FOTOGRAFIA, CULTURA E INFÂNCIA: INTERCONEXÕES E POSSIBILIDADES

Autores

Resumo

Mesmo que os custos fossem relativamente elevados, as famílias de meados do século XX viam na fotografia uma oportunidade de registrar momentos, lugares e pessoas que gostariam de relembrar no futuro. Assim, um grande número de acervos de caráter intimista foi feito e permanece inexplorado. A fotografia familiar, em especial a que contém crianças, acaba por ser um material de estudos deixado de lado. Porém, considerando a revolução documental do século XX, a fotografia passa a ser vista como um tipo de documento que tem relevância para os estudos históricos, tornando-se interessante do ponto de vista acadêmico devido às possíveis análises e interpretações subsequentes que podem proporcionar para a História Cultural. Este artigo tem como objetivo fazer uma retrospectiva sobre o estudo histórico através da fotografia, culminando com uma breve reflexão acerca das possibilidades de contribuição que o retrato da infância pode vir a ter na construção do conhecimento histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabella Czamanski Rota, Universidade de Passo Fundo

Bacharela em Ciência da Computação (2013). Especializada em Design Gráfico (2017). Mestranda em História pela Universidade de Passo Fundo, com foco em História Cultural, Cultura Material e Arqueologia.

Downloads

Publicado

07-01-2019

Como Citar

ROTA, I. C. FOTOGRAFIA, CULTURA E INFÂNCIA: INTERCONEXÕES E POSSIBILIDADES. Revista Ágora, [S. l.], n. 28, p. 189–202, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/21563. Acesso em: 25 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos