Escrita memorialística de Coriolano de Medeiros: a instrução em O Tambiá da minha infância

Autores

  • Bernardina M. J. Freire de Oliveira Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) http://orcid.org/0000-0001-6500-9960
  • Maria Nilza Barbosa Rosa
  • Nayana Rodrigues Cordeiro Mariano

Resumo

Este trabalho, para refletir sobre as vivências e as experiências educativas de Coriolano de Medeiros na então província da Parahyba do Norte, nas últimas décadas do século XIX, aproximou-se de abordagens teóricas que tratassem dessa memorialística a partir dos diversos cruzamentos com o tempo, o espaço e o movimento, visto que a memória é compreendida como uma construção social que deixa rastros ao longo do tempo. Para tanto, foi selecionada a obra O Tambiá da minha infância (1994), de Coriolano de Medeiros, tomada como artefato de memória. No diálogo com Aleida Assmann que apresenta a escrita como principal meio de eternização e suporte da memória, busca-se o entendimento de alguns espaços e sujeitos presentes na ação educativa a partir das experiências narrativas do escritor paraibano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

16-12-2018

Como Citar

OLIVEIRA, B. M. J. F. de; ROSA, M. N. B.; MARIANO, N. R. C. Escrita memorialística de Coriolano de Medeiros: a instrução em O Tambiá da minha infância. Revista Ágora, [S. l.], n. 27, p. 173–187, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/21060. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos