Esta é uma versão desatualizada publicada em 2020-07-29. Leia a versão mais recente.

“A carne mais barata do mercado (acadêmico) é a carne negra”:

O estado da arte sobre o diálogo entre as relações raciais e a educação em periódicos brasileiros de educação

Autores

Palavras-chave:

Relações raciais, Educação, Estado da arte

Resumo

As questões étnico-raciais no contexto escolar pautam aspectos identitários a partir de políticas públicas que materializam a resistência negra cotidiana face aos processos de exclusão. O presente artigo tem por objetivo apontar diálogos existentes entre as relações raciais e a educação, a partir do que vem sendo discutido em publicações de periódicos brasileiros da área da educação. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cujo procedimento metodológico é a realização do estado da arte para o levantamento das produções acadêmicas, e revisão bibliográfica sobre as categorias de análise estabelecidas. Os resultados encontrados demonstram uma produção significativa sobre as garantias legais conquistadas recentemente pelos movimentos sociais negros e a importância das ações afirmativas para a comunidade negra. No entanto, apontam a existência de uma defasagem na publicação de artigos que fomentem a formação docente e suas práticas pedagógicas para estabelecer esse diálogo em sala de aula, bem como ausência de referências negras quando se discute a representatividade na formação escolar. Desta forma, conclui-se que no mercado acadêmico o diálogo entre as relações raciais e a educação precisa ultrapassar alguns estereótipos, uma vez que estes dificultam o fortalecimento da identidade negra nos processos educativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edmarcius Carvalho Novaes, Universidade Federal de Santa Catarina

Aluno do Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina, na área de concentração em Estudos de Gênero, e membro do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS/UFSC). Mestre em Gestão Integrada do Território (UNIVALE, 2016). Especialista em Docência para o Ensino Superior (IMES, 2011), Educação e Inclusão - Linha de Formação: Libras (FAEL, 2013), Gênero e Diversidade na Escola (UFMG, 2016), Direito Público (UNIDERP, 2011) e em Gestão Pública (UFOP, 2013), além de MBA em Administração Pública e Gestão de Cidades (UNIDERP, 2011). É Bacharel em Direito (FADIVALE, 2007) e Licenciado em Filosofia (UNINTER, 2020). Professor e pesquisador na UNIVALE - Universidade do Vale do Rio Doce, onde leciona e atua em quatro projetos de pesquisa e extensão vinculados ao NIEDS - Núcleo Interdisciplinar de Educação, Direito e Saúde.

Eunice Maria Nazarethe Nonato, Universidade Vale do Rio Doce

Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito Vale do Rio Doce (1998) e graduada em Pedagogia pela Universidade Vale do Rio Doce (1985). Mestre em Educação (2002). Realizou em 2009 estágio doutoral na Universidade de Coimbra(Portugal). Doutorou-se pela Universidade Vale do Rio dos Sinos - RS (2010). Atualmente é pesquisadora e professora no curso de Mestrado em Gestão Integrada do Território da Universidade Vale do Rio Doce. 

Juliana Maria de Souza Xavier , Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão - UEMASUL

Graduada em Pedagogia pela Universidade Vale do Rio Doce - UNIVALE, em Governador Valadares, MG. Especialista em Africanidades e Cultura Afro-brasileira pela Faculdade Pitágoras de Ensino da UNOPAR, em Imperatriz, MA. Graduanda em História - Licenciatura pela Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão - UEMASUL, em Imperatriz, MA. 

Larissa Sellos Pereira de Lima, Universidade Vale do Rio Doce

Graduada em Pedagogia pela Universidade Vale do Rio Doce

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; RODRIGUES, Tatiane Consentino. Descolonizando as pesquisas com crianças e três obstáculos. Educação & Sociedade: Campinas, vol.35, n.127, p.461-474, 2004.

ALMEIDA, Marco Antonio Bettine de; SANCHEZ, Lívia Pizauro. ENEM: ferramenta de implementação da Lei 10.639/2003 - competências para a transformação social?. Educar em Revista. v.32, n.1, pp.79-103. 2016.

ALMEIDA, Marco Antônio Bettini de; SANCHEZ, Lívia Pizauro. Implementação da Lei 10.639/2003 – competências, habilidades e pesquisa para a transformação social. Educação e realidade: Rio Grande do Sul, vol.28, n.1, pp.55-80, 2017.

ARENA, Dagoberto Buim; LOPES, Naiane Rufino. PNBE 2010: personagens negros como protagonistas. Educação & Realidade: Porto Alegre, v. 38, n. 4, p. 1147-1173, out./dez. 2013.

BAYMA, Fátima. Reflexões sobre a constitucionalidade e das cotas raciais em Universidades Públicas no Brasil: referências internacionais e os desafios pós julgamento das cotas. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação: Rio de Janeiro, v. 20, n. 75, p. 325-346, abr./jun. 2012.

BRASIL. Constituição Federal da República. Brasília, 1998.

BRASIL. Lei Federal n° 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira. Diário Oficial da União. Brasília, 2010.

BRASIL, Lei Federal n° 12.288. Institui o Estatuto da Igualdade Racial. Diário Oficial da União. Brasília, 2010.

BRASIL. Lei Federal n° 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 2012.

COELHO, Wilma de Nazaré Baía; SILVA, Rosângela Maria de Nazaré. Relações Raciais e Educação: O estado da arte. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 14, n. 31, p.121-146, 2013.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “Estado da Arte”. 2002. Revista Educação & Sociedade, ano 23, n. 79, Agosto/2002.

GOMES, Nilma Lino. Cultura negra e educação. Revista Brasileira de Educação: Rio de Janeiro, n. 23, p. 75-85, Maio/Jun/Jul/Ago, 2003.

GOMES, Nilma Lino. Educação e identidade negra. Educação e pesquisa: São Paulo, 2002.

GOMES, Nilma Lino; JESUS, Rodrigo Ednilson de. As práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva de Lei 10.639/2003: desafios para a política educacional e indagações para a pesquisa. Educar em Revista. v. 47, p. 19-33, 2013.

LIMA, Marcos Eugênio Oliveira; NEVES, Paulo Sérgio da Costa; SILVA, Paula Bacelar. A implantação de cotas na universidade: paternalismo e ameaça à posição dos grupos dominantes. Revista Brasileira de Educação: Rio de Janeiro, vol.19, n.56, pp.141-163, 2014.

MALIGHETTI, Roberto. Antropologia pela educação. Notas por uma descolonização. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, n. 128, p. 843-856, 2014.

SOUZA, Andreliza Cristina de; BRENDALISE, Mary Ângela Teixeira. Avaliação da política de cotas da UEPG: desvelando o direito à igualdade e a diferença. Avaliação: revista da educação superior: Campinas; Sorocaba, SP, v. 21, n. 2, p. 415-437, jul. 2016.

VITORINO, Artur José Renda. Local, nacional e universal nos estudos históricos de Educação Comparada: o caso das Ações Afirmativas na era genômica. Educar em revista: Paraná, n. 52, p. 291-303, abr./jun. 2014.

Publicado

2020-07-29

Versões

Edição

Seção

Dossiê