Aspectos linguísticos e culturais da imigração italiana na zona rural de Marechal Floriano, ES

Autores

  • Edenize Ponzo Peres

Resumo

Este trabalho tem por objetivo descrever a presença da língua e da cultura dos imigrantes italianos de Vêneto na comunidade de Araguaia, zona rural do município de Marechal Floriano, Estado do Espírito Santo. Com base nos pressupostos da Sociolinguística, foi criado um banco de dados de fala que consiste em entrevistas com 17 informantes, classificados de acordo com sua faixa etária (08-14, 15-30, 31-50 e acima de 50 anos), gênero/sexo (masculino e feminino) e nível de escolaridade (0-04, 05-08 e mais de 08 anos de escolaridade). As perguntas tratavam sobre os hábitos e costumes dos habitantes, o seu conhecimento da história dos imigrantes e sua visão a respeito da família e do povo italiano. Com as respostas a essas perguntas, pretendemos estabelecer a relação entre os sentimentos de identidade para com os antepassados e a manutenção da cultura herdada, especificamente a linguagem. Os resultados indicam que a cultura italiana ainda está presente na comunidade, quando se trata de comida, dança, música e alguns jogos e entretenimento. Com respeito ao dialeto vêneto, este praticamente desapareceu, pois ele somente é falado pelos idosos, embora os informantes demonstrem não apenas sentimentos positivos em relação a seus antepassados, mas também o desejo de haver aprendido essa língua. Assim, vê-se que, se a identidade do falante para com os seus antepassados é importante para a manutenção de uma língua minoritária, no caso dos descendentes de imigrantes italianos de Araguaia, o fator identidade não conseguiu superar a pressão da cultura majoritária, culminando no desaparecimento do vêneto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

PERES, E. P. Aspectos linguísticos e culturais da imigração italiana na zona rural de Marechal Floriano, ES. Revista Ágora, [S. l.], n. 19, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/8312. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Imigração, memória e identidade