A tradução de poemas barrocos à luz da teoria haroldiana

Autores

  • Samuel Anderson de Oliveira Lima Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN
  • Jefferson Eduardo da Paz Barbosa Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN
  • Jucely Regis dos Anjos Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN

Resumo

Haroldo de Campos foi um dos mais importantes críticos brasileiros que se dedicou ao processo de tradução literária, cuja obra reúne diversos ensaios nos quais ele desenvolve sua teoria da transcrição ou tradução criativa com a qual objetivamos trabalhar neste ensaio. A tradução pela via haroldiana é entendida como um processo de criação, de recriação, de transcriação, principalmente em se tratando de tradução de textos poéticos. Nesse sentido, propomos apresentar uma possibilidade de tradução de alguns poemas barrocos à luz dessa teoria. Chegamos à conclusão de que o trabalho tradutológico nos permite ampliar o horizonte que é limitado pela barreira linguística e que a tradução dos poemas barrocos dedicados a Góngora nos levou a pisar com mais firmeza aquele espaço, mesmo estando nós no século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Anderson de Oliveira Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN

Prof. Dr. do Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras Modernas da UFRN. 

Prof. do Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem - PPgEL/UFRN

Área de concentraçaõ em Literatura Comparada. 

Jefferson Eduardo da Paz Barbosa, Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN

Doutorando pelo Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem (PPgEL), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mestre em História e Crítica da Metafísica pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGFIL-UFRN) e graduado em Letras/Língua Portuguesa (UFRN). Em 2019, publicou o artigo "Um alquimista na Biblioteca de Babel: Carlos Lloró e a tarefa do escritor", na revista ClimaCom. Em 2019 publicou "Textualización de la verdad y crisis de la tradición en El castillo, de Franz Kafka", na revista Valenciana. Em 2018 participou do livro Escrever em tempos de exceção, com o capítulo "Obra, esta espuma". 

Jucely Regis dos Anjos Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN

É professora do IFRN Campus Avançado Lajes e doutoranda do Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da UFRN. Organizou e publicou, em 2020, pela editora do IFRN, a obra Por trás da lupa, coletânea de contos policiais produzidos por discentes do IFRN Pau dos Ferros, sob sua orientação. Em 2018, teve o artigo "Ana Cristina Cesar e a desmontagem do feminino" publicado no livro Cartografias transculturais, com organização das professoras Enilce Albergaria e Tânia Lima. Em 2017, participou do livro Escrever em tempos de exceção, organizado pelos professores Eduardo Pellejero e Susana Guerracom o capítulo intitulado "Forma sem norma: escrita como variação".

Downloads

Publicado

2021-11-23

Edição

Seção

Dossiê LITERATURA E TRADUÇÃO (n. 40)