Imagens da infância na Atenas clássica

Autores

  • Alexandre Santos de Moraes Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Fábio de Souza Lessa Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.17648/rom.v0i16.33015

Palavras-chave:

Infância, Cerâmica ática, Atenas clássica, Afeto familiar

Resumo

Neste texto, propomos uma reflexão sobre o espaço ocupado pela infância na sociedade ateniense do período clássico (séculos V e IV a.C.). Partiremos da dificuldade de demarcação e conceitualização dessa faixa etária entre os helenos e da sua visão social negativa para entender a importância das crianças em Atenas, para além da perpetuação do grupo doméstico e da pólis, pensando nas suas relações de afeto familiar e na sua socialização por meio de jogos e de brincadeiras infantis. As imagens áticas pintadas em suporte cerâmico serão a documentação essencial para o presente estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio de Souza Lessa, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professor do Programa de Pós-Graduação em História Comparada da Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestre e doutor em História Social pela mesma instituição e pesquisador do Laboratório de História Antiga.  É também membro colaborador do Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra.

Referências

Documentação textual

ARISTÓFANES. As nuvens. As aves. As rãs. Tradução de Mário da Gama Kury. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

ARISTÓTELES. Ética a Eudemo. Tradução de Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2015.

ARISTÓTELES. Política. Tradução de Mário da Gama Kury. Brasília: UnB, 1988.

ARISTÓTELES. Política. Tradução de António C. Amaral e Carlos C. Gomes. Lisboa: Vega, 1998.

HERÓDOTO. Histórias: Livro I. Tradução de Maria Aparecida de Oliveira Silva. São Paulo: Edipro, 2015.

HOMERO. Odisseia. Tradução de Frederico Lourenço. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

HOMERO. Ilíada. Tradução de Frederico Lourenço. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

PLATÃO. A República. Tradução de G. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2010.

XENOFONTE. Econômico. Tradução de Anna Lia A. A. Prado. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

Documentação visual

CORPUS VASORUM ANTIQUORUM. Robinson Collection, III, 1, Plate XLIV. Disponível em: <https://www.beazley.ox.ac.uk/index.htm> e <https://www.britishmuseum.org/collection/object>. Acesso em: 13/11/2020.

Obras de referência

BAILLY, A. Dictionnaire Grec-Français. Paris: Hachette, 2000.

BEEKES, R. Etymological dictionary of Greek. Leiden; Boston: Brill, 2010.

CHANTRAINE, P. Dictionaire étymologique de la langue grècque: histoire des mots. Paris: E. Klincksieck, 1983.

LIDDELL, H. G.; SCOTT’S, R. An intermediate Greek-English lexicon. Oxford: Clarendon Press, 1992.

MONTANARI, F. Vocabolario della lingua greca. Torino: Loescher, 2000.

Obras de apoio

ARIÈS, Ph. História Social da criança e da família. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

ARIÈS, Ph. L’Enfant et la vie familiale sous l’Ancien Régime. Paris: Seuil, 1973.

BOURDIEU, P. A economia das trocas linguísticas. São Paulo: Edusp, 2008.

CALAME, Cl. Le récit en Grèce Ancienne: enonciations et représentations de poètes. Paris: Meridiens Klincksieck, 1986.

CONDE, M. M. Las edades de la vida: infancia y vejez a través de la iconografía griega. In: IRIARTE, A.; FERREIRA, L. N. (coord.). Idades e gênero na literatura e na arte da Grécia antiga. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2015, p. 31-60.

DEBERT, A. G. A Antropologia e o estudo dos grupos e das categorias de idade. In: BARROS, M. M. L. (org.). Velhice ou Terceira Idade? Estudos antropológicos sobre identidade, memória e política. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2007, p. 49-58.

EDMUNDS, S. T. Homeric nēpios. London: Garland, 1990.

EISENSTADT, S. N. De geração a geração. São Paulo: Perspectiva, 1976.

FALKNER, T. M. The politics and the poetics of time in Solon’s “Ten Ages”. The Classical Journal, v. 86, n. 1, p. 1-15, 1990.

FERREIRA, L.N. A criança na Grécia antiga: concepções, normas e representações. In: FONSECA, C. F. (ed.). Crianças e adolescentes: uma abordagem multidisciplinar. Coimbra: Almedina, 2010, p. 137-172.

FERREIRA, L.N. A representação de crianças na arte grega. In: SOARES, C.; FIALHO, M. C.; MORÁN, M. C. A.; MONTIEL, R. M. I. (coord.). Norma & transgressão II. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2011, p. 59-96.

FLACELIÈRE, R. A vida quotidiana dos gregos na época de Péricles. Lisboa: Livros do Brasil, 1988.

FORBES, C. A. Neoi: a contribution to the study of Greek associations. Connecticut: The American Philological Association, 1933.

FORTES, M. Age, generation and social structure. In: KERTZER, D. I.; KEITH, J. (ed.). Age and anthropological theory. London: Cornell University Press, 1984, p. 99-122.

GARLAND, R. Daily life of the ancient Greek. Indianapolis: Hackett, 2009

GOLDEN, M. Children and childhood in Classical Athens. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1993.

GROPPO, L. A. Juventude: ensaios sobre sociologia e história das juventudes modernas. Rio de Janeiro: Difel, 2000.

IRWIN, M. W. Odysseus’ “Hyacinthine Hair” in “Odyssey” 6.231. Phoenix, v. 44, n. 3, p. 205-18, 1990.

JAEGER, W. Paidéia: a formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

JEANMAIRE, H. Couroi et courètes: essai sur l’éducation spartiate et sur les rites d’adolescence dans l’Antiquité Hellénique. Lille: Bibliothèque Universitaire, 1939.

KLEIN, A. E. Child life in Greek Art. New York: Columbia University Press, 1932.

LACROIX, M. Ἤπιος, νήπιος. In: MELANGES OFFERTS A A.M. DESROUSSEAUX par ses amis et ses élèves: en l’honneur de sa cinquantième année d’enseignement supérieur (1887-1937). Paris: Hachette, 1937, p. 261-272.

LANGDON, S. Art and identity in Dark Age Greece, 1100-700 B.C.E. New York: Cambridge University Press, 2008.

LESSA, F.S. Mulheres de Atenas: Mélissa do gineceu à agorá. Rio de Janeiro: Mauad X, 2010.

LEVI, G.; SCHMITT, J-Cl. Introdução. In: ______. (org.). História dos Jovens: da Antiguidade à Era Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p. 7-17.

LIMA, A. C. C. Cultura popular em Atenas no V século a.C. Rio de Janeiro: Letras, 2000.

LISSARRAGUE, F. A Figuração das mulheres. In: DUBY, G.; PERROT, M. (org.). História das mulheres no Ocidente. Porto: Afrontamento, 1993. v. 1.

MAFFRE, J-P. A vida na Grécia clássica. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

MALINOWSKI, B. Crime e costume na sociedade selvagem. Brasília: Editora da UnB, 2008.

MALINOWSKI, B. The sexual life of savages in North Western Melanesia. New York: Eugenics, 1929.

MANNHEIM, K. Funções das gerações novas. In: PEREIRA, L.; FORACCHI, M. M. (org.). Educação e sociedade. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976, p. 91-97.

MCNIVEN, T. J. Behaving like a child immature. In: COHEN, A.; RUTTER, J. B. (ed.). Construction of childhood in Ancient Greece and Italy. Athens: The American School of Classical Studies at Athens, 2007, p. 85-99.

MEAD, M. Adolescencia y cultura en Samoa. Barcelona: Paidós, 1990.

MEAD, M. Coming of age in Samoa. New York: William Morrow & Company, 1928.

MORAES, A. S. Curso de vida e construção social das idades no mundo de Homero (séc. X ao IX a.C.): uma análise sobre a formação dos habitus etários na Ilíada e Odisseia. Tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense. Niterói: UFF, 2013.

ROBERTSON, M.; BEARD, M. Adopting an approach. In: RASMUSSENT, T.; SPIVEY, N. (ed.). Looking at Greek vases. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

SAVAGE, J. A criação da juventude: como o conceito teenage revolucionou o século XX. São Paulo: Rocco, 2009.

SCHMITT PANTEL, P. Uma história pessoal: os mitos gregos. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2019.

SCHNAPP, A. A imagem dos jovens na cidade grega. In: LEVI, G.; SCHMITT, J-Cl. (org.). História dos jovens: da Antiguidade à Era Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p. 19-57.

SOARES, C. Crianças jovens nas ‘Vidas’ de Plutarco. Coimbra: CECH, 2011.

VERNANT, J-P. A morte nos olhos: figuração do outro na Grécia antiga, Ártemis e Gorgó. Rio de Janeiro: Zahar, 1991.

WILLIAMS, D. Women on Athenian vases: problems of interpretation. In: CAMERON, A.; KUHRT, A. (ed.). Images of women in Antiquity. London: Croom Helm, 1993, p. 92-106.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

SANTOS DE MORAES, A. .; LESSA, F. de S. Imagens da infância na Atenas clássica. Romanitas - Revista de Estudos Grecolatinos, [S. l.], n. 16, p. 61–80, 2020. DOI: 10.17648/rom.v0i16.33015. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/romanitas/article/view/33015. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Narrativas sobre a infância na Antiguidade