AMBIGUIDADE COMO RECURSO DA PUBLICIDADE: ANÁLISE DE PROPAGANDAS DAS HAVAIANAS

Autores

Resumo

Neste artigo, busca-se analisar o uso das ambiguidades em anúncios das sandálias Havaianas, veiculados no site Havaianas-Site Oficial. Assume-se o ponto de vista teórico de Mari (1991), para quem a ambiguidade aponta para uma duplicidade referencial. A escolha da marca Havaianas levou em consideração o emprego criativo das ambiguidades. Parte-se da hipótese de que a ambiguidade é um recurso produtivo da linguagem e não um desvio a ser evitado por comprometer a recepção dos anúncios. Quando associada ao uso de clichês, as ambiguidades tornam mais fáceis a recepção dos anúncios, por trabalhar com um sentido que já está legitimado pelo uso coletivo. A fim de adentrar o discurso publicitário e compreender a produção de sentido ali presente, os seguintes autores serão abordados: Rabelo (1987), Sandmann (2001) e Carrascoza (2002).  Levaram-se em conta, ainda, os estudos de Casaqui (2007) sobre a marca Havaianas.  As ambiguidades inseriram o texto no contexto histórico da sua produção, aproximando o texto do leitor. Essa identidade trouxe leveza, soltura, humor e graciosidade às propagandas analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Barreto Fonseca, UFES

Graduada em Letras pela Ufes. Com pós graduação lato sensu em Estudos Linguísticos e Mestrado em Linguística também pela Ufes. Professora das Prefeituras de Vitória e Vila Velha.

Downloads

Publicado

2014-12-03

Como Citar

FONSECA, R. B. AMBIGUIDADE COMO RECURSO DA PUBLICIDADE: ANÁLISE DE PROPAGANDAS DAS HAVAIANAS. PERcursos Linguísticos, [S. l.], v. 4, n. 9, p. 64–81, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/8601. Acesso em: 8 dez. 2021.