Governo revolucionário e movimento popular: a contradição entre a democracia representativa e a democracia direta durante o ano II

Autores

  • Josemar Machado de Oliveira Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Resumo

 Este artigo é uma discussão da tese do historiador Albert Soboul sobre a relação entre o governo revolucionário constituído no ano II (1793) e o movimento secionário sans-culotte. Nessa tese, Soboul defende que a formação do governo revolucionário dos montanheses trouxe à tona uma contradição política, entre democracia direta e democracia liberal, que, por sua vez, se vinculava a um conflito entre burgueses (jacobinos/montanheses) e trabalhadores (sans-culottes). Visamos, neste texto, cotejar as ideias de Soboul com as de alguns outros autores que trataram dessa relação, os quais estabeleceram uma variante em relação à tese sobouliana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

09-09-2019

Como Citar

DE OLIVEIRA, J. M. Governo revolucionário e movimento popular: a contradição entre a democracia representativa e a democracia direta durante o ano II. Revista Ágora, [S. l.], n. 29, p. 204–220, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/27509. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos