Entre o público e o privado. Cenários do quotidiano na 'domus' das Carvalheiras

Autores

  • Fernanda Magalhães
  • Jorge Manuel Pinto Ribeiro
  • Maria Manuela Martins

DOI:

https://doi.org/10.17648/rom.v0i6.11972

Palavras-chave:

Bracara Augusta, Arquitetura privada, Domus, Vida quotidiana

Resumo

A domus romana provincial constitui um contexto privilegiado para analisar a adoção dos modelos arquitetónicos e construtivos clássicos, a riqueza das elites urbanas e o quotidiano familiar, que se estruturava nas múltiplas relações de sociabilidade entre os membros da família, entre o paterfamilias e os seus clientes, ou entre a família e os serviçais. A casa era também o contexto onde se definiam e afirmavam diferentes identidades, bem como a estatuto social da família. Tendo por base a domus das Carvalheiras, o único exemplar de casa romana de elite totalmente escavado em Braga, procuraremos proceder a uma análise da sua arquitetura, tendo em vista compreender os seus custos de construção e caracterizar os diversos espaços onde se desenvolviam as relações de sociabilidade do agregado familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DANIELS-DWYER R. The economics of private construction in roman Italy. Reading: University of Reading, 2000.

DELAINE, J. Design and construction in roman imperial Architecture: the baths of Caracalla in Rome. 1992. Tese (Doutorado em Estudos Clássicos) – Department of Classics da University of Adelaide, Adelaide, 1992.

DOMINGO, J. El coste de la Arquitectura: avances, problemas y incertidumbres de una metodología de cálculo: Volúbilis y Dougga. Archeologia dell´Architettura, v. 17, p. 144-170, 2012.

______. Los costes de la arquitectura romana: el capitolio de Volúbilis (Mauretania Tingitania). Archeologia Classica, v. LXIII, n. II, 2, p. 381-418, 2012.

GROS, P. L’Architecture romaine. Du début du IIIe siècle av. J.-C. à la fi n du Haut-Empire: Maisons, palais, villas et tombeaux. Paris: Editions A&J Picard 2006, p. 148-196. v. 2.

MAR, R. La construcción pública en las ciudades hispanas. Los agentes de la construcción. In: CAMPOREALE, S.; DESSALES, H.; PIZZO, A. (Eds.). Arqueología de la construcción I. Los processos constructivos en le mundo romano: Italia y províncias occidentales. Mérida: CSIC, 2008, p. 175-190.

MAGALHÃES, F. Arquitetura doméstica em Bracara Augusta. 2010. Dissertação (Mestrado em Arqueologia), Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, Braga, 2010.

______. Arquitetura doméstica em Bracara Augusta. Interconexões, v. 1, n. 1, p. 13-30, 2013.

MARTINS, M. A zona arqueológica das Carvalheiras, Balanço das escavações e interpretações do conjunto. Cadernos de Arqueologia, n. 14-15, série II, p. 23-46, 1997/1998.

______. Entre o ócio e a sociabilidade. O papel das termas públicas na vida social de Bracara Augusta. I Colóquio Luso Brasileiro ‘Quotidiano e Sociabilidades no Império Romano’, Ufes/UMinho, Vitória (Brasil), p. 13-30, 2015.

MARTINS, M.; FONTES, L. Bracara Augusta. Balanço de 30 anos de investigação arqueológica na capital da Galécia Romana. in Simulacra Romae II. Rome, les capitales de province (capita prouinciarum) et la création d’un espace commum européen. Une approche archéologique. Bulletin de la Societé archéologique champenoise. Mémoire n.19, 2010, p. 111-124.

MARTINS M.; RIBEIRO J.; MAGALHÃES F; BRAGA C. Urbanismo e arquitectura de Bracara Augusta. Sociedade, economia e lazer. In: RIBEIRO M.; MELO A. (Eds.). Evolução da paisagem urbana: sociedade e economia. Braga: CITCEM, 2012, p. 29-67.

MARTINS, M. et al. As termas públicas de Bracara Augusta e o abastecimento de água da cidade romana’, in Atas do Seminário Internacional Aquae Sacrae. Agua e sacralidad en época antigua, Girona: Universitat de Girona, 2011, p. 69-102.

MORAIS R. M. L. Autarcia e Comércio em Bracara Augusta. Contributo para o estudo económico da cidade no período Alto-Imperial, Bracara Augusta, Escavações Arqueológicas, 2, UAUM/Narq, Braga, 2005.

PEGORETTI G. Manuale pratico per l´estimazione dei lavori architettonici, stradali, hidraulici e di fortificazioni per uso degli engegneri ed architetti. Milano, 1843.

PIZZO A. (Ed.). Arqueologia de la construcción II. Los procesos constructivos en ele mundo romano: Itália y las províncias orientales. Anejos de AESPA, LVII. Mérida, p. 509-537, 2010.

PRISSET J. L. Les besoins en materiaux, les contraintes d´aprovisionnement et la duree d´un chantier de construction. Reflexions à partir du Portique Nord de Saint-Romain-En-Gal (France). In: CAMPOREALE S.; DESSALES H.; PIZZO A. (Eds.). Arqueologia de la Construcción I, los procesos constructivos en el mundo romano. Merida: Anejos de AESPA, 2008, p. 125-140.

RIBEIRO J. Processo construtivo e artífices da construção em Bracara Augusta. Uma abordagem preliminar. In: RIBEIRO M.; MELO, A. (Eds.). História da Construção: os construtores. Braga: CITCEM, 2011, p. 33-48.

______ Arquitectura Romana em Bracara Augusta. Uma análise das técnicas edilícias, Colecção Teses Universitárias, 5. Porto: Edições Afrontamento, 2015.

RIBEIRO J.; MARTINS M. Materiais de construção em Bracara Augusta. In: RIBEIRO M.; MELO A. (Ed.). História da Construção: os materiais. Braga: CITCEM, 2012, p. 15-34.

RIBEIRO J.; MAGALHÃES F.; MARTINS, M. Meios, técnicas e custos de construção em Bracara Augusta no século II. O balneário das Carvalheiras. Férvedes, n. 8, p. 331-339, 2015.

SILVA J. R. C. A insula das Carvalheiras. Estudo de um exemplo de arquitectura privada em Bracara Augusta. 2000. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, Braga, 2000.

Downloads

Publicado

30-12-2015

Como Citar

MAGALHÃES, F.; RIBEIRO, J. M. P.; MARTINS, M. M. Entre o público e o privado. Cenários do quotidiano na ’domus’ das Carvalheiras. Romanitas - Revista de Estudos Grecolatinos, [S. l.], n. 6, p. 88–106, 2015. DOI: 10.17648/rom.v0i6.11972. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/romanitas/article/view/11972. Acesso em: 26 mar. 2023.

Edição

Seção

Dossiê: A cidade romana entre a História, a Arqueologia e a Literatura