Estigma e tolerância: Afonso X e os judeus em Castela (séc. XIII)

Resumo

Afonso X promulgou, durante seu governo em Castela (séc XIII), uma série de textos legislativos que tinham por objetivo, entre múltiplos temas, também unificar e harmonizar a convivência social dos diferentes grupos étnicos que viviam sob seu comando, intitulados Espéculo, Fuero Real e Siete Partidas. Sob um prisma religioso cristão, os documentos tratam de aspectos políticos, econômicos e sociais, bem como das relações entre a cristandade e as
minorias étnicas do reino, em especial os muçulmanos e os judeus. Em relação aos judeus, verifica-se nos documentos um discurso marcado pela inferiorização. Entretanto, os mesmos insistem em criar mecanismos de defesa e proteção dos judeus do reino, buscando garantir a integridade das sinagogas e o funcionamento dos tribunais especiais. Diante deste paradoxo de estigmatização e tolerância, é possível discutir a importância das atividades econômicas
para as finanças da coroa bem como a liberdade dada pelo rei à nobreza judaica na política e as proposições teológicas cristãs para o trato com os judeus em Castela.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-08-2016

Como Citar

Estigma e tolerância: Afonso X e os judeus em Castela (séc. XIII). Revista Ágora, [S. l.], n. 23, p. 212–227, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/14085. Acesso em: 30 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: Estabelecidos e outsiders no Ocidente tardo antigo e medieval