A província do Espírito Santo: redes mercantis e a emancipação da América portuguesa (1815 - 1825)

Autores

  • Rodrigo da Silva Goularte Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES)

DOI:

https://doi.org/10.47456/e-2022330103

Palavras-chave:

Independência, Brasil, Espírito Santo, Laços Mercantis

Resumo

A ruptura política entre Brasil e Portugal foi orientada não apenas pelos  acontecimentos no Rio de Janeiro - sede da regência de D. Pedro - e nas Cortes lisboetas, mas também por diferentes conjunturas regionais da  América portuguesa. No caso do Espírito Santo, as relações comerciais dos negociantes dessa província com portos baianos e do Rio de Janeiro desde o início do século XIX foram de grande importância para que as autoridades locais, vinculadas a esse comércio interprovincial, se decidissem politicamente no ano de 1822 entre a adesão às Cortes ou à regência de D. Pedro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo da Silva Goularte, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES)

Licenciado e mestre em História pela Universidade Federal do Espírito Santo. Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente leciona para o ensino médio e para a graduação no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES). Interessado nos seguintes temas: História Regional, História Política e conflitos sociais.

Referências

Fontes

A Gazeta do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1808-1822. Disponível em: <http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_periodicos/gazeta_rj/gazeta.htm.>

ARQUIVO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Fundo Governadoria Série 751. Livro 05 Registro de Provisões. Vitória.

ARQUIVO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Fundo Governadoria Série 751 livros. Nº 14 Registro de Ofícios expedidos pela Junta de Governo Provisório. Vitória.

ARQUIVO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Série 751 livros 22 e 26. Vitória.

ARQUIVO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Fundo Governadoria Série 751 livros. Registro de Ofícios do Governo Provisório. Vitória.

ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO – CTA: AHU – Espírito Santo, cx. 08, docs. 08, 46, 47.

ARQUIVO NACIONAL. Série Interior Idd 9 – 607. Rio de Janeiro.

Obras Gerais

CAMPOS, A. P. Escravidão e creolização: a capitania do Espírito Santo, 1790-1815. In: FRAGOSO, F.; FLORENTINO, M., SAMPAIO, J; CAMPOS, A (Org.). Nas rotas do Império: eixos mercantis, tráfico e relações sociais no mundo português. Vitória: Edufes, 2006. p. 571- 608.

CARVALHO, E. F. 2008. Política e economia mercantil nas terras do Espírito Santo (1790 a 1821). Vitória: PPGHIS - UFES, 2008.

CARVALHO, E. F. Redes Mercantis: a participação do Espírito Santo no complexo econômico colonial de 1770-1821. Vitória: Secult, 2010.

CHRYSOSTOMO, M. I. J. Ideias em Ordenamento, Cidades em Formação: a produção da rede urbana na província do Rio de Janeiro. PPGHIS - UFRJ, 2006.

DAEMON, B. História, descoberta e estatística do Espírito Santo. Vitória: Tipografia do Espírito-Santense, 1879.

FRAGOSO, J. Homens de Grossa Aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro (1790 - 1830). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

GORENSTEIN, R. Comércio e política. In: GORENSTEIN, R.; MARTINHO, L. (Org.). Negociantes e Caixeiros na Sociedade da Independência. Rio de Janeiro: Biblioteca Carioca, 1993. p. 125-240.

MARTINS, M. F. V. Das racionalidades da História: O Império do Brasil em perspectiva teórica. Almanack, São Paulo, n.4., p. 53-61, 2012. https://doi.org/10.1590/2236-463320120403 DOI: https://doi.org/10.1590/2236-463320120403

MELLO, E. C. A outra independência: o federalismo pernambucano de 1817 a 1824. São Paulo: Editora 34, 2004.

MONJARDIM, L. P. História Política da família Monjardim. Vitória: Lei Rubem Braga, 2003.

NEVES, L. M. B. P. Corcundas e Constitucionais: cultura e política (1820 - 1823). Rio de Janeiro: REVAN/FAPERJ, 2003.

PENA, M. F. História da Província do Espírito Santo. Rio de Janeiro: Tipografia de Moreira, 1878.

RIBEIRO, G. S. A liberdade em construção. Rio de Janeiro: Relume Dumará/FAPERJ, 2002.

RIBEIRO, G. S.; PEREIRA, V. In: GRINBERG, K.; SALLES, R. O Primeiro Reinado em Revisão. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, p. 137-174.

SAINT-HILAIRE, A. Viagem ao Espírito Santo e Rio Doce. Belo Horizonte: Editora da USP/Livraria Itatiaia Editora LTDA, 1974.

SANTOS, E. F. O território do Espírito Santo no fim da era colonial. In: BITTENCOURT, G. Espírito Santo: um painel da nossa história. Vitória: Imprensa Oficial, 2002. p. 123-154.

SILVEIRA, P. G. A Metrópole é aqui: redes de abastecimento e o porto do Rio de Janeiro no comércio de Cabotagem, 1799-1822. Rio de Janeiro: PPGHIS/UFRJ, 2013.

SOUZA, I. L. F. S. C. Pátria Coroada: o Brasil como corpo político autônomo. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1999.

VASCONCELLOS, I. A. Memória Estatística da Província do Espírito Santo escrita no ano de 1828. Vitória: Arquivo Público do Estado do Espírito Santo, 1978.

Downloads

Publicado

25-08-2022

Como Citar

GOULARTE, R. da S. A província do Espírito Santo: redes mercantis e a emancipação da América portuguesa (1815 - 1825). Revista Ágora, [S. l.], v. 33, n. 1, p. e–2022330103, 2022. DOI: 10.47456/e-2022330103. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/34533. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

A Independência e a diversidade de projetos provinciais