CULTIVO, SEPARAÇÃO E EXTRAÇÃO DE ÓLEO MICROALGAL (Nannochloropsi oculata)

Autores

  • Laiza Leal Siquara Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Departamento de Engenharias e Tecnologia. Rodovia BR 101 Norte, Km 60, Bairro Litorâneo, CEP, São Mateus, Espírito Santo, Brasil. Fone/Fax: 55 27 3312-1710.
  • Rodrigo Randow de Freitas Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Departamento de Engenharias e Tecnologia. Rodovia BR 101 Norte, Km 60, Bairro Litorâneo, CEP, São Mateus, Espírito Santo, Brasil. Fone/Fax: 55 27 3312-1710.
  • Paulo Sérgio da Silva Porto Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Departamento de Engenharias e Tecnologia. Rodovia BR 101 Norte, Km 60, Bairro Litorâneo, CEP, São Mateus, Espírito Santo, Brasil. Fone/Fax: 55 27 3312-1710.

DOI:

https://doi.org/10.0001/ES14

Resumo

Tendo em vista a constante busca por novas fontes de energias que sejam de origem renovável, as microalgas se encontram como uma forte alternativa para aplicação no setor energético. Desta forma, para que apresentem um resultado satisfatório na produção de energia, o seu processo de produção (cultivo), bem como separação da biomassa microalgal do meio de cultivo e a extração de óleo devem possuir técnicas bem desenvolvidas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Barbosa, L.C.d.A. (2007) - Espectroscopia no Infravermelho na Caracterização de Compostos Orgânicos. Viçosa: UFV. 189.

Cammarata, L., et al. (2001) - Molecular states of water in room temperature ionic liquids. Vol. 3. Cambridge, ROYAUME-UNI: Royal Society of Chemistry.

Cardoso, A. S., Vieira, G. E. G.; Marques A. K. (2011) - O uso de microalgas para a obtenção de biocombustíveis. Revista Brasileira de Biociências (ISSN 1980-4849), Porto Alegre, Brasil. Disponível online: http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/view/1797.

Lopes, D. C.; Moraes, I.; Silva, L. P.; Carvalho, L. P.; Paciello, M. O. (2014) – Cultivo de microalgas para a produção de biodiesel: potencial a ser explorado. Revista eletrônica de energia, Bahia, Brasil.

Menezes, R. S.; Leles, M. I. G.; Soares, A.T.; Brandão P. I.; Franco, M.; Filho, N. R.; Sant’Anna, C. L; Vieira, A. A. H. (2013) - Avaliação da potencialidade de microalgas dulcícolas como fonte de matéria-prima graxa pra a produção de biodiesel. Vol. 36 Química Nova, São Paulo, Brasil.

Teixeira, C. M.; Morales, M. E. (2006) - Microalga como matéria-prima para a produção de biodiesel. Biodiesel o novo combustível do Brasil, Rio de Janeiro, Brasil.

Vianna, J. F; Pires, D. X; Viana, L. H. (1999) - Processo químico industrial de extração de óleo vegetal: um experimento de química geral. Química Nova, 22, 5.

Downloads

Publicado

2015-11-06

Como Citar

Siquara, L. L., Freitas, R. R. de, & Porto, P. S. da S. (2015). CULTIVO, SEPARAÇÃO E EXTRAÇÃO DE ÓLEO MICROALGAL (Nannochloropsi oculata). Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 1(1), 1–4. https://doi.org/10.0001/ES14

Edição

Seção

ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE - SUSTAINABILITY ENGINEERING