Pedagogias do gênero e o lugar das performatividades no espaço escolar

Perspectivas curriculares

Autores

  • Edimauro M. C. Ramos Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT)

Palavras-chave:

Performatividades. Pedagogias do gênero. Currículo. Escola.

Resumo

Como agem as pedagogias do gênero na escola e como elas tendem a governar ou deslegitimar as performatividades de gênero que escapam dos ditames? É possível subverter esse cotidiano de indiferenças? Tendo como força motriz esses questionamentos, o presente artigo, redigido sob a revisão bibliográfica pertinente, pretende refletir sobre os lugares das performatividades e suas dissidências no espaço da escola e no aparato curricular, bem como, sobre as pedagogias do gênero exercidas em torno dessas identidades destoantes. Por meio deste recorte, constata-se que o currículo e a escola, alinhados às perspectivas pluralistas, podem e devem oportunizar e potencializar os debates sobre as diferenças em seus espaços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edimauro M. C. Ramos, Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT)

Pedagogo e pesquisador graduado pelas Faculdades Integradas de Itararé-SP (FAFIT). Professor de Educação Básica em Itapeva/SP.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; RODRIGUES, Tatiane Cosentino; CRUZ, Ana Cristina Juvenal. A diferença e a diversidade na educação. Contemporânea – Revista de Sociologia da UFSCar, São Carlos, v.1, n. 2, p. 85-97, jul./dez. 2011. Disponível em: http://www.contemporanea.ufscar.br/index.php/contemporanea/article/view/38. Acesso em: 10 fev. 2020.

APPLE, Michael W. Ideologia e Currículo. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Revista Estudos Feministas, v. 19, n. 2, p. 549-559, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2011000200016&script=sci_arttext. Acesso em: 10 fev. 2020.

_______________. Transexuais, corpos e próteses. Labrys: estudos feministas, n. 4, ago./dez. 2003. Disponível em <http://www.unb.br/ih/his/gefem/labrys4/textos/ berenice1.htm>. Acesso em 10 fev. 2020.

BRAGA, Mariana. Debater sexualidade e gênero em sala de aula é um direito constitucional. In: RIBEIRO, M. (Org.) A conversa sobre gênero na escola: aspectos conceituais e político-pedagógicos. Rio de Janeiro, Wak Editora, 2019.

BUTLER, Judith. Performatividad, precariedad y políticas sexuales. Revista de Antropología Iberoamericana, Madrid, v. 4, n. 3, sep./dec. 2009, p. 321-336. Disponível em: < http:// www.redalyc.org/articulo.oa?id=62312914003>. Acesso em: 03 mar. 2020.

________________. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. de Renato Aguiar. 15. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

CAETANO, Márcio. Performatividades reguladas: heteronormatividade, narrativas biográficas e educação. Curitiba: Editora Appris, 2016.

COLLING, Leandro. Gênero e sexualidade na atualidade, Instituto de Humanidades, Artes e Ciências; Superintendência de Educação a Distância, Salvador: UFBA, 2018.

DINIS, Nilson Fernandes. Educação, relações de gênero e diversidade sexual. Educação & Sociedade, v. 29, n. 103, p. 477-492, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v29n103/09. Acesso em: 05 abr. 2020.

FRIEDERICHS, Marta. Educação para a igualdade e respeito à diversidade. In: SILVEIRA, Catharina et al. (orgs.) Educação em gênero e diversidade. 2ª. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018.

GIROUX, H; McLAREN, P. Por uma pedagogia crítica da representação. In: SILVA, T. T.; MOREIRA, A F. (org.). Territórios contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais. Petrópolis: Vozes, 1995.

___________; SIMON, Roger. Cultura popular e pedagogia crítica: a vida cotidiana como base para o conhecimento curricular. In: MOREIRA, Antônio Flávio; SILVA, Tomaz Tadeu da (orgs.) Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez 2009.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Heterossexismo e vigilância de gênero no cotidiano escolar: a Pedagogia do Armário. In: SILVA, Fabiane Ferreira da (Org.). Corpos, gêneros, sexualidades e relações étnico-raciais na educação. Uruguaiana: Unipampa, 2011.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 16ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

______________________. Pedagogias da Sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

______________________. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MISKOLCI, Richard. 2012. Teoria queer: aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica.

_________________. A Teoria Queer e a Sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias, Porto Alegre, n. 21, p. 150-182, jan./jul. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S151745222009000100008&script=sci_arttext&tlng=pt.

_________________. Um corpo estranho na sala de aula. In: SILVÉRIO, Valter Roberto; ABRAMOWICZ, Anete. (Orgs.) Afirmando diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade na escola. Papirus Editora, 2005.

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Currículo, conhecimento e cultura. In: BRASIL. Ministério da Educação e Secretaria de Educação Básica. Documento Indagações sobre Currículo [cadernos temáticos], 2007. Disponível em: http://eutonopactoalvorada.pbworks.com/w/file/fetch/68064746/Texto%20curr%C3%ADculo%20Antonio%20Moreira.doc. Acesso em: 01 jun. 2020.

PAMPLONA, Renata Silva et al. Pedagogias de gênero em narrativas sobre transmasculinidades. Dissertação de Doutorado. 2017. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9492. Acesso em: 19 abr. 2020.

PARAÍSO, M. A. A ciranda do currículo com gênero, poder e resistência. Currículo sem fronteiras, v. 16, n. 3, p. 388-415, 2016. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol16iss3articles/paraiso.pdf. Acesso em: 15 abr. 2020.

________________. Fazer do caos uma estrela dançarina no currículo: invenção política com gênero e sexualidade em tempos do slogan “ideologia de gênero”. In: PARAÍSO, Marlucy Alves; DA SILVA CALDEIRA, Maria Carolina (Ed.). Pesquisas sobre currículos, gêneros e sexualidades. Mazza Edições, 2018.

ROSA, Rogério Machado et al. Corpos híbridos na docência: experiências, narrativas de si e (des) construção das masculinidades no magistério. Dissertação de mestrado. 2009. Disponível em: http://tede.udesc.br/handle/tede/2517. Acesso em: 28 mai. 2020.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e realidade. Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 5-22, jul./dez. 1990. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71721/40667. Acesso em: 05 fev. 2020.

SEFFNER, Fernando. Equívocos e Armadilhas na Articulação entre Diversidade Sexual e Políticas de Inclusão Escolar. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (org.). Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009.

SILVA, Tomaz Tadeu. A produção social da identidade e da diferença. In: TADEU DA SILVA, Tomaz (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis, Vozes, 2007.

___________________. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

___________________. Identidades terminais: as transformações na Política da Pedagogia e na Pedagogia da Política. Petrópolis: Vozes, 1996.

___________________. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

SILVÉRIO, Valter Roberto; ABRAMOWICZ, Anete. (Orgs.) Afirmando diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade na escola. Papirus Editora, 2005.

WARNER, Michael (Ed.). Fear of a queer planet. Minneapolis: University of Minnesota, 1993.

Downloads

Publicado

2020-07-29 — Atualizado em 2020-07-31

Versões

Edição

Seção

Dossiê