O corpo do tempo: ética, política e o caráter performático do tempo histórico na história da história do Brasil de José Honório Rodrigues

Autores

  • Andre de Lemos Freixo

Resumo

Propõe-se a seguir uma análise da história da história do Brasil de José Honório Rodrigues (1913-1987), com particular ênfase sobre sua concepção de tempo, historiografia e história a partir da periodização construída pelo autor. O objetivo fundamental aqui é estimular o tratamento de problemas ético-políticos no interior de uma análise historiográfica teoricamente orientada. Uma periodização é uma performance do tempo cujas implicações éticas e políticas precisam ficar claras. Para Rodrigues, justificar uma fenda no “corpo do tempo” significava compreender historicamente: instaurar o tempo e o espaço do novo, do revolucionário, era parte de uma reconfiguração dos termos que definiriam a consciência histórica contemporânea. Sua história da história performaticamente engendrava uma postura de modificação de valores associados ao modo particular de pensar e escrever história no Brasil à sua época, bem como na experiência do tempo e no modo de produzir sentido para a história: eis a dimensão ética que destacarei. Do mesmo modo, almejava que a historiografia instrumentalizasse a nova consciência dos problemas nacionais e mobilizasse as ações em prol de mudanças para os rumos da História do Brasil, o que configura a dimensão política que se analisará aqui.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

FREIXO, A. de L. O corpo do tempo: ética, política e o caráter performático do tempo histórico na história da história do Brasil de José Honório Rodrigues. Revista Ágora, [S. l.], n. 21, p. 145–176, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/11251. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História Intelectual, Ética e Política