OS SEGMENTOS RÓTICOS: MÚTUAS INFLUÊNCIAS ENTRE FALA, ESCRITA E PERCEPÇÃO

Giovana Ferreira-Gonçalves, Felipe Bilharva da Silva

Resumo


A classe dos segmentos róticos desperta, no âmbito dos estudos fonológicos contemporâneos, uma série de questionamentos. Isso se deve, especialmente, ao fato de que, inseridos em um mesmo grupo, encontram-se segmentos altamente diversificados do ponto de vista fonético, tanto em modo como em ponto de articulação. Fonologicamente, a relação entre os segmentos róticos igualmente gera discussões, especialmente no que se refere à natureza de elementos na subjacência. Buscando levantar evidências capazes de contribuir com essas discussões, o presente trabalho, um estudo piloto, estabelece uma comparação entre os erros cometidos na escrita dos róticos – em onset simples, onset complexo e coda – por crianças em etapa inicial de alfabetização, e sua percepção do input, a fim de avaliar se a aquisição do código escrito é influenciada pela forma como os aprendizes percebem os estímulos auditivamente. O corpus da pesquisa foi constituído por entrevistas orais, produções escritas e testes de percepção aplicados a oito crianças – três estudantes do segundo ano e cinco estudantes do sexto – de uma escola pública do município de Pelotas (RS), avaliando, assim, um contato inicial com o período da escrita. Os resultados indicaram relação entre o teste de percepção e a produção de erros ortográficos relacionados aos segmentos róticos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista (Con) Textos Linguísticos


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.