HIPÓTESES ABDUTIVAS ANTEFACTUAIS EM SITUAÇÕES PROATIVAS DE NEGOCIAÇÃO COLABORATIVA: ANÁLISE DO CONTEXTO INICIAL DO FILME “12 HOMENS E UMA SENTENÇA”

Fábio José Rauen, Suelen Francez Machado Luciano

Resumo


Este trabalho visa a descrever e a explicar como processos de auto e hetero vigilância epistêmica promovem a modulação da emergência de hipóteses abdutivas antefactuais em direção à consecução ótima de metas em comum. Para tanto, defendemos que as noções teóricas de metas (RAUEN, 2014), de relevância (SPERBER; WILSON, 1995) e de vigilância epistêmica (SPERBER; WILSON, 2010) são capazes de explicar como soluções criativas emergem num contexto constrangido por metas. Para ilustrar nosso argumento, analisamos o contexto inicial do filme “12 homens e uma sentença”, no qual o juiz instrui os jurados para que eles deliberem pela inocência ou pela culpa do réu.


Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista (Con) Textos Linguísticos


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.