QUALIDADE DE VIDA E PRODUTIVIDADE DO COLABORADOR NA MODALIDADE DE TRABALHO HOME OFFICE: ESTUDO DE CASO EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO DA REGIÃO DE HORTOLÂNDIA, SP, BRASIL

EMPLOYEE'S QUALITY OF LIFE AND PRODUCTIVITY IN THE HOME OFFICE WORK MODE: A CASE STUDY IN A TEACHING INSTITUTION IN THE REGION OF HORTOLÂNDIA, SP, BRAZIL

Autores

  • Élida Taina da Silva Faculdade de Tecnologia de Sumaré - FATEC
  • Allyk de Moura Silva Faculdade de Tecnologia de Sumaré - FATEC
  • Manoel Gonçales Filho Faculdade de Tecnologia de Sumaré - FATEC

DOI:

https://doi.org/10.47456/bjpe.v8i1.37033

Palavras-chave:

Home Office, Qualidade de vida, Produtividade

Resumo

O presente estudo de caso analisa a qualidade de vida e produtividade do colaborador na modalidade home office em instituição de ensino na cidade de Hortolândia, SP, Brasil. A pesquisa possui abordagem qualitativa, método comparativo e o procedimento técnico empregado é o estudo de caso. Os resultados identificados na modalidade são o aumento dos custos da residência do colaborador, acréscimo de afazeres domésticos e, falta de infraestrutura computacional e ergonométrica. No entanto, identificou-se maior qualidade de vida e crescimento de produtividade em home office, com a capacitação da organização e a cooperação dos colaboradores, favorecendo uma relação ganha-ganha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoel Gonçales Filho, Faculdade de Tecnologia de Sumaré - FATEC

Doutor em Administração pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP) (2021) [Bolsa de doutorado integral 40 horas pelo Ministério da Educação e Ciência (CAPES)]. Mestre em Engenharia de Produção pela UNIMEP (2015) [Bolsa de mestrado integral 40 horas pela CAPES]. Administrador de Empresas graduado pela Escola de Engenharia de Piracicaba (EEP) (2002). Possui duas pós graduações LATU SENSU: Especialização em Gestão de Pessoas pela UNIMEP (2004) e MBA em Gestão Financeira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) (2006). É professor titular da Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (Fatec) vinculada ao Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza nas áreas da Administração, Contabilidade e Economia e, professor orientador de pesquisas científicas e trabalhos de conclusão de curso de MBA em Gestão de Projetos e Gestão de Pessoas do PECEGE-ESALQ-Universidade de São Paulo (USP). É autor de cinco livros na área da Administração da Produção e de mais de uma centena de artigos científicos publicados em revistas / journals e congressos nacionais e internacionais. GONÇALES FILHO, M. O interesse de pesquisa está no desenvolvimento da filosofia do Pensamento Enxuto (PE) e nas Práticas Sustentáveis: Econômicas, Ambientais e Sociais. Produção mais Limpa, Administração Geral, Gestão de Pessoas, Gestão de Projetos, Gestão da Cadeia de Suprimentos e Logística, Empreendedorismo, Inovação e Análise da Viabilidade Econômico Financeira de Investimentos. Profº Dr. Manoel Gonçales Filho E-mail: manoel.goncales01@fatec.sp.gov.br (Texto informado pelo autor)

Referências

Associação Brasileira de Ergonomia. (2021). Início. Recuperado de https://www.abergo.org.br

Angonese, R. M. (2020). Como fazer a gestão do trabalho remoto (home office): saiba como gerir sua equipe à distância, organizar rotinas, manter o engajamento e ajuda-los a atravessar esse momento de forma saudável e produtiva. Recuperado de https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/como-fazer-a-gestao-do-trabalho-remoto-home-office,2703b9c6eff21710VgnVCM1000004c00210aRCRD

Ávila, E. (2020). Home office e ensino a distância aumentam vendas de aparelhos tecnológicos durante a pandemia. Recuperado de https://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2020/09/05/home-office-e-ensino-a-distancia-aumentam-vendas-de-aparelhos-tecnologicos-durante-a-pandemia.ghtml

Borlido, D. J. A. (2017). Indústria 4.0: aplicação a sistemas de manutenção. 2017. (Dissertação de mestrado). Universidade do Porto, Porto, Portugal.

Brito, S. (2020). Menos gente, mais espaço: como serão os escritórios depois da pandemia. Recuperado de https://veja.abril.com.br/tecnologia/menos-gente-mais-espaco-como-serao-os-escritorios-depois-da-pandemia/

Chang, C. & Michael, M. (2020). Alternative global health security indexes for risk analysis of COVID-19. International Journal of Environmental Research and Public Health 17(9), 3161.

Chiaretto, S., Cabral, J. R., & Resende, L. B., de. (2018). Estudo sobre as consequências do teletrabalho na qualidade de vida do trabalhador e da empresa. Revista Metropolitana de Governança Corporativa, 3(2), 71-86.

Chiavenato, I. (2014). Gestão de pessoas (2a ed). Rio de Janeiro: Campus.

Coenen, M., & Kok, R. A. W. (2014). Workplace flexibility and new product development performance: the role of telework and flexible work schedules. European Management Journal, 32(4), 564-576.

Decreto-lei n. 5452, de 1 de maio de 1943. Aprova a consolidação das leis do trabalho. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm

Fachin, O. (2001). Fundamentos de metodologia (5a ed,). São Paulo: Saraiva.

Fayzieva, M., Goyipnazarov, S., & Abdurakhmanova, G. (2020). Assessing the impact of teleworking on employees’ labor productivity and effectiveness of entity in the period of COVID-19. Society and innovations, 1(2), 35-52.

Fazenda, N. (n. d.). Acesso em: (2021). Home office: como fica o senso de comunidade na era do trabalho remoto. Recuperado de https://www.hsm.com.br/blog/blog-home-office-como-fica-o-senso-de-comunidade-na-era-do-trabalho-remoto/

Garcia, I. (2020). Especialista dá dicas de ergonomia em home office. Recuperado de https://www.ufms.br/especialista-da-dicas-de-ergonomia-em-home-office/

Gatti, D. P., Terra, G. de S., Portugal, N. dos S., Souza, W. G., de, & Portugal, P. dos S, Jr. (2018). Home office: vantagens, desvantagens e desafios para empresas e funcionários. Revista de Administração do UNIFATEA, 16(16), 7-273.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (4a ed). São Paulo: Atlas.

Godoy, A. S. (1995), A pesquisa qualitativa e sua utilização em administração de empresas. Revista de Administração de Empresas, 35(4), 65-71.

Gombar, J. (2014). Home office na vida dos trabalhadores: panorama do cotidiano, (re) inserção no mercado de trabalho e suas contingências através da tecnologia da informação. Revista Eletrônica da Faculdade de Direito de Pelotas, 1(1).

Gonçalves, M. C.B., Almeida, T. C., & Moura, V. F. (2018). Qualidade de vida no trabalho e métodos flexíveis de trabalho: uma análise multimétodo sobre o impacto do home office na qualidade de vida do colaborador. Revista Liceu Online, 8(2), 74-94. Recuperado de https://liceu.fecap.br/LICEU_ON-LINE/article/view/1797/1049

Gschwin, L., & Vargas, O. (2019). Telework and its effects in Europe. In Jon C. Messenger (Eds.), Telework in the 21st Century (pp. 36-75). Cheltenham, United Kingdom: Edward Elgar Publishing.

Hau, F. & Todescat, M. (2018). O teletrabalho na percepção dos teletrabalhadores e seus gestores: Vantagens e desvantagens em um estudo de caso. Navus-Revista de Gestão e Tecnologia, 8(3), 37-52.

Instituto Federal de São Paulo Campus Hortolândia. (n.d.). Acesso em: (2021). Página inicial. Recuperado de https://hto.ifsp.edu.br/institucional/

Korobinski, R. R. (2021). O grande desafio empresarial de hoje: a gestão do conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, 6(1), 107-116.

Lippe, T. & Lippénnyi, Z. (2020). Co‐workers working from home and individual and team performance. New Technology, Work & Employment, 35(1), 60–79.

Losenkann, G. C. B. R. (2020). Desafios do teletrabalho na pandemia COVID-19: quando o home vira office. Caderno de Administração, 28, 71-75.

Luna, R. A. (2014). Home office: um novo modelo de negócio e uma alternativa para os centros urbanos. Revista Pensar Gestão e Administração, 3(1).

Mager, G. B. & Merino, E. (2012). A contribuição da ergonomia no design de home offices. Núcleo de Gestão de Design. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/1839/A%20contribui%c3%a7%c3%a3o%20da%20ergonomia%20no%20design%20de%20home%20offices.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Morgenstern, E. & Santos, D. L. T. (2016). A imposição do home office e suas consequências trabalhistas. Memorial TCC Caderno da Graduação, 2(1), 11-24.

Muniz, R. (2020). Adeque seu espaço de trabalho em casa: guia de ergonomia para home office. Recuperado de https://www.tjac.jus.br/wp-content/uploads/2020/09/Cartilha_de_ergonomia.pdf

Rafalski, J. C. & Andrade, A. L. de. (2015). Home office: aspectos exploratórios do trabalho a partir de casa. Temas em Psicologia, 23(2), 431-441.

Reis, T. B., Silva, R. e., Neto, Auatt, S. S. M., Marques, A. I. F., & Reis, P. G., Filho. (2020). A prática do home office em períodos de isolamento social. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento do ISECENSA. Recuperado de file:///C:/Users/edson/Downloads/2050-Texto do artigo-8539-1-10-20200604.pdf

Rocha, C. T. M., da & Amador, F. S. (2018). O teletrabalho: conceituação e questões para análise. Cadernos EBAPE.BR, 169(1), 152-162.

Santos, B. P., Alberto, A., Lima, T. M., & Santos, B. (2018). Indústria 4.0: desafios e oportunidades. Revista Produção e Desenvolvimento, 4(1), 111-124.

Tachizawa, T. & Mello, A. (2003). Estratégias empresariais e o teletrabalho: um enfoque na realidade brasileira. Rio de Janeiro: Pontal.

Taschetto, M. & Froehlich, C. (2019). Teletrabalho sob a perspectiva dos profissionais de recursos humanos do Vale do Sinos e Paranhana no Rio Grande do Sul. Revista de Carreiras e Pessoas, 9(3), 349-375.

Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. (2020). Dicas de ergonomia para ajudar servidores e magistrados. Recuperado de https://www.tjsp.jus.br/Noticias/Noticia?codigoNoticia=60794

Tucunduva, R. (n. d.). Quais são os benefícios da tecnologia no home office? Que soluções podem lhe ajudar no trabalho remoto? Recuperado em https://blog.lahar.com.br/gestao-empresarial/beneficios-da-tecnologia/

Vieira, J. L. (2011). Manual de ergonomia: manual de aplicação da Norma Regulamentadora n°17 (1a ed). Bauru, SP: EDIPRO.

Yin. R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos (3a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Publicado

03.02.2022

Como Citar

Silva, Élida T. da, Silva, A. de M., & Gonçales Filho, M. . (2022). QUALIDADE DE VIDA E PRODUTIVIDADE DO COLABORADOR NA MODALIDADE DE TRABALHO HOME OFFICE: ESTUDO DE CASO EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO DA REGIÃO DE HORTOLÂNDIA, SP, BRASIL: EMPLOYEE’S QUALITY OF LIFE AND PRODUCTIVITY IN THE HOME OFFICE WORK MODE: A CASE STUDY IN A TEACHING INSTITUTION IN THE REGION OF HORTOLÂNDIA, SP, BRAZIL. Brazilian Journal of Production Engineering, 8(1), 61–72. https://doi.org/10.47456/bjpe.v8i1.37033