O epistolário agostiniano e os concílios de Cartago e de Mileve (416 d.C.): uma polêmica sobre identidade e diferença, heresia e ortodoxia

Autores

  • Raphael Leite Reis UFES

Resumo

Neste artigo apresentaremos uma investigação inicial e sumária a respeito de quatro epístolas agostinianas, com o intuito de analisar os discursos de identificação e de diferenciação ali promovidos com relação aos cristãos considerados em plena comunhão com a verdadeira fé católica e aos cristãos seguidores de Pelágio, denominados pelagianos e condenados como hereges. Inclusas no epistolário agostiniano e referentes à controvérsia com os pelagianos, duas dessas epístolas são endereçadas ao bispo de Roma Inocêncio I, as outras duas são remetidas por ele em resposta aos padres presentes nos concílios de Cartago e de Mileve, ambos ocorridos em 416 em função da polêmica. Nossa finalidade é compreender de que modo o discurso presente nessas epístolas identifica os ortodoxos e diferencia os hereges.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-08-2016

Como Citar

REIS, R. L. O epistolário agostiniano e os concílios de Cartago e de Mileve (416 d.C.): uma polêmica sobre identidade e diferença, heresia e ortodoxia. Revista Ágora, [S. l.], n. 23, p. 130–153, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/14079. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Estabelecidos e outsiders no Ocidente tardo antigo e medieval