Diferença dos Relatos de Experiência em Docência entre Alunos do Estágio Curricular Supervisionado e Programa Residência Pedagógica

Autores

  • Francisca Cassia Sousa dos Anjos Instituto Federal de Goiás (IFG)
  • Oséias Soares Ferreira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES)
  • Diego Arantes Teixeira Pires Instituto Federal de Goiás (IFG)

DOI:

https://doi.org/10.47456/krkr.v2i5.32636

Resumo

A experiência em docência é uma etapa essencial para a formação de professores, podendo estar diretamente relacionada com a qualidade do ensino. Nesse sentido, os licenciados podem ter experiência na educação básica, ao longo do curso, pelos estágios curriculares supervisionados ou pelo Programa Residência Pedagógica, etapas que visam o contato com a docência. Neste trabalho, analisou-se os relatos de experiência em docência de alunos estagiários com os alunos residentes, ambos de um curso de Licenciatura em Química no interior de Goiás. Notou-se que os relatos dos dois grupos destacaram pontos positivos e dificuldades semelhantes, e percebeu-se também que a experiência com o Programa Residência Pedagógica pode ser uma boa oportunidade para aperfeiçoar a atividades dos estágios supervisionados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisca Cassia Sousa dos Anjos, Instituto Federal de Goiás (IFG)

Graduanda em Licenciatura em Química pelo Instituto Federal de Goiás (IFG), Campus Luziânia. 

Oséias Soares Ferreira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES)

Mestre em Educação (2018) pela Faculdade de Educação - Unicamp. Graduado em Pedagogia (2010) pela Faculdade do Noroeste de Minas e em História (2007) pela Faculdade DOCTUM. Especialização em História Social e Contemporânea (2018), Educação Profissional Integrada a Educação de Jovens e Adultos PROEJA (2013) e Especialização em Gestão Educacional (2008). Atualmente é Doutorando no Programa de Pós-graduação em Educação da FE - Unicamp (2019). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Diferenciação Sociocultural (GEPEDISC/FE/UNICAMP). É Professor da Educação Básica, Técnica e Tecnológica em regime de Dedicação Exclusiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - IFES - ES. Realiza pesquisas, principalmente, nos seguintes temas: educação do e no campo, trabalho e educação; educação de jovens e adultos e formação docente.

Diego Arantes Teixeira Pires, Instituto Federal de Goiás (IFG)

Possui graduação em Química (Bacharelado) pela Universidade de Brasília (2010), graduação em Química (Licenciatura) pela Universidade de Brasília (2010), mestrado em Química pela Universidade de Brasília (2012) e doutorado em Química pela Universidade de Brasília (2016). Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. Tem experiência na área de Ressonância Magnética Nuclear, Experimentação no Ensino de Química e Atividades Lúdicas no Ensino de Química.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Edição

Seção

Dossiê: Formação inicial de professores em foco: os programas PIBID e Residência