TERAPÊUTICA CLÍNICA E CONDUTAS ADJUVANTES NA HEPATITE ALCOÓLICA

CLINICAL THERAPEUTIC AND ADJUVANT CONDUCT IN ALCOHOLIC HEPATITIS

Autores

Palavras-chave:

Doença Hepática Alcoólica, Hepatites Alcoólicas, Tratamento

Resumo

Doença Hepática Alcoólica é um dos piores problemas advindos do abuso do álcool. Manifesta-se por sequelas hepáticas, como: esteatose, hepatite, fibrose e cirrose. O objetivo do estudo é identificar quais medicações e condutas tem benefícios comprovados no tratamento Hepática Alcoólica. Realizou-se uma revisão integrativa, baseada na pergunta norteadora: quais medicações e condutas, tem benefícios comprovados no tratamento da hepatite alcoólica? A busca pelos artigos ocorreram nas bases LILACS, SCIELO e MEDLINE utilizando descritores cadastrados nos DeCS: Doença Hepática Alcoólica, Tratamento e Hepatite Alcoólica. Os critérios de inclusão foram: textos completos, estudos em humanos e guidelines, publicasos nos últimos 10 anos. Os estudos mostram que a abstenção do álcool é a primeira e mais importante medida na condução da hepatite alcoólica. Corticóides continuam como opção medicamentosa primária para tratar hepatite alcoólica. A Pentoxifilina apesar de utilizada em casos que culminam na síndrome hepatorrenal, tem benefícios questionáveis. Transplante hepático precoce tem indicação quando não há resposta a corticóides. Há medicamentos adjuvantes como antidepressivos e anticonvulsivantes no contexto do tratamento contra abuso de álcool. O manejo da hepatite alcoólica no departamento de emergência exige uma abordagem multidisciplinar objetivando questões medicamentosas, dietéticas e comportamentais, fazendo uso de medicamentos específicos como corticóides e adjuvantes ao alcoolismo, além de adequada terapia nutricional e comportamental para redução da morbimortalidade. Transplante hepático, apesar de ainda ser a terapia definitiva, ainda não possui protocolo específico para sua indicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ankilma do Nascimento Andrade Feitosa, Faculdade Santa Maria de Cajazeiras

Pós-doutorado em andamento pela Universidade Federal de Campina Grande. Doutora em Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina do ABC. Possui Mestrado (2010) e Licenciatura (2009) em Enfermagem Pela Universidade Federal da Paraíba. Especialização em Auditoria em Serviços de Saúde . Especialização em Saúde da Família pela UFPB. Especialista em Processos Educacionais na Saúde pelo Sírio libanês.Graduação em Enfermagem pela Faculdade Santa Emília de Rodat (2005). Atualmente é docente da Faculdade Santa Maria-PB, dos cursos de Medicina e Enfermagem. Atuou como Tutora do curso de Especialização em Gestão das Clínica nas Regiões de Saúde - Sírio Libanês.Revisora Técnica-pedagógica de Itens do Banco Nacional de Itens (BNI) da Educação Superior. Compõe o Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (BASis). Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Fundamentos do cuidar em Enfermagem, Saúde do Idoso e Saúde Coletiva.

Carlos Américo da Costa Moraes, Faculdade Santa Maria em Cajazeiras-PB.

Possui graduação em Odontologia pela Universidade Federal do Ceará (2001). Atualmente Cursando 8o semestre de Medicina pela Faculdade Santa Maria em Cajazeiras-PB.

Ingridy Michely Gadelha do Nascimento, Faculdade Santa Maria de Cajazeiras

Graduanda em Enfermagem pela Faculdade Santa Maria - (FSM), Cajazeiras, Paraíba. Faz parte do Projeto Gráfico e Diagramação da Revista Interdisciplinar em Saúde - (RIS). Atualmente é membro do grupo de pesquisa Inovações Tecnológicas no Ensino Superior: Desafios Contemporâneos e de estudos e pesquisa na área da saúde do idoso. Na atuação acadêmica foi monitora da disciplina de Fundamentos do Cuidar em Enfermagem I para o curso de Enfermagem, e participou de dois projetos de extensão da Faculdade Santa Maria. Foi palestrante em escolas de rede municipal e estadual. Ministrou minicursos sobre a construção de trabalhos científicos e manuseio da plataforma Lattes abertos ao público geral. Atuou na comissão organizadora do XVI Encontro Acadêmico do Nordeste (XII Encontro de Iniciação Científica, II Seminário do Pacto de Educação em Direitos Humanos) promovido pela FSM e na Monitoria do V Congresso Brasileiro de Urgência e Emergência promovido pela ASPEPB.

Raimunda Leite de Alencar Neta

Graduanda em Enfermagem pela Faculdade Santa Maria (FSM), Cajazeiras, Paraíba. Membro da Comissão de Escrita Científica (CEsC) da Faculdade Santa Maria; e Membro da Comissão Própria de Avaliação (CPA). Na atuação acadêmica participa do projeto de pesquisa "Saúde, Gênero e Sexualidade das Pessoas Privadas de Liberdade"; É membro do Grupo de Inovações tecnológicas no ensino superior: desafios contemporâneos. E faz parte do Grupo de Estudos e Pesquisa na Área da Saúde do Idoso. Atualmente é monitora da disciplina Fundamentos do Cuidar em Enfermagem I. Já atuou como colaboradora na coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da Faculdade Santa Maria; Ministrou minicursos voltados para a inovação tecnológica; Foi monitora da disciplina de Imunologia Básica para os cursos de: Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição e Odontologia; Foi membro no projeto de extensão "Qualidade de Vida no Trabalho"; E participou do projeto de pesquisa "Uso de Plantas Medicinais e Aromáticas ao Uso em Animais em Estudos não Clínicos". Durante participação em eventos científicos ganhou premiação a nível nacional. Atua principalmente nas seguintes áreas: Promoção da Saúde, Educação em Saúde, Imunologia, Sexo e Sexualidade e Oncologia.

Luciana Modesto de Brito, Faculdade Santa Maria de Cajazeiras

Possui Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina Nova Esperança - FAMENE (2011), e em Administração pelo Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ (2002). Possui Especialização em Preceptoria em residencia médica no SUS pelo Hospital Sírio-Libanês. Especialização em Medicina Intensiva pela Faculdade Redentor, Mestranda pela UFCG. Atualmente é Médica Intervencionista do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Médica Plantonista da Unidade de Pronto Atendimento (UPA - Cajazeiras). Atua na Faculdade Santa Maria de Cajazeiras como: Docente do curso de Medicina, Diretora Técnica da Policlínica Santa Maria, Coordenadora do Internato Médico e Supervisora do rodízio do internato de Urgência e Emergência Médica. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina.

Thaise de Abreu Brasileiro Sarmento , Faculdade Santa Maria de Cajazeiras

Possui Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina Nova Esperança - FAMENE (2011). Possui Especializações em: Residência Médica pelo Hospital Universitário Osvaldo Cruz; Docência do Ensino Superior pela Faculdade Santa Maria de Cajazeiras e Preceptoria no SUS pelo Hospital Sírio-Libanês. Atualmente é Pediatra no Hospital Universitário Júlio Bandeira - HUJB. Atua na Faculdade Santa Maria de Cajazeiras como Docente e Coordenadora do Curso de Medicina, e como Supervisora do Rodízio de Pediatria. Tem experiência na área de MEDICINA, com ênfase em PEDIATRIA.

Referências

Chayanupatkul, M., & Liangpunsakul, S. (2016). Alcoholic hepatitis: a comprehensive review of pathogenesis and treatment. World Journal of Gastroenterology: WJG, 20(20), 6279.

Choudhary, N. S., Saigal, S., Gautam, D., Saraf, N., Rastogi, A., Goja, S., & Rastogi, V. (2019). Good outcome of living donor liver transplantation for severe alcoholic hepatitis not responding to medical management: A single center experience of 39 patients. Alcohol, 77, 27-30.

Crabb, D. W., Bataller, R., Chalasani, N. P., Kamath, P. S., Lucey, M., Mathurin, P., & Nagy, L. (2016). Standard definitions and common data elements for clinical trials in patients with alcoholic hepatitis: recommendation from the NIAAA Alcoholic Hepatitis Consortia. Gastroenterology, 150(4), 785-790.

Fialla, A. D., Israelsen, M., Hamberg, O., Krag, A., & Gluud, L. L. (2016). Nutritional therapy in cirrhosis or alcoholic hepatitis: a systematic review and meta‐analysis. Liver International, 35(9), 2072-2078.

Guirguis, J., Chhatwal, J., Dasarathy, J., Rivas, J., McMichael, D., Nagy, L. E., & Dasarathy, S. (2016). Clinical impact of alcohol‐related cirrhosis in the next decade: estimates based on current epidemiological trends in the United States. Alcoholism: Clinical and Experimental Research, 39(11), 2085-2094.

Gustot, T., Fernandez, J., Szabo, G., Albillos, A., Louvet, A., Jalan, R., & Moreno, C. (2017). Sepsis in alcohol-related liver disease. Journal of hepatology, 67(5), 1031-1050.

Jaruvongvanich, V., Sanguankeo, A., & Upala, S. (2016). Effect of SIRS and sepsis on mortality in alcoholic hepatitis: A systematic review and meta-analysis. Turk J Gastroenterol, 27(5), 458-463.

Louvet, A., Labreuche, J., Artru, F., Boursier, J., Kim, D. J., O’Grady, J., & Diaz, E. (2016). Combining data from liver disease scoring systems better predicts outcomes of patients with alcoholic hepatitis. Gastroenterology, 149(2), 398-406.

Melo, A. P. S., França, E. B., Malta, D. C., Garcia, L. P., Mooney, M., & Naghavi, M. (2017). Mortalidade por cirrose, câncer hepático e transtornos devidos ao uso de álcool: Carga Global de Doenças no Brasil, 1990 e 2015. Revista Brasileira de Epidemiologia, 20, 61-74.

Njei, B. A. D., McCarty, T. R., & Fortune, B. E. (2016). Corticosteroids versus pentoxifylline for severe alcoholic hepatitis: a sequential analysis of randomized controlled trials. Journal of clinical gastroenterology, 50(10), 871.

Osna, N. A., Donohue Jr, T. M., & Kharbanda, K. K. (2017). Alcoholic liver disease: Pathogenesis and current management. Alcohol research: current reviews, 38(2), 147.

Poole, R., Kennedy, O. J., Roderick, P., Fallowfield, J. A., Hayes, P. C., & Parkes, J. (2017). Coffee consumption and health: umbrella review of meta-analyses of multiple health outcomes. bmj, 359.

Roerecke, M., & Rehm, J. (2016). Cause-specific mortality risk in alcohol use disorder treatment patients: a systematic review and meta-analysis. International journal of epidemiology, 43(3), 906-919.

Seitz, H. K., Bataller, R., Cortez-Pinto, H., Gao, B., Gual, A., Lackner, C., & Tsukamoto, H. (2018). Alcoholic liver disease. Nature Reviews Disease Primers, 4(1), 1-22.

Singal, A. K., Bataller, R., Ahn, J., Kamath, P. S., & Shah, V. H. (2018). ACG clinical guideline: alcoholic liver disease. The American journal of gastroenterology, 113(2), 175.

Singal, A. K., Kodali, S., Vucovich, L. A., Darley‐Usmar, V., & Schiano, T. D. (2016). Diagnosis and treatment of alcoholic hepatitis: a systematic review. Alcoholism: Clinical and Experimental Research, 40(7), 1390-1402.

Singal, A. K., Louvet, A., Shah, V. H., & Kamath, P. S. (2018). Grand rounds: alcoholic hepatitis. Journal of hepatology, 69(2), 534-543.

Singh, S., Khera, R., Allen, A. M., Murad, M. H., & Loomba, R. (2016). Comparative effectiveness of pharmacological interventions for nonalcoholic steatohepatitis: a systematic review and network meta‐analysis. Hepatology, 62(5), 1417-1432.

Sousa, M. N. A., & Santos, E. V. L. (2016). Medicina e pesquisa: um elo possível. Curitiba: Editora Prismas.

Streba, L. A. M., Vere, C. C., Streba, C. T., & Ciurea, M. E. (2014). Focus on alcoholic liver disease: From nosography to treatment. World Journal of Gastroenterology: WJG, 20(25), 8040.

Tilg, H., Cani, P. D., & Mayer, E. A. (2016). Gut microbiome and liver diseases. Gut, 65(12), 2035-2044.

Vuittonet, C. L., Halse, M., Leggio, L., Fricchione, S. B., Brickley, M., Haass-Koffler, C. L., & Kenna, G. A. (2014). Pharmacotherapy for alcoholic patients with alcoholic liver disease. American journal of health-system pharmacy, 71(15), 1265-1276.

Publicado

2020-08-31

Como Citar

Feitosa, A. do N. A. ., Moraes, C. A. da C., Nascimento, I. M. G. do, Alencar Neta, R. L. de ., Brito, L. M. de ., & Sarmento , T. de A. B. . (2020). TERAPÊUTICA CLÍNICA E CONDUTAS ADJUVANTES NA HEPATITE ALCOÓLICA: CLINICAL THERAPEUTIC AND ADJUVANT CONDUCT IN ALCOHOLIC HEPATITIS. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 6(6), 107–115. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/bjpe/article/view/31772

Edição

Seção

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO NA SAÚDE - TECHNOLOGY AND INNOVATION IN HEALTH

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)