A AQUICULTURA EM COMUNIDADES TRADICIONAIS: AMEAÇAS, OPORTUNIDADES E DIFICULDADES

Autores

  • Gabriela De Nadai Mauri Universidade Federal do Espírito Santo- UFES
  • José Ricardo Fornaciari
  • Vinicius Ferreira Pinto
  • Rodrigo Randow de Freitas

Resumo

O consumo de pescado no mundo vem crescendo, puxados pela elevação da renda de países subdesenvolvidos, nos últimos 50 anos houve uns crescimento de 90% no consumo de carne de peixe. Porem na contra mão, a pesca extrativista vem mostrando sinais de esgotamento mostrando a incapacidade de tirar do mar o sustento que irá supri o crescimento continuo da procura por pescado. Esses fatos geram uma tendência de crescimento da aquicultura, que é a forma que pode dar conta da demanda de forma a não esgotar nossos mares, a tendência é que assim como a caça foi substituída pela pecuária, a pesca ira ser substituída pela aquicultura. Porem um fator que não é mostrado é a capacidade das comunidades tradicionais que depende da pesca pra subsistência a resistir a essa nova tendência bem com a capacidade dela a se adaptar a mesma. Esse artigo traz como objetivo fazer um levantamento do ambiente que se encontra a pesca  extrativista e a aquicultura em face ao crescimento da demanda de pescado, onde por fim da ênfase mos mostrar a  aquicultura  como caminho para o fortalecimento das comunidades bem como levantar os aspectos que dificulta as desenvolver a aquicultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-06-20

Como Citar

Mauri, G. D. N., Fornaciari, J. R., Pinto, V. F., & de Freitas, R. R. (2017). A AQUICULTURA EM COMUNIDADES TRADICIONAIS: AMEAÇAS, OPORTUNIDADES E DIFICULDADES. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 3(1), 48–56. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/bjpe/article/view/v3n1_05

Edição

Seção

ENGENHARIA DE OPERAÇÕES E PROCESSOS DA PRODUÇÃO- OPERATIONS & PRODUCTION PROCESS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)