FAIR VALUE ENTRE VALOR DE MERCADO E VALOR DE PATRIMÔNIO DAS EMPRESAS DOS SETORES SIDERÚRGICOS E FINANCEIRO DO MERCADO BRASILEIRO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.0001/%25x

Resumo

Este trabalho tem como objetivo buscar evidências empíricas sobre o justo valor (Fair Value) entre valor de mercado (Market Value) e o valor do patrimônio (Book Value) das empresas dos setores siderúrgico e financeiro do mercado brasileiro. Um dos objetivos dos relatórios financeiros harmonizados internacionalmente é ter todos os recursos e responsabilidades financeiras reconhecidos nas indicações da posição financeira em seus valores justos e não nas quantidades baseadas em seu custo histórico. O estudo foi elaborado por meio de testes empíricos, onde se utilizou o valor do patrimônio líquido (Book Value) e o valor de mercado (Market Value). Os dados foram coletados do banco de dados Economática, limitando-se às empresas com ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (BMF&BOVESPA). Os resultados obtidos pela aplicação da análise de regressão, das empresas dos setores envolvidos, não mostraram fortes evidências que pudessem inferir com satisfação quanto à relação dos valores patrimoniais e os valores de mercado das empresas dos setores siderúrgico e financeiro. Embora o setor siderúrgico tenha apresentado melhor coeficiente de determinação (R²), o setor financeiro apresentou maior significância estatística (valor-P).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Randow de Freitas, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Atualmente Professor Adjunto do curso de Engenharia de Produção em regime de dedicação exclusiva da Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus, E.S. / UFES-CEUNES (2015). Doutor pelo programa de Pós-Graduação em Aquacultura pela Fundação Universidade Federal de Rio Grande (FURG) em 2011; Mestrado em Aquacultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006); Especialização em Educação e Gestão Ambiental (Faculdade Saberes - 2003); e Graduação em Administração de Empresas: ênfase em análise de sistemas (Faculdade de Ciências Humanas de Vitória - 2001). Experiência na área de Gestão Ambiental e Gerenciamento Costeiro, Gestão de processos e produtos, análise de cadeias produtivas e Planejamento Estratégico. Em especial para a área de Engenharia, destacam-se diversos artigos, resumos e projetos executados e em andamento, citemos por exemplo, os projetos: Produção de biomassa microalgal e extração de bio-óleo; Chamada CNPq/VALE 05/2012 -Forma-Engenharia; Chamada Pública MCTI/CNPq/SPMPR/Petrobrás 18/2013 - Meninas e Jovens/FAPES; Estudo de viabilidade econômica da pirólise de casca de macadamia, dentre outros.

Referências

Ball, R.J. & Brown, W. (1968). An empirical evaluation of accounting income numbers. Journal of Accounting Research. 6, 159-178.
Damodaran, A. (1997). Avaliação de Investimentos: Ferramentas e Técnicas para a Determinação de Qualquer Ativo. Tradução de Bazán tecnologia e lingüística. Rio de Janeiro: Qualitymark.
Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras. Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações (2000). FIPECAFI. Sérgio Iudícibus, Eliseu Martins e Ernesto Rubens Gelbcke. ed. 5 São Paulo: Atlas.
Hendricksen, E.S. & Breda, M.F.V. (1999). Teoria da Contabilidade. Tradução de Antônio Zoratto Sanvicente. ed. 5 São Paulo: Atlas.
Instituto Brasileiro de Contadores. Normas Internacionais de Contabilidade. (2000). Pronunciamentos do IBRACON, CFC e IASC. São Paulo: IBRACON.
Iudícibus, S.de. (2000). Teoria da Contabilidade. ed. 6 São Paulo: Atlas.
Kothari, S.P. (2003). Capital Markets Research in Accounting. Jan.2001. Retrieved abril 25, 2003 from http://web.mit.edu/kothari/
Levine, D.M., Berenson, M.L. & Stephan, D. (2000). Estatística: Teoria e Aplicações. Tradução Teresa Cristina Padilha de Souza. Rio de Janeiro: Editora LTC.
Lopes, A.B., Sarlo Neto, A. & Loss, L. (2002). O Impacto da Regulamentação sobre a Relação Lucro e Retorno das Ações das Empresas dos Setores Elétricos e Financeiros no Brasil. ENANPAD 2002 Salvador BA.
Lopes, A.B. (2002). A Informação Contábil e o Mercado de Capitais. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.
Matarazzo, D.C. (1998). Análise Financeira de Balanços: Abordagem básica e gerencial. 5ª Edição. São Paulo: Atlas.
Most, K., S. (1979). Accounting Theory. Second ed. Columbus, Ohio.
Oliva, E.deC. (2002). A Privatização de Empresas Siderúrgicas Brasileiras: Reflexos na Gestão de Recursos Humanos. RAC. 6(1), 141-161.
Santos, J. & Parralha Filho, A. (1998). Domingos. Metodologia Científica. São Paulo: Fatura.
Spiegel, M.R. (1993). Estatística. Tradução Pedro Cosentino. 3ª ed. São Paulo: Editora Makron Books.
Stevenson, W.J. (1986). Estatística Aplicada à Administração. São Paulo: Editora Harbra.
Watts, R.L. & Zimmerman, J.L. (1986). Positive Accounting Theory. New Jersey: Prenticew-
Hall.
Willis, D.W. (2002). Financial Assets e Liabilities – Fair Value or Historical Cost? Retrieved Abril 26, 2003 from http://www.fasb.org/project/fairvalue

Downloads

Publicado

2019-09-19

Como Citar

Zatta, F., Freitas, R. R. de, & Gonçalves, W. (2019). FAIR VALUE ENTRE VALOR DE MERCADO E VALOR DE PATRIMÔNIO DAS EMPRESAS DOS SETORES SIDERÚRGICOS E FINANCEIRO DO MERCADO BRASILEIRO. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 5(4), 01–09. https://doi.org/10.0001/%x

Edição

Seção

ENGENHARIA ORGANIZACIONAL - ORGANIZATIONAL ENGINEERING