A estrutura ética da linguagem como saída da ontologia totalizante em Emmanuel Lévinas

Autores

  • Antonio Danilo Feitosa Bastos
  • João Santos Cardoso

Resumo

O presente artigo abordará a relação entre ética e linguagem na filosofia da alteridade de Emmanuel Lévinas. Partindo da consulta de suas principais obras filosóficas, faz-se uma leitura sobre a problemática da linguagem no campo da filosofia contemporânea. Lévinas decepciona-se com a filosofia totalizante do ocidente, a qual ele julgava justificar a violência para com o diferente. Em contraposição, ele desenvolve seu pensamento por entre objeções àquela filosofia, permitindo refletir sobre a estrutura ética da linguagem que, segundo o filosofo, dá-se na relação do “eu” com “outrem”. A intercomunicação acontece primeiro e significativamente de forma “não-verbal” e é saída confiável da racionalidade não instrumentalizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

BASTOS, A. D. F.; CARDOSO, J. S. A estrutura ética da linguagem como saída da ontologia totalizante em Emmanuel Lévinas. Revista Ágora, [S. l.], n. 21, p. 177–185, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/11252. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História Intelectual, Ética e Política