Comunicação científica digital em Libras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/cl.v15i32.35713

Palavras-chave:

Língua Brasileira de Sinais, Comunicação Digital, Produção Científica, Hipermídia

Resumo

A incorporação de hipermídia nas publicações científicas contemporâneas apresenta-se como uma possibilidade de refletirmos sobre uma comunicação científica inclusiva e acessível para os pesquisadores surdos. Assim, nosso estudo tem como objetivo analisar propostas nacionais de comunicação científica periódica em Libras (Língua Brasileira de Sinais). Para isso, catalogamos e examinamos diferentes materiais, a saber: documentos oficiais que orientam a produção e divulgação de conteúdo em Libras; e normas ou artigos de periódicos científicos que contemplam a publicação em Libras. Fundamentamos nosso trabalho nos estudos de Marques e Oliveira (2012), Braga (2013) e Ferreira (2014; 2017), dentre outros pesquisadores. Os resultados das análises apontam para a incipiência de orientações e normas oficiais de elaboração de conteúdo científico em Libras videossinalizada, em âmbito nacional. Além disso, há um quantitativo ínfimo de periódicos científicos que oferecem seus relatos de pesquisa acessíveis à comunidade surda. Sendo assim, apresentamos uma proposta de reestruturação e criação de periódicos bilíngues (Português-Libras ou Libras-Português), atrelada a um conjunto de características técnicas mínimas para produções videossinalizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Pazoline da Silva Ferreira, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Doutor em Letras (Estudos Linguísticos) pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); mestre em Letras (Estudos Linguísticos) pela Universidade Federal de Sergipe (UFS); especialista em Língua Portuguesa e Literatura pela Faculdade São Luís de França (FSLF) e graduado em Letras-Português pela UFS. Realizou estágio doutoral na Université de Paris VIII (França).

Lorena Gomes Freitas de Castro, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Letras (Estudos Linguísticos) da Universidade Federal de Sergipe (UFS); mestra em Letras (Estudos Linguísticos) pela mesma instituição; especialista em Tradução e Interpretação em Língua Brasileira de Sinais pela Faculdade Jardins (FAJAR) e graduada em Letras-Português pela UFS.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15.290: Acessibilidade em comunicação na televisão. Rio de Janeiro, 2016a.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15610-3: Televisão digital terrestre - Acessibilidade - Parte 3: Língua de Sinais (LIBRAS). Rio de Janeiro, 2016b.

BAZERMAN, C. Gênero, agência e escrita. São Paulo: Cortez, 2006.

BOLTER, J. D. Writing space: the computer, hypertext, and the history of writing. Hillsdale, NJ: Erlbaum, 1991.

BRAGA, D. B. Ambientes digitais: reflexões teóricas e práticas. São Paulo: Cortez, 2013.

BRASIL. Decreto Nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. 2005.

BRASIL. Lei 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e dá outras providências. 2002.

DESU/INES. Manual para normalização de trabalhos monográficos em Libras e língua portuguesa do DESU/INES. 2015. Disponível em: http://www.ines.gov.br/images/desu/Manual-de-Monografia-em-Libras-e-LP-2015.pdf. Acesso em: 25 mar. 2021.

FERREIRA, L. P. da S. Ciencidade: o ciberartigo como gênero emergente na web. 2014. 118 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Sergipe, 2014. Disponível em: https://ri.ufs.br/handle/riufs/5699. Acesso em: 30 jan. 2021.

FERREIRA, L. P. da S. Ciberartigo: um modelo de produção (hiper)textual na comunicação científica online. 2017. 277 f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pernambuco, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/29673. Acesso em: 30 jan. 2021.

FERREIRA, L. P. da S.; SOUZA, B. S. de; SILVA, L. O.; SILVA, J. L. D. da. Comunicação científica em hipermídia: um mapeamento de periódicos nas áreas de Letras, Linguística e Artes. Hipertextus Revista Digital, Recife, v. 23, n. 1, p. 4-16, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/hipertextus/article/view/250620. Acesso em: 02 dez. 2021.

GROSS, A.; HARMON, J.; REIDY, M. Communicating Science: The Scientific Article from the 17th Century to the Present. New York: Oxford University Press, 2002.

INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS. Conheça o INES. Disponível em: https://www.ines.gov.br/conheca-o-ines. Acesso em: 27 mar. 2021.

LANDOW, G.P. Hypertext: the convergence of contemporary critical theory and technology. Baltimore, MD: Johns Hopkins University Press, 1992.

LANHAM, R. The electronic word: democracy, technology, and the arts. Chicago: University of Chicago Press, 1994.

MARCUSCHI, L. A. Revistas brasileiras em Letras e Lingüística. DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 17, n. esp., p. 83-120, 2001. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-44502001000300007. Acesso em: 30 jan. 2021.

MARQUES, R. R.; OLIVEIRA, J. S. A normatização de artigos acadêmicos em Libras e sua relevância como instrumento de constituição de corpus de referência para tradutores. 2012. Disponível em: http://www.congressotils.com.br/anais/anais/tils2012_metodologias_traducao_marquesoliveira.pdf. Acesso em: 11 mar. 2021.

MILLER, C. R. Estudos sobre: gênero textual, agência e tecnologia. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2009.

OWEN, M. The Scientific Article in the Age of Digitization. Amsterdam, University of Amsterdam, 2005.

PACKER, A. L. Os periódicos brasileiros e a comunicação da pesquisa nacional. Rev. USP, São Paulo, n. 89, 2011. Disponível em: http://rusp.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-99892011000200004&lng=en&nrm=iso. Acesso em 01 junho de 2021.

QUADROS, R. M. Libras. São Paulo: Parábola, 2019.

QUADROS, R. M.; KARNOPP, L. B. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SILVA, R. C. da. Gêneros emergentes em Libras da esfera acadêmica: a prova como foco de análise. 2019. 241 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/214869. Acesso em: 30 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-16