Breve panorama do movimento futurista (desde sua fundação até a Grande Guerra)

Autores

  • Pär Bergman

Resumo

Tradução parcial, realizada por Júlio Bernardo Machinski, do segundo capítulo do livro do historiador e tradutor sueco Pär Bergman, intitulado “Modernolatria” et “Simultaneità”: recherches sur deux tendences dans l’avant-garde littéraire en Italie et en France à la veille de la première guerre mondial (Uppsala: Svenska Bökforlaget/Bonniers, 1962). Nesta passagem da obra, Bergman (p. 48-78) detalha as circunstâncias do surgimento do movimento futurista, investigando a gênese do manifesto publicado no jornal Le Figaro, em fevereiro de 1909, além do sentido político e social do termo “futurismo” e o papel das revistas Poesia e Lacerba na divulgação das ações futuristas. O autor aborda, ainda, a sujeição dos futuristas à ironia dos jornalistas da época em virtude da aposta desmedida no futuro, as polêmicas que envolveram a fundação do movimento de vanguarda e o caráter militar das iniciativas de recrutamento de novos adeptos. Por fim, Bergman destaca o papel de figuras-chave do movimento e a aproximação do futurismo ao fascismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

BERGMAN, P. Breve panorama do movimento futurista (desde sua fundação até a Grande Guerra). Revista Ágora, [S. l.], n. 20, p. 215–243, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/9170. Acesso em: 4 ago. 2021.

Edição

Seção

Tradução