Os africanos presentes na lista nominal da população de Itapemirim em 1833

Autores

  • Laryssa da Silva Machado

Palavras-chave:

Escravidão em Itapemirim, Africanos em Itapemirim, História de Itapemirim, História do Espírito Santo, Escravidão no Espírito Santo

Resumo

O presente artigo pretende analisar a Lista Nominal da População de Itapemirim em 1833, documento que apresenta os 2.937 habitantes que se dividiam em 303 fogos. Dentre esse número, 1.596 almas eram cativas, a maioria de africanos. As lavouras de cana-de-açúcar instaladas em Itapemirim, a partir do século XVIII, fez com que grande quantidade de escravos chegasse à região. Nos fins dos Setecentos e início dos Oitocentos, fazendeiros mineiros, fluminenses e paulistas migraram para o vale do rio Itapemirim e consigo trouxeram seus cativos, adquirindo outros conforme o cultivo da cana e produção de açúcar fossem bem sucedidos. Por conta disso, Itapemirim se tornou importante região de desembarque de africanos, o que pode ser demonstrado pelos números populacionais. Assim, a Lista Nominal de 1833 revela o número elevado de escravos que havia na região, muitos deles africanos, e descreve seus nomes, cor, idade, estado civil, profissão e nacionalidade. Dos senhores, também descreve as posses, e acaba por revelar detalhes e aspectos do cotidiano dessa sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

Machado, L. da S. . (2018). Os africanos presentes na lista nominal da população de Itapemirim em 1833. Revista Do Arquivo Público Do Estado Do Espírito Santo, 2(3), 23–39. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/revapees/article/view/32247

Edição

Seção

Dossiê: Africanidades transatlânticas