Jogos e brincadeiras infantis na educação ateniense do Período Clássico

Autores

  • Luana Neres de Sousa Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.17648/rom.v0i16.33059

Palavras-chave:

Jogos, Brincadeiras, Educação, Infância, Grécia Antiga

Resumo

O reconhecimento da importância dos jogos e das brincadeiras no processo de interação social e de aquisição do conhecimento realizado por crianças pequenas não é exclusividade das sociedades contemporâneas. Ao analisarmos textos gregos antigos, como as Leis, de Platão, observamos que essas atividades recebem importantes reflexões acerca de sua relação com o processo educativo do futuro cidadão ateniense. Além da documentação textual, brinquedos e brincadeiras infantis são retratados em cerâmicas do período clássico, especialmente nas choes, vasos de uso exclusivo de crianças e relacionados ao contexto das Antestérias. O objetivo deste artigo é analisar a maneira como os jogos e as brincadeiras são concebidos por Platão, nas Leis, bem como são representados em três exemplares de choes dos séculos V e IV a.C., visando compreender em que medida estas atividades estavam relacionadas ao processo educativo dos meninos atenienses deste período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Documentação textual

ARISTÓFANES. As Nuvens. Tradução de G. M. R. Starzynski. São Paulo: Difel, 1967.

ARISTOPHANE. Les Acharniens. Les Cavaliers. Les Nuées. Traduit par H. Van Daele. Paris: Les Belles Lettres, 1960.

BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 5, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009. Disponível em: http://www.crmariocovas.sp.gov.br/Downloads/ccs/concurso_2013/PDFs/resol_federal_5_09.pdf. Acesso em 10/09/2020.

BRASIL. Base Nacional Curricular Comum (BNCC). Brasília: MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10/09/2020.

FÍLON DE ALEXANDRIA. Obras Completas. Traducción de J. M. Triviño.

Buenos Aires: Acervo Cultural, 1975.

PLATÃO. A República. Tradução de Edson Bini. São Paulo: Edipro, 2019.

PLATÃO. Leis. Tradução de C. H. Gomes. Lisboa: Edições 70, 2004. v. 1.

PLATÃO. Leis. Tradução de C. H. Gomes. Lisboa: Edições 70, 2019. v. 2.

PLATON. La République. Traduit par É. Chambry. Paris: Les Belles Lettres, 1949.

PLATON. Protagoras. Traduit par A. Croiset. Paris: Les Belles Lettres, 2002.

Documentação visual

KARDIANOU-MICHEL, A. Miniature Attic Red-Figure Oinochoe. Louvre - Department of Greek, Etruscan, and Roman Antiquities: Classical Greek Art (5th-4th centuries BC). Disponível em: https://www.louvre.fr/en/oeuvre-notices/miniature-attic-red-figure-oinochoe. Acesso em: 14/09/2020.

Obras de apoio

ANTUNES, C. O jogo e a Educação Infantil: falar e dizer, olhar e ver, escutar e ouvir. Petrópolis: Vozes, 2014.

BARROS, G. N. M. O espaço educativo na cidade de As Leis. In: FLORENZANO, M. B.; HIRATA, E. F. V. (org.). Estudos sobre a cidade antiga. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009. p. 53-75.

CAMBIANO, G. Tornar-se homem. In: VERNANT, J. P. (org.). O homem grego. Lisboa: Presença, 1994, p. 75-101.

CANFORA, L. O cidadão. In: VERNANT, J-P. (org.). O homem grego.

Lisboa: Presença, 1994, p. 103-129.

CERQUEIRA, F. V. As Antestérias, um ritual carnavalesco de transgressão e afirmação da ordem social na antiga Atenas (séc. VI e V A.C.). Patrimônio e Memória, v. 7, n. 1, p. 151-171, 2011.

CÓRIA SABINI, M. A.; LUCENA, R. F. Jogos e brincadeiras na educação infantil. Campinas: Papirus, 2012.

DASEN, V. Histoire et archéologie de la culture ludique dans le monde gréco-romain: questions méthodologiques. Kentron, n. 34, p. 23-50, 2018.

DORIA, F.; GIUMAN, M. The swinging woman: Phaedra and swing in Classical Greece. Medea, v. 1, n. 2, p. 1-34, 2016.

FERREIRA, L. N. Crianças na arte grega: representações sociais e convenções artísticas. In: SOARES, C. et. al. (org.). Norma & transgressão. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2011, p. 59-95. v. 2.

FERREIRA, L. N.; RODRIGUES, N. S. Tornar-se adulto na Antiguidade Clássica. In: FONSECA, A. C. (org.). Jovens adultos. Coimbra: Almedina, 2014, p. 87-130.

GARCIA, R. M. R.; MARQUES, L. A. Brincadeiras cantadas. Porto Alegre: Kuarup, 1990.

GARLAND, R. Children in Athenian religion. In: GRUBBS, J. E.; PARKIN, T. (ed.). Oxford handbook of childhood and education in the Classical World. New York: Oxford University, 2013, p. 207-226.

GOLDEN, M. Children and childhood in classical Athens. Baltimore: Johns

Hopkins University, 2015.

GOMES, C. H. Introdução. In: PLATÃO. Leis. Lisboa: Edições 70, 2004, p. 7-57.

GRIMAL, P. Dicionário da mitologia grega e romana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992.

HAM, G. L. The choes and Anthesteria reconsidered: male maturation rites and the Peloponnesian Wars. In: PADILLA, M. W. (ed.). Rites of passage in Ancient Greece: literature, religion, society. Lewisburg: Bucknell University Press, 1999, p. 201-218.

KIDD, S. E. Play and aesthetics in Ancient Greece. Cambridge: Cambridge University Press, 2019.

KISHIMOTO, T. M. O jogo e a educação infantil. In: ______. (org). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 2011, p. 15-48.

LESKY, A. História da literatura grega. Lisboa: Fundação Calluste Gulbenkian, 1995.

LYNCH, K. M.; PAPADOPOULOS, J. K. Sella cacatoria: a study of the potty

in Archaic and Classical Athens. Hesperia, v. 75, n. 1, p. 1-32, 2006.

MARROU, H. I. História da Educação na Antiguidade. São Paulo: EPU, 1990.

MOSSÉ, C. Dicionário da Civilização Grega. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

NEILS, J.; OAKLEY, J. (ed.). Coming of age in Ancient Greece: images of childhood from the classical past. New Haven: Yale University Press, 2003.

OAKLEY, J. H. Children in Archaic and Classical Greek Art: a survey. In: GRUBBS, J. E.; PARKIN, T. (ed.). Oxford handbook of childhood and education in the Classical World. New York: Oxford University Press, 2013, p. 147-171.

PARKE, H. W. Festivals of the Athenians. New York: Cornell University Press, 1994.

QUEIROZ, J. F.; SANTOS, L. O advento da Base Nacional Comum Curricular sob as perspectivas teórico-epistemológicas de Piaget, Wallon e Vygotsky. Semana Acadêmica, n. 160, v. 1, p. 1-14, 2019.

SOMMER, M. S. Toys, play and swaddling: indications of early childhood in Ancient Greece. In: FAHLANDER, F. (ed.). Spåren av de små: arkeologiska perspektiv på barn och barndom. Stockholms: Stockholms universitet, 2011, p. 145-159.

SOUSA, L. N. Havia entre os atenienses do período clássico a ideia de infância? Uma possibilidade de análise do diálogo entre a cerâmica grega e a Filosofia. Revista de História da UEG, n. 8, v. 2, p. 1-19, 2019.

VEGETTI, M. O homem e os deuses. In: VERNANT, J. P. (org.). O homem grego. Lisboa: Presença, 1994, p. 229-253.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

DE SOUSA, L. N. Jogos e brincadeiras infantis na educação ateniense do Período Clássico. Romanitas - Revista de Estudos Grecolatinos, [S. l.], n. 16, p. 81–100, 2020. DOI: 10.17648/rom.v0i16.33059. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/romanitas/article/view/33059. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Narrativas sobre a infância na Antiguidade