Os usos de aplicativos de mensagens instantâneas e grupos de redes sociais no cotidiano dos entregadores de plataforma: como jogar as regras do jogo e a produção de identidades coletivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/geo.v2i35.39206

Palavras-chave:

mercados de trabalho, Solidariedades empreendedoras, trabalho por plataforma

Resumo

Este artigo, resultado parcial de pesquisa de mestrado em andamento, aborda as dinâmicas e interações estabelecidas entre entregadores de plataformas de trabalho por meio de grupos em aplicativos de mensagens instantâneas e páginas em redes sociais. Primeiro, apresenta-se o descompasso entre as representações feitas pelas empresas-plataforma acerca dos trabalhadores e as formas como eles próprios enxergam-se e entendem o seu trabalho. Em seguida, discute-se os usos dos aplicativos de mensagens instantâneas, atentando para os principais padrões de interação dos trabalhadores em ambientes digitais com o objetivo de mostrar que há racionalidades ambíguas que orientam as formulações deles acerca do seu trabalho. Além disso, que esses espaços têm papel decisivo na formação de identidades coletivas pautadas na valorização do trabalho e do sacrifício ligado a ele. A metodologia utilizada baseou-se na análise de materiais extraídos de páginas de redes sociais e sites institucionais das empresas Rappi e iFood no Brasil de um lado. E, de outro, na realização de pesquisa empírica digital de inspiração etnográfica, junto a grupos de entregadores nos aplicativos WhatsApp e Telegram e páginas de entregadores no Facebook.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Scerb, Universidade de São Paulo - USP

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da FFLCH-USP. Atualmente atua como facilitador de aprendizagem no quadro do Programa de Cooperação de Formação Didático-Pedagógica USP/UNIVESP para alunos de pós-graduação da USP. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2018) e graduação em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2017).

Referências

ABÍLIO, Ludmila. Uberização: Do empreendedorismo para o autogerenciamento subordinado. Revista Psicoperspectivas, v.18, n.3, 2019.

ALIANÇA BIKE. Pesquisa de Perfil de Entregadores Ciclistas de Aplicativo. São Paulo: Aliança Bike, jul. 2019.

CASILLI, Antonio; POSADA, Julian. The Platformization of Labor and Society. Mark Graham & William H. Dutton. Society and the Internet. How Networks of Information and Communication are Changing Our Lives (second edition), Oxford University Press, p. 293-306, 2019.

FAIRWORK. Fairwork Brazil Ratings 2021: Towards Decent Work in the Platform Economy. Porto Alegre, Brazil; Oxford, United Kingdom, Berlin, Germany, 2022.

GROHMANN, Rafael; PEREIRA, Gabriel; GUERRA, Ana; ABÍLIO, Ludmila; MORESCHI, Bruno; JURNO, Amanda. Platform scams: Brazilian workers’ experiences of dishonest and uncertain algorithmic management. New Media & Society, p. 1611-1631, 2022.

GROHMANN, Rafael. Plataformização do trabalho: entre a dataficação, a financeirização e a racionalidade neoliberal. Revista Eptic, v. 22, n.1, 2020.

GAGO, Veronica. A razão neoliberal: economias barrocas e pragmática popular. São Paulo:

Elefante, 2018. 372 p.

HINE, Christine, PARREIRAS, Carolina, & LINS, Beatriz Accioly. A internet 3E: uma internet incorporada, corporificada e cotidiana. Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 29(2), 2020.

MACHADO, Leandro. Dormir na rua e pedalar 12 horas por dia: A rotina dos entregadores por aplicativo. BBC News Brasil, São Paulo, 2019.

MILLER, Daniel; SLATER, Don. Etnografia on e off-line: cybercafés em Trinidad.

Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 10, n. 21, p. 41-65, jan./jun. 2004.

SCHOLZ, Trebor. Uberworked And Underpaid: How workers are disrupting the digital economy. Cambridge, UK; Maldenm MA: Polity Press, 2016.

SLEE, Tom. Uberização: a nova onda do trabalho precarizado. São Paulo: Elefante, 2017.

SORIANO, Cheryll Ruth R; CABAÑES, Jason Vincent A. Entrepreneurial Solidarities: Social Media Collectives and Filipino Digital Platform Workers. Social Media + Society. April 2020.

SRNICEK, Nick. Platform capitalism. Cambridge: Polity, 2017.

Downloads

Publicado

01-12-2022

Como Citar

ANDRÉ SCERB. Os usos de aplicativos de mensagens instantâneas e grupos de redes sociais no cotidiano dos entregadores de plataforma: como jogar as regras do jogo e a produção de identidades coletivas. Geografares, Vitória, Brasil, v. 2, n. 35, p. 195–224, 2022. DOI: 10.47456/geo.v2i35.39206. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/39206. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Territórios urbanos e estratégias do neoliberalismo