Não caminho sozinho

percurso para recordar e ressignificar na obra de Paulo Nazareth

Autores

  • Camila Calolinda da Silva PPGEL-UFMS
  • Alex Fabiano Alonso PPGEL-UFMS
  • Eluiza Bortolotto Ghizzi PPGEL-UFMS

DOI:

https://doi.org/10.47456/rf.v17i24.35573

Palavras-chave:

Paulo Nazareth, Não Lugar, Semiótica Peirciana

Resumo

O presente artigo interessa-se pela obra do artista contemporâneo mineiro Paulo Nazareth (1977). Em um primeiro momento, analisa o seu fazer artístico por meio de percursos de viagem com base nos conceitos de “lugar” e “não lugar” antropológicos, cunhados por Marc Augé. Em seguida, no intuito de aprofundar-se no estudo dos significados com os quais o artista trabalha, detém-se em um registro videográfico da obra “Árvore do Esquecimento” (2013), a qual analisa recorrendo a uma aplicação da semiótica peirciana à imagem, proposta pela semioticista Lúcia Santaella. Os resultados mostram uma obra que valoriza o sentido de lugar na medida em que vai na contramão das figuras de excesso que Augé associa aos não lugares e, ao mesmo tempo, reconstrói simbolicamente vivências ancestrais dele próprio e de todos os outros com os quais se identifica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Calolinda da Silva, PPGEL-UFMS

Bacharel em Artes Visuais pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens – PPGEL/ UFMS

Alex Fabiano Alonso , PPGEL-UFMS

Bacharel em Artes Visuais pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens – PPGEL/ UFMS

Eluiza Bortolotto Ghizzi, PPGEL-UFMS

Doutora em Comunicação e Semiótica (PUCSP). Docente no Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagens da FAALC/UFMS.

Referências

ARBEX, Daniela. Holocausto Brasileiro. São Paulo: Geração, 2013.

AUGÉ, Marc. Não lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade. Trad. Maria Lúcia Pereira. – 9ª ed. Campinas, SP: Papirus. 2012. 111 p.

AUGÉ, Marc. O antropólogo e o mundo global. Trad. Francisco Morás. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.151 p.

AUGÉ, Marc. O sentido dos outros: atualidade da antropologia. Trad. Francisco da Rocha Filho. – Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.171 p.

FOLHA DE S. PAULO: Paulo Nazareth está ‘reinventando a performance’ com caminhadas. São Paulo, 24 mar. 2013. Disponível em: https://m.folha.uol.com.br/ilustrada/2013/04/1266830-paulo-nazareth-esta-reinventando-a-performance-com-caminhadas.shtml?mobile. Acesso em: 04 jan. 2021.

GALVÃO, Pedro. Paulo Nazareth recolhe o corpo e expande as ideias na quarentena. In: Estado de Minas - Cultura. 19 de Maio 2020. Disponível em: https://www.em.com.br/app/noticia/cultura/2020/05/19/interna_cultura,1148491/paulo-nazareth-recolhe-o-corpo-e-expande-as-ideias-na-quarentena.shtml. Acesso em 22 abr. 2021.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. 2ª ed. São Paulo: Edições Vértice, 1990. 189 p.

MELO, Janaina. NAZARETH. In: Revista do BDMG. Minas Gerais: BDMG Cultural, v. 2, jun. 2020. Trimestral. Disponível em: https://bdmgcultural.mg.gov.br/artigos/nazareth/. Acesso em: 20 abr. 2021

MELO, Janaina. Caminhos e conversas de viagem. In: PAULO NAZARETH: ARTE CONTEMPORÂNEA/LTDA. Rio de Janeiro: Cobogó, 2012. s.p.

NAZARETH, Paulo. Entrevista Paulo Nazareth S.I: Realizado pelos alunos do 1º Período de Arquitetura e Urbanismo do IFMG, 2019. Son., color. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=YF6UPRSOa2E. Acesso em: 13 jan. 2021.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. Trad. José Teixeira Coelho Neto. São Paulo: Perspectiva, 2017. 337 p.

ROCHA, Leandro de Souza. Cadernos de África: corporeidades e narrativas negras pelas vias das encruzilhadas. 2020. 150 f. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2020. Disponível em: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13852. Acesso em: 13 jan. 2021.

SANTAELLA, Lucia. A teoria geral dos signos: como as linguagens significam as coisas – São Paulo, SP: Pioneira Thomson Learning. 2004. 153 p.

___. O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 2012. 131 p. (Coleção primeiros passos).

___. Semiótica Aplicada. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

VIANA, Janaina Barros Silva. PAULO NAZARETH. 2019. Epistemologias Comunitárias - Laboratório de Culturas e Humanidades (Labcult). Disponível em: https://labcult.eci.ufmg.br/epistemologiacomunitaria/index.php/paulo-nazareth/. Acesso em: 23 mar. 2021.

ZYLBERKAN, Mariana. Paulo Nazareth, o andarilho das artes. In: Veja.com. 26 mai. 2012. Disponível em: https://veja.abril.com.br/cultura/paulo-nazareth-o-andarilho-das-artes/. Acesso em: 20 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2021-09-21

Como Citar

Silva, C. C. da ., Alonso , A. F. ., & Ghizzi, E. B. . (2021). Não caminho sozinho: percurso para recordar e ressignificar na obra de Paulo Nazareth. Revista Farol, 17(24), 57–68. https://doi.org/10.47456/rf.v17i24.35573

Edição

Seção

Seção Temática