O programa residência pedagógica na perspectiva dos preceptores da área de ciências da natureza, na Universidade de Brasília

Autores

  • Farah Camila Murtadha Universidade de Brasília
  • Ana Júlia Pedreira Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.47456/krkr.v2i5.32466

Resumo

A formação docente pode ser dividida em inicial e continuada, sendo a primeira a graduação e a segunda qualquer processo formativo que venha ocorrer após essa. O Programa Residência Pedagógica foi realizado durante os anos de 2018 e 2019, auxiliando no processo de formação dos discentes de licenciatura, complementando os estágios supervisionados obrigatórios da Universidade de Brasília. Isso se deve ao fato de que, os estágios têm como maior foco, a regência, não dispondo de muito tempo para outras atividades extraclasse. O Programa Residência Pedagógica de 2018 totalizou 440h de imersão do residente, possibilitando o desenvolvimento de outras atividades essenciais para a futura prática docente, favorecendo assim, a formação dos licenciandos. O objetivo dessa pesquisa, foi de investigar a percepção dos preceptores dos subprojetos da área de Ciências da Natureza, sobre o impacto do Programa na formação inicial de professores. Para isso, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com os preceptores, seguidos de uma análise de conteúdo. Como resultados observou-se que todos os preceptores reconhecem que o Programa Residência Pedagógica colaborou para a formação dos residentes e reforçam que não foi unidirecional, ou seja, o Programa também acrescentou na formação continuada dos próprios. São apontadas, também, críticas, tais como o não esclarecimento de algumas informações e a falta de acompanhamento. Porém, conclui-se que, na visão deles, a RP trouxe vantagens para a formação docente como um todo, aspirando a continuidade do projeto, com futuros editais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Edição

Seção

Dossiê: Formação inicial de professores em foco: os programas PIBID e Residência