das bocas dos presidentes militares (1964-1985) impressas sobre pregos de aço cravados na parede do espaço expositivo. O artigo analisa o uso da imagem oficial do governo militar como matéria para a criação artística. Investiga os retratos dos presidentes brasileiros para identificar a constituição do pensamento em torno da imagem, a fim de promover a desconstrução da ideia de oficialidade das fotografias dos chefes de estado no período. Dessa forma, busca refletir sobre os usos da imagem para a reconstrução de narrativas históricas e os conflitos existentes no processo de representação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Pagatini, DAV-UFES

É mestre em Artes Visuais pela UFRGS e doutorando no PPGArtes, da Unicamp. É artista visual, pesquisador e professor do Departamento de Artes Visuais da Ufes. Trabalha principalmente com procedimentos associados a gravura, a fotografia e a instalação. Sua produção recente se caracteriza pela crítica da sociedade contemporânea, através da investigação das relações entre a arte, a memória e o política. Realizou exposições individuais e coletivas, tais como Fissuras, Paço das Artes, 2016; Conversas com a Paisagem, João Pessoa, PB, 2014; Rumos Itaú Cultural, 2013; Em Suspensão, Santander Cultural, 2012; Possui obras em coleções públicas e privadas. Recebeu o Prêmio Energisa Artes Visuais, Bolsa Estímulo a Produção em Artes Visuais, FUNARTE, Bolsa Iberê Camargo - Ateliê de gravura e V Prêmio Açorianos de Artes Plásticas.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

Pagatini, R. (2017). Retrato Oficial: manipulação e materialidade da imagem fotográfica. Revista Farol, 13(18), 73–80. https://doi.org/10.47456/rf.v2i18.18672

Edição

Seção

Seção Temática