Violência contra as mulheres e o patriarcado: um estudo sobre o sertão de Pernambuco

Autores

  • Kalline Flávia S. Lira UFPE
  • Ana Maria de Barros UFPE

Resumo

O presente artigo investiga as relações de gênero e de poder existentes na violência contra as mulheres no sertão do Araripe de Pernambuco. O artigo foi baseado nos aportes teóricos de Saffioti (1994; 2004; 2005) sobre gênero e patriarcado, além de documentos nacionais e internacionais sobre a violência contra as mulheres. Sobre o lócus do sertão, utilizamos como referências Albuquerque Jr. (2001; 2003) e Freyre (2003). Do ponto de vista metodológico, trata-se de um estudo de caso sobre a realidade do Sertão do Araripe, com uma pesquisa de campo, a partir de uma abordagem quanti-qualitativa. As fontes da pesquisa estatística foram três locais que atendem mulheres em situação de violência. Os dados coletados referem-se aos anos de 2010 a 2013. As entrevistas com mulheres em situação de violência foram realizadas em 2014. Concluímos que, apesar de compreender as agressões que sofrem como uma situação de violência, as mulheres minimizam a gravidade. Mesmo não se percebendo apenas no papel de esposa e de mãe, a maior participação da mulher sertaneja no espaço público ainda não reconfigurou as relações de gênero e de poder no âmbito privado, permanecendo a cultura patriarcal que impõe a subordinação das mulheres diante dos homens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kalline Flávia S. Lira, UFPE

Mestre em Direitos Humanos (2015). Membro Colaboradora da Comissão de Direitos Humanos Dom Helder Câmara (UFPE). Pós-graduada em Saúde Pública - título de Sanitarista (2014) e em Gestão Pública (2012). Graduação em Psicologia (2005). Atuou na área da Assistência Social, na Proteção Social Básica e na Proteção de Média Complexidade, trabalhando com vítimas de violência no Sertão do Araripe - PE. Trabalhou na área da Saúde, e foi Coordenadora Municipal de Saúde Mental de Ipubi - PE. Tem interesse nas áreas de gênero, sexualidade, saúde mental e educação inclusiva, num viés dos direitos humanos. Atualmente é Coordenadora Geral da Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência (SEAD), do Governo de Pernambuco.

Ana Maria de Barros, UFPE

Possui graduação em História pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caruaru (1986), Graduação em Direito pela Faculdade ASCES (2013), Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (1998) e Doutorado em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco (2007). É Professora AdjuntaIII da Universidade Federal de Pernambuco (CAA). Leciona Metodologia do Ensino da História e da Geografia e tem experiência nas seguintes áreas: de Educação e clientelismo, Educação Penitenciária e Ressocialização de detentos, Criminalidade feminina, direitos humanos, sistema penitenciário; educação, cidadania e Educãção Escolar Indígena. Atua na formação de Professores em Educação e direitos Humanos tendo foco na Educação Penitenciária. Atua como professora no Programa de Pós- Graduação em Direitos Humanos da UFPE (Mestrado em Direitos Humanos- PPGDH- CAC). É Coordenadora da Licenciatura intercultural Indígena da UFPE, é Coordenadora de área do PIBID Diversidade CAPES / UFPE na área de Gestão Escolar Indígena.

Downloads

Publicado

11-12-2018

Como Citar

LIRA, K. F. S.; DE BARROS, A. M. Violência contra as mulheres e o patriarcado: um estudo sobre o sertão de Pernambuco. Revista Ágora, [S. l.], n. 22, p. 275–297, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/13622. Acesso em: 30 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: Feminismos e Patriarcado