Usos da micro-história na historiografia dos momentos sociais na/da educação brasileira

Autores

  • Gustavo Henrique Araújo Forde
  • Luiz Antonio Gomes Pinto

Resumo

As pesquisas sobre história da educação são, em muitos casos, caracterizadas pela existência de narrativas que ocultam – macro-narrativas – ou desvelam – micro-narrativas – os movimentos sociais. Ao longo das últimas décadas, observamos o crescimento de estudos que procuram ampliar os espaços de participação desses movimentos. As teorias, que vão do marxismo ao pós-estruturalismo tentam, cada um a seu modo, elaborar narrativas enfocando aspectos afeitos a esses esquemas explicativos. Assim, os movimentos negro e indígena, também veem a possibilidade de elaborar narrativas históricas através da construção de signos que produzem identidades. Pois, avaliam, somente assim, que essas referências históricas passarão a fazer sentido no conjunto das narrativas. Entretanto, o maior perigo existente nessas elaborações, aparece nas tentativas de anular, ou invalidar, as demais narrativas, visto que, é a partir da confrontação de diferentes narrativas e representações, que as mesmas extraem sua força.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

FORDE, G. H. A.; PINTO, L. A. G. Usos da micro-história na historiografia dos momentos sociais na/da educação brasileira. Revista Ágora, [S. l.], n. 18, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/7095. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: História e Educação