Sinergias em redes urbanas: complementaridades e competitividades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/geo.v4i38.44837

Palavras-chave:

complementaridade, sinergia, competitividade, rede urbana

Resumo

A respeito da diversidade e da complexidade das redes urbanas, as relações entre complementaridade e competitividade entre centros urbanos podem ser examinadas para compreender não somente a particularidade dessas redes, como também o papel desempenhado por elas nas relações de produção e os mecanismos que dão sentido às suas dinâmicas e significados. Na tentativa de compreender essas interfaces, este artigo, de cunho exploratório bibliográfico, questiona a combinação entre elas e suas predominâncias. Diferentemente do dualismo ou da tradicional separação entre esses pares, verifica-se uma sinergia entre ambas e a depender da predominância de uma ou de outra, pode desencadear relativas estratificações ou instabilidades na rede urbana regional. Em um sentido amplo e utópico, distante de sinergias regidas por sistemas corporativos de mercado e a depender de um conjunto de estratégias bem coordenadas em escala regional, as relações complementares podem alcançar níveis de cooperação e de trocas mais horizontalizadas. Nesses termos, as relações sinérgicas podem apresentar importantes quebras no padrão hierárquico e desigual das redes urbanas. Contudo, considera-se que a dialética entre competitividade e complementaridade remete à necessidade de averiguação sine qua non de cada caso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iann Dellano da Silva Santos, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Goiás e mestre em Geografia pela Universidade Federal do Tocantins. É Professor Adjunto do Magistério Superior do curso de licenciatura em Geografia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA) e membro do Grupo de Estudos sobre Redes e Produção do Território (GéTER).

Denis Castilho, Universidade Federal de Goiás

Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Goiás, com Estágio Doutoral na Universidad de Barcelona. Atualmente é professor dos cursos de Graduação e Pós-Graduação do Instituto de Estudos Socioambientais da UFG, Bolsista Produtividade do CNPq, membro da Rede Latino-americana de Investigadores em Espaço e Economia e coordenador do Grupo de Estudos sobre Redes e Produção do Território (GéTER).

Referências

BESSA, K. A dinâmica da diferenciação espacial entre os centros do segmento de rede urbana no Tocantins. In: SANTOS, R. S.; LIRA, E. R.; CALAÇA, M.; CHAVEIRO, E. F. (org.). Território e diversidade territorial no cerrado: cidades, projetos regionais e comunidades tradicionais. Goiânia: Kelps, 2013. p. 55-89.

BESSA, Kelly. Proposições para análise da diferenciação espacial nos estudos sobre rede urbana: as noções de convergência e divergência. Geousp: Espaço e Tempo (Online), São Paulo, n. 28, p. 34, ago. 2010. Universidade de São Paulo, Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica (AGUIA). http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2010.74169. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2010.74169

BOURDIN, A. A questão local. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

BRANDÃO, P. R. B. Barreiras e Luís Eduardo Magalhães: uma aglomeração urbana embrionária no Oeste Baiano? In: DIAS, P. C.; SANTOS, J. (org.). Cidades médias e pequenas: contradições, mudanças e permanências nos espaços urbanos. Série estudos e pesquisas. Salvador: SEI, 2012. v. 94. p. 183-195.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

CASTILHO, Denis. Privatização da Eletrobras. Revista da Anpege, Pernambuco, p. 500-528, out. 2022. ANPEGE - Revista. http://dx.doi.org/10.5418/ra2022.v18i36.16258. DOI: https://doi.org/10.5418/ra2022.v18i36.16258

CASTRO, I. E. O problema da escala. In: CASTRO, I. E.; GOMES, P. C. da C.; CORRÊA, R. L. (org.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012. 15. ed. p. 117-140.

CORRÊA, R. L. Reflexões sobre a dinâmica recente da rede urbana brasileira. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, IX, 2001, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: ANPUR, vol. 1, 2001. p.424-430.

CORRÊA, R. L. Estudos sobre rede urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2006.

CORRÊA, R. L. Caminhos paralelos e entrecruzados. São Paulo: Editora Unesp, 2018.

CORRêA, Roberto Lobato. Processos, formas e interações espaciais. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 61, n. 1, p. 127-134, jan./jun. 2016. IBGE. http://dx.doi.org/10.21579/issn.2526-0375_2016_n1_art_7. DOI: https://doi.org/10.21579/issn.2526-0375_2016_n1_art_7

CORRÊA, R. L. Sobre agentes sociais, escala e produção do espaço: um texto para discussão. In: CARLOS, A. F. A.; SOUZA, M. L.; SPOSITO, M. E. B. (org.). A produção do espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto, 2011. p. 41-51.

CORRÊA, R. L. Globalização e reestruturação da rede urbana – uma nota sobre as pequenas cidades. Revista Território, Rio de Janeiro, ano IV, n. 6, p. 43-53, jan./jun. 1999.

DOWBOR, L. A era do capital improdutivo. 2. ed. São Paulo: Outras Palavras/Autonomia Libertária, 2018.

GEIGER, P. Evolução da rede urbana brasileira. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos/Ministério da Educação e Cultura, 1963.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Regiões de influência das cidades. 2018. Rio de Janeiro: IBGE, 2020.

LAMBOOY, J. G.. City and city region in the perspective of hierarchy and complementarity. Tijdschrift Voor Economische En Sociale Geografie, v. 60, n. 3, p. 141-154, maio 1969. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/j.1467-9663.1969.tb01115.x. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1467-9663.1969.tb01115.x

MEIJERS, E. The notion of complementarity in urban networks: definition, value, measurement and development. In: 10th UNECE Conference on Urban and Regional Research, 10., 2006, Bratislava. Proceedings [...] Bratislava, May 22-23, 2006, p. 1-7. Disponível em: https://unece.org/fileadmin/DAM/hlm/prgm/urbanenvperf/conference/tenth_bratislava/documents/topic2.08.meijers.pdf. Acesso em: 23 fev. 2024.

MEIJERS, E. Polycentric Urban Regions and the Quest for Synergy: is a network of cities more than the sum of the parts?. Urban Studies, v. 42, n. 4, p. 765-781, abr. 2005. SAGE Publications. http://dx.doi.org/10.1080/00420980500060384. DOI: https://doi.org/10.1080/00420980500060384

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. 8. reimp. São Paulo: Edusp, 2014.

SANTOS, M. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico-informacional. 5. ed., 1. reimpr. São Paulo: Edusp, 2013.

SANTOS, M. Manual de geografia urbana. 3 ed., 1. reimpr. São Paulo: Edusp, 2012.

SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. 12ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2008.

SILVEIRA, M. L. Escala geográfica: da ação ao império? Terra Livre, Goiânia, ano 20, v. 2, n. 23, p. 87-96, jul./dez. 2004.

SILVEIRA, R. L. L. Redes e território: uma breve contribuição geográfica ao debate sobre a relação sociedade e tecnologia. Biblio 3W, Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, Barcelona, v. VIII, n. 451, jun. 2003. Disponível em: https://www.ub.edu/geocrit/b3w-451.htm. Acesso em: 10 jun. 2019.

SPOSITO, M. E. B. A produção do espaço urbano: escalas, diferenças e desigualdades socioespaciais. In: CARLOS, A. F. A.; SOUZA, M. L.; SPOSITO, M. E. B. (org.). A produção do espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto, 2011, p. 123-145.

ULLMAN, E. L. The Role of Transportation and the Bases for Interaction. In: THOMAS JR, W. L. (ed.). Man’s Role in Changing the Face of Earth. Chicago: The University of Chicago Press, 1956. p. 862-880.

Publicado

28-06-2024

Como Citar

SANTOS, Iann Dellano da Silva; CASTILHO, Denis. Sinergias em redes urbanas: complementaridades e competitividades. Geografares, Vitória, Brasil, v. 4, n. 38, p. 353–374, 2024. DOI: 10.47456/geo.v4i38.44837. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/44837. Acesso em: 12 jul. 2024.