Vozes em movimento: narrativas sobre imigração e translinguismo na educação linguística

Autores

  • Daniel de Mello Ferraz Universidade Federal do Espírito Santo
  • Marina Evangelista Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Translinguismo, Imigração, Educação linguística, pesquisa narrativa

Resumo

Diante das mudanças sociais contemporâneas, tais como os crescentes avanços tecnológicos e de relações transnacionais, identificamos que frente à grande diversidade linguística e sociocultural, uma visão inclusiva no que se refere a imigração, língua e educação é indispensável, já que uma das primeiras barreiras que os imigrantes encontram ao chegar a um novo país é a língua. Este artigo objetiva explorar como se dá a integração de imigrantes na cidade de São Paulo, além de buscar compreender como se deram os processos de aprendizagem de línguas em contexto translíngue. Por meio de metodologia qualitativa, cujos métodos de geração de dados envolveram a coleta de autobiografias de falantes translíngues. Alguns resultados apontam para uma aprendizagem de línguas permeada por um conjunto de emoções, identidades e desafios. Outrossim, apontam para as contribuições das teorias sobre translinguismo no contexto educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel de Mello Ferraz, Universidade Federal do Espírito Santo

Daniel de M. Ferraz é formado em Letras-Inglês pela PUC-SP, mestre em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês pela Universidade de São Paulo e Doutor em Letras-Inglês pela Universidade de São Paulo. Realiza pós-doutorado na mesma instituição. É professor do Departamento de Línguas e Letras e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Universidade Federal do Espírito Santo. 

Marina Evangelista, Universidade de São Paulo

 Formada em Letras (Português/Inglês) pela Universidade de São Paulo e em Automação de Escritórios e Secretariado pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC-SP). Possui experiência na área de Educação na rede privada de ensino e na área de Revisão de textos (Inglês/Espanhol e Português). 

Referências

APPADURAI, A. Disjunção e diferença na economia cultural global. In: FEATHERSTONE, M. (org). Cultura Global: nacionalismo, globalização e modernidade. Petrópolis: Vozes, 1999, p. 311-327.

BAENINGER, R. O Brasil na rota das migrações latino-americanas. In: BAENINGER, R. (org.). Imigração Boliviana no Brasil. Campinas: Núcleo de Estudos de População- Nepo/Unicamp, 2012.

BASSEGIO, L. Inmigrantes: Protagonistas de otra integración. In: No somos extranjeros. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

BÓGUS, L. M.; FABIANO, M. L. A. O Brasil como destino das migrações internacionais recentes: novas relações, possibilidades e desafios. Ponto e Vírgula. São Paulo, n. 18, p. 126- 145, 2015.

BRASIL. MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA. Brasil registra mais de 700 mil migrantes entre 2010 e 2018. Governo Federal, 22 ago. 2019. Disponível em: <https://www.justica.gov.br/news/collective-nitf- content-1566502830.29>. Acesso em: 17 out. 2019.

CANAGARAJAH, S. Translanguaging in the classroom: Emerging issues for research and pedagogy. Applied Linguistics Review, p. 1–28, 2011.

CANAGARAJAH, S. Navigating language politics: a story of critical praxis. In: NICOLAIDES, C. et al. Política e políticas linguísticas. Campinas: Pontes, 2013.

CAVALCANTI, L.; OLIVEIRA, T.; MACEDO, M. (org.). Imigração e Refúgio no Brasil: Relatório Anual 2019. OBMIGRA: Brasília, DF, 2019. Disponível em:

<https://portaldeimigracao.mj.gov.br/images/relatorio- anual/RELAT%C3%93RIO%20ANUAL%20OBMigra%202019.pdf>. Acesso em: 15 out. 2019.

CROSA, Z. Migraciones latinoamericanas. Procesos e identidades: el caso uruguayo en Argentina. Polis Revista Latinoamericana, n. 41, 2015.

CUMMINS, J. Negotiating identities: Education for empowerment in a diverse society. Ontario: California Association for Bilingual Education, 1996.

DE MARCO, C. Os migrantes e o trabalho precário. Disponível em: <https://carolinsk.jusbrasil.com.br/artigos/324330107/os-migrantes-e-o-trabalho- precario?ref=feed>. Acesso em: 15 out. 20.

GARCÍA, O.; LIN, A. M. N. Translanguaging in bilingual education. In: GARCÍA, O.; LIN, A. M. N (org.). Bilingual and Multilingual Education (Encyclopedia of Language and Education). Dordrecht: Springer, 2016.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Trad. Mathias Lambert. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

KLAGSBRUNN, V. H. Migração Internacional no século XXI: O caso dos brasileiros. In: No somos extranjeros. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

LANZA, A. L.; LAMOUNIER, M. L. A América Latina como destino dos imigrantes: Brasil e Argentina (1870-1930). Brazilian Journal Of Latin American Studies. 2015, v. 14, n. 26, p. 90-107.

MILESI, R.; MARINUCCI, R. Migrações Internacionais Contemporâneas. Brasília: IMDH, 2005.

OMI. International Organization For Migration. World Migration Report 2020. Genebra: IOM, 2020. Disponível em:

<https://publications.iom.int/system/files/pdf/wmr_2020.pdf>. Acesso em: 17 jan. 2020.

PATARRA, N.; FERNANDES, D. Brasil: país de imigração? Revista Internacional em Língua Portuguesa, v. 3, n. 24, 2011.

RIOS NETO, E. L. G. Managing Migration: The Brazilian Case. Belo Horizonte: Cedeplar/UFMG, 2005.

SÃO PAULO. Memória do imigrante. Arquivo público do estado de São Paulo, 2020. Disponível em: <http://www.arquivoestado.sp.gov.br/site/acervo/memoria_do_imigrante>. Acesso em: 23 dez. 2019.

SOUSA SANTOS, B. Para além do pensamento abissal: Das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos estudos Cebrap, 2007.

Downloads

Publicado

2021-08-16