Carnaval de congo e máscaras: mãos que tocam, trabalham e constroem redes de poder

Autores

  • José Elias Rosa dos Santos

Palavras-chave:

Ritual, Bandas de congo, Festas, Máscaras

Resumo

Situada em uma região rural de Cariacica/ES a pequena localidade de Roda d’Água é palco para uma festa, ao mesmo tempo, religiosa e profana. Trata-se do Carnaval de Congo e Máscaras. De vida secular, esta festa está inserida em uma complexa rede de relações sociais. Esta rede promoveu diversas e profundas transformações nesta festa, que é construída, desconstruída e reconstruída incessantemente. Este artigo visa compreender esse processo de permanente reinvenção dessa tradição, aqui analisada como um ritual bom para viver e bom para compreender, ritual esse que se constitui como um instrumento de produção de sentidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

Santos, J. E. R. dos . (2018). Carnaval de congo e máscaras: mãos que tocam, trabalham e constroem redes de poder. Revista Do Arquivo Público Do Estado Do Espírito Santo, 2(3), 83–97. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/revapees/article/view/32256

Edição

Seção

Dossiê: Africanidades transatlânticas