O Conceitualismo Lúdico de Bas Jan Ader: Performando a Identidade Transicional

Autores

  • Janna Schoenberger University of Amsterdam
  • Angela Grando PPGA-UFES
  • Léa Araujo UFES

DOI:

https://doi.org/10.47456/rf.v17i24.36570

Resumo

Seguindo as ideias de Huizinga em sua obra Homo Ludens (1938), proponho o termo Conceitualismo Lúdico para descrever a arte que floresceu em solo holandês dentre os anos de 1959 a 1975. Diferentemente da vertente mais austera do conceitualismo desenvolvido em Nova York e Reino Unido, o jogo era central para a vertente holandesa. Neste artigo discutirei como a consolidação de uma identidade, performada através de piadas de cunho satírico baseadas em estereótipos nacionais, se tornou a chave para a compreensão do processo artístico do artista conceitual holandês Bas Jan Ader. Embora grande parte do humor presente em seu trabalho seja óbvio, não houve nenhuma investigação séria sobre sua prática da ironia. Posicionarei Ader dentro da estrutura da arte conceitual humorística pós-guerra prevalecente na Holanda e Califórnia, localidades onde Ader viveu e estudou. Utilizando teorias do humor e da identidade demonstrarei como as piadas de Ader estão intrinsecamente ligadas a contextos sociais presentes nos dois lados do Atlântico, ambientes relevantes para o desenvolvimento artístico em todo curso de sua curta carreira. Uma investigação atenta sobre o trabalho de Ader revelará que a identidade densa desse artista, como vista em sua utilização do humor, é de fato, a característica central de seu trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janna Schoenberger, University of Amsterdam

Profa. Dra. Janna Schoenberger atua como professora da University of Amsterdam. Concluiu seu PhD no Graduate Center, na City University of New York com a tese Ludic Conceptualism: Art and Play na Holanda de 1959 a 1975.” Recentemente, Dra. Schoenberger concluiu bolsas no Rijksmuseum e na Biblioteca Beinecke da Universidade de Yale. Seu livro, Waiting for the Witch Doctor: Robert Jasper Grootveld's Scrapbook and the Dutch Counterculture, foi publicado pelo Rijksmuseum em 2020. Este artigo foi publicado originalmente pela John Benjamins Publishing Company no ano de 2015.

Angela Grando, PPGA-UFES

Doutorado em Historia da Arte pela Université de Paris I - Sorbonne (2002); Mestrado História da Arte pela - Université de Paris I - Sorbonne (1998); Graduação em História da Arte pela Université Paul Valéry - Montpellier III (1985). Professor Titular da Universidade Federal do Espírito Santo, coordena o Laboratório de pesquisa em Teorias da Arte e Processos em Artes - UFES/CNPq. Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Artes - PPGA/UFES (ag.2009- fev.2014), coordenou o Programa de Qualificação Institucional - Convênio: PQI-753/2002 - CAPES (2002-2007), Foi vice-diretora do Centro de Artes/UFES [1996-1998]. É editora da Revista Farol (PPGA-UFES, ISSN 1517-7858); membro do conselho científico da Revista: Estúdio (ISSN1647-6158 e ISSN 1647-7316, Coordenadora adjunta do PPGA/UFES (2016 -). Atualmente realiza pós-doutoramento na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL). Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Artes (CIEBA). Bolsista Pesquisador FAPES - BPC. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em fundamentos teóricos, história e crítica das artes, atuando principalmente nos seguintes temas: modernismos e vanguardas, poéticas da criação na arte moderna e contemporânea, práticas conceituais e participativas em arte contemporânea, novas mídias na arte.

Léa Araujo, UFES

Pesquisadora e arte educadora. Graduada em Artes Visuais, licenciatura, pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e mestranda em artes, na área de concentração de crítica, teoria e história da arte pelo Programa de Pós Graduação em Artes da mesma universidade (PPGA - UFES). Com foco no desenvolvimento de pesquisa a respeito de arte contemporânea, arte política e contracultura. Também atuou no campo da mediação cultural em espaços expositivos.

Referências

Andriesse, Paul (ed.). 1988. Bas Jan Ader: Kunstenaar. Amsterdam: Openbaar Kuntbezit.

Baldessari, John, Ann Goldstein and Rudi Fuchs.2011. “John Baldessari: Your Name in Lights – A Conversation Between John Baldessari, Ann Goldstein, and Rudi Fuchs.” Stedelijk Museum Amsterdam, June 5.

Beenker, Erik. 2006. “Bas Jan Ader (1942-1975 Missing at Sea): The Man Who Wanted to Look Beyond the Horizon.” In Bas Jan Ader: Please Don’t Leave Me. Rotterdam Boijmans Van Beunningen.

Bell, Larry and Ann Goldstein. 2013. “Forum: Larry Bell and Ann Goldstein.” Stedelijk Museum Amsterdam, April 18.

Critchley, Simon. 2002. On Humour. 1st ed. New York: Routledge.

Daalder, Rene.2008. Here Is Always Somewhere Else. DVD. Cult Epics.

Van Garrel, Betty.1972. “Bas Jan Ader’s tragiek schuilt in een pure val.” Haagse Post. January 5.

Huizinga, Johan.1971. Homo Ludens: A Study of the Play-Element in Culture. Boston: Beacon Press.

International Federation of Film Archives.1998. The Slapstick Symposium: May 2 and 3, 1985, the Museum of Modern Art, New York, 41st FIAF congress ed. By Eileen Bowser. Brussels. Belgium: Federation International des Archives du Film.

Jan Ader, Bas.1961. “Nederlander Exposeert in Whashington” Het Vaderland, April 24.

Morreal, John.2009. Comic Relief: A Comprehensive Philosophy of Humor. 1st ed. Chichester Uk and Malden, MA: Wiley-Blackwell DOI:10.1002/9781444307795.

Nahuizen, Bob.1961. “Amerika bracht basajan (19) uit Groningen onverwacht success” Het Vrije Volk, july 26.

Otterspeer, Willem.2011. Reading Huizinga. Translated by Beverly Jackson. Amsterdam: Amsterdam University Press.

Roberts, james. 1994. “The Artist Who Feel from Grace with the Sea.” Frieze 17 (August): 32-37.

Sefermann, Ellen, Jorg Heiser and Susan Hiller: 2008. Romantic Conceptualism. Bilingual Edition Bielefeld: Kerber.

Steenbergen. R.1993. “Bas Jan Ader” NRV Handelslad, March 5

Timmerman, Els.1993. “Op zoek naar het wonder” HP/De Tijd, July 9.

Verwoert, Jan.2006. Bas Jan Ader: In Search of the Miraculous. London: Afterall Publishing.

Wolfe, Charles.2010. “California Slapstick.” In Slap Comedy, ed by Tom Paulus and Rob King, 169-190. New York: Routledge.

Downloads

Publicado

2021-09-21

Como Citar

Schoenberger, J. ., Grando, A., & Araujo, L. (2021). O Conceitualismo Lúdico de Bas Jan Ader: Performando a Identidade Transicional. Revista Farol, 17(24), 205–2017. https://doi.org/10.47456/rf.v17i24.36570

Edição

Seção

Traduções