“GOLPE EM CÂMERA LENTA”: ESTADO DE SÍTIO E O CINEMA POLÍTICO DE COSTA-GAVRAS

Autores

  • José Rodrigo de Araújo Silva Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

O período que antecede o golpe militar no Uruguai (1973) foi marcado por um intenso autoritarismo promovido pelo governo do presidente Jorge Pacheco Areco (1967-1972). As medidas de exceção e violência política por parte do Estado serviram de inspiração para o filme Estado de Sítio (État de Siège) do cineasta grego naturalizado francês Constantin Costa-Gavras. Este artigo tem por objetivo analisar a película enquanto uma fonte histórica do período em debate, observando a obra como um importante veículo de denúncia dos mecanismos autoritários e repressivos dos governos latino-americanos entre as décadas de 1960 e 1980.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Rodrigo de Araújo Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Doutorando em História pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Pernambuco (PPGH-UFPE). Mestre em História pela Universidade Federal da Paraíba (PPGH-UFPB). Graduado em História pela Universidade de Pernambuco (UPE).

Downloads

Publicado

07-01-2019

Como Citar

SILVA, J. R. de A. “GOLPE EM CÂMERA LENTA”: ESTADO DE SÍTIO E O CINEMA POLÍTICO DE COSTA-GAVRAS. Revista Ágora, [S. l.], n. 28, p. 116–130, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/22376. Acesso em: 30 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: 40 anos da Lei da Anistia: movimentos, narrativas e história.