ANÁLISE MULTISSISTÊMICA DAS CONSTRUÇÕES APOSITIVAS EM ARTIGOS DE OPINIÃO

Autores

  • Lúcia Helena Peyroton da Rocha UFES
  • Gesieny Laurett Neves Damasceno

Resumo

O processo conhecido como aposição é formado pela unidade A, base, e pela unidade B, apositiva, e tem sido tratado como uma relação gramatical constituída, predominantemente, por sintagmas nominais – embora possa se realizar como aposição não-nominal e oracional. Neste trabalho, buscou-se investigar a relevância da aposição na construção dos significados dos textos. Para tanto, empreendemos uma descrição que buscou investigar o modo como as estruturas apositivas são ativadas em textos pertencentes ao gênero artigo de opinião e os sentidos que são construídos a partir dessas codificações. Para tanto, consideramos a correlação existente entre os sistemas gramatical, semântico e discursivo, vistos aqui como um complexo independente, porém não-estanque. Os preceitos fundamentais do funcionalismo linguístico e os postulados da teoria multissistêmica funcionalista-cognitivista constituíram-se como aportes teóricos das discussões instauradas aqui. Quanto ao objeto de investigação desta pesquisa, buscamos suporte nas proposições teóricas da Linguística Sistêmico-Funcional e no referencial analítico desenvolvido por Meyer (1992) e por Nogueira (1999). O corpus do trabalho foi formado por 55 ocorrências de aposições, extraídas de quatro artigos veiculados na revista Veja, no período de maio de 2007 a dezembro de 2008. As análises feitas quanto à frequência das codificações dos sistemas semântico, gramatical e discursivo entre as unidades em aposição permitiram ratificar a ideia de que as estruturas apositivas auxiliam, de maneira significativa, na construção dos sentidos dos textos, contribuindo para o cumprimento dos propósitos sócio-comunicativos dos gêneros textuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-07-14