FIGURAS DE RETÓRICA EM UM TEXTO MULTIMODAL: A RELAÇÃO CENA-TRILHA SONORA EM RELATOS SELVAGENS

Autores

Resumo

Resumo: É de conhecimento geral que a música é detentora de um caráter altamente envolvente. Um conhecimento que não é tão usual assim é de que a música pode ser empregada fitando diversos fins persuasivos. Em especial, a trilha sonora constitui um elemento altamente significativo quando aliada às cenas de uma peça cinematográfica. Como elemento essencial de um texto multimodal fílmico, a trilha sonora do sexto episódio do filme argentino Relatos Selvagens (2014), Até que a morte nos separe, juntamente com as demais linguagens que a acompanham, constitui o corpus do nosso trabalho. O objetivo desta pesquisa é, pois, evidenciar a relação da trilha sonora com as cenas do corpus selecionado com vistas a deflagrar o papel da música como catalisadora de sentidos dentro de um texto multimodal. Para tal, contaremos com alguns conceitos oriundos da teoria musical (estilos e elementos musicais) e outros advindos da Retórica (figuras retóricas e paixões aristotélicas). Por meio de uma análise qualitativa dos dados, foi possível desvelar a consolidação dos sentidos criados na inter-relação cena-trilha sonora e os possíveis desdobramentos no que concerne ao pathos, ou seja, na esfera do espectador.

Palavras-chave: Retórica. Música. Multimodalidade. Figuras de retórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Flávia Figueiredo, Universidade de Franca

Doutora em Linguística pela Unesp, com Especialização em Línguas Estrangeiras pela Universidade de Nova York (State University of New York Albany), formação em Psicanálise pela APVP (Associação Psicanalítica do Vale do Paraíba) e Graduação em Letras pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas). Por dez anos, atuou como Coordenadora dos Cursos de Graduação em Letras e Tradutor e Intérprete e das Especializações em Língua Portuguesa e Língua Inglesa na Universidade de Franca. Atualmente, é Vice-Coordenadora do Programa de Mestrado em Linguística nessa mesma instituição, onde atua na graduação em Letras e como docente permanente do Mestrado em Linguística.

Valmir Ferreira dos Santos Junior, Universidade de Franca

Graduação em letras tradutor e intérprete em andamento pela Universidade de Franca (UNIFRAN). Membro do grupo PARE (Pesquisa em Argumentação e Retórica). com pesquisa em andamento na área de retórica musical. Tem interesse em pesquisas em torno dos seguintes temas: relações entre ethos retórico e gênero do discurso; Linguística; gêneros textuais/discursivos e ensino; ethos, pathos e logos em textos verbo-visuais; intertextualidade como estratégia persuasiva; questões de autoria no texto científico; retórica musical; interrelação do pathos e o auditório; e música. Bolsista FAPESP de Iniciação Científica.

Publicado

2018-08-02