Um estudo sobre famílias, elite e política

a trajetória do visconde de Congonhas do Campo e dos Monteiro de Barros.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/e-20243504

Palavras-chave:

Monteiro de Barros, família, elite, Minas Gerais

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo destacar a importância da família Monteiro de Barros e sua importância como uma família de elite no século XIX. Além disso, destacamos a trajetória política de dois personagens em específico, Romualdo José Monteiro de Barros, o barão de Paraopeba e Lucas Antônio Monteiro de Barros, o visconde de Congonhas do Campo. Inseridos em um contexto de domínio de famílias elitizadas, os Monteiro de Barros se encaixam nos moldes, como os casamentos, formação acadêmica e ocupação política e na burocracia estatal. Sendo assim, trazemos as principais pesquisas sobre elites no Brasil no contexto dos séculos XVIII e XIX, em uma tentativa de localizá-los em um conjunto maior. Nosso trabalho versará na discussão bibliográfica, contudo, algumas fontes serão evocadas quando necessárias para suporte, principalmente de cunho biográfico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro de Almeida Freitas Soares, Universidade Federal Fluminense

Graduado em História (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação pela mesma universidade. Atualmente sou aluno de doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense. Pesquiso a atuação da família Monteiro de Barros durante os séculos XVIII e XIX, com o olhar voltado para a justiça e política.

Referências

Fontes

BRASIL, Arquivo Público Mineiro. Secretaria de Governo da Capitania de Minas Gerais. SC- 129. p. 121-V.

BRASIL. Biblioteca Digital Luso-Brasileira. Projeto Resgate Minas Gerais (1680-1832).

PORTUGAL. Arquivo da Universidade de Coimbra. PT/AUC/ELU/UC-AUC/B/001-001/B/002368.

PORTUGAL Arquivo da Universidade de Coimbra. PT/AUC/ELU/UC-AUC/B/001-001/B/002246.

PORTUGAL. Arquivo da Universidade de Coimbra. PT/AUC/ELU/UC-AUC/B/001-001/B/002137

BRASIL, Biblioteca Nacional. Documentos biográficos. C-1029,17.

BRASIL, Biblioteca Nacional. Documentos biográficos. C-0954, 047 n. 002.

Obras Gerais

ANDRADE, M. F. de. Elites regionais e a formação do Estado Imperial brasileiro: Minas Gerais, Campanha da Princesa (1799-1850). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2008.

ALMEIDA, C. M. C. Trajetórias imperiais: imigração e sistema de casamentos entre a elite mineira setecentista. In: ALMEIDA, C. M. C.; OLIVEIRA, M. R. Nomes e números: alternativas metodológicas para a história econômica e social. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2006.

BATISTA, L. M. Os Rodrigues Martins: notas sobre trajetórias e estratégias de uma das famílias mais “distintas em qualidade de riqueza” no Grão-Pará (de meados do século XVIII a fins do XIX). In: FRAGOSO, J.; ALMEIDA, C. M. C.; SAMPAIO, A. C. J. (orgs.). Conquistadores e negociantes: histórias de elites no Antigo Regime nos trópicos. América Lusa, séculos XVI a XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

BERTRAND, M. De la familia a la red de sociabilidad. Revista Mexicana de Sociologia, v. 61, n. 2, abr./jun. 1999. DOI: https://doi.org/10.2307/3541231

BROTERO, F. B. A família Monteiro de Barros. São Paulo, 1951.

CADENA, P. H. F. O Vice-rei: Pedro de Araújo Lima e a governança do Brasil no século XIX. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.

CARVALHO, J. M. de. A construção da ordem: a elite política imperial. Teatro de sombras: a política imperial, 14. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2020.

ESTEFANES, B. F. Conciliar o Império: Honório Hermeto Carneiro Leão, os partidos e a política de Conciliação no Brasil monárquico (1842-1856). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

ESTEFANES, B. F.; FABRIS, B. A muralha de bronze: a formação da liga progressista no Império do Brasil. Representação, soberania e rearticulação partidária, 1857-1862. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

FERNANDES, R. S. As províncias do Império e o “governo por conselhos”: o conselho de governo e o conselho geral de Minas Gerais (1825-1834). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2018.

FRAGOSO, J. L. R. Homens de grossa aventura: acumulação e hierarquia na Praça Mercantil no Rio de Janeiro (1790-1830). Rio de Janeiro: Editora Arquivo Nacional, 1992.

GENOVEZ, P. F. O espelho da monarquia: Minas Gerais e a Coroa no Segundo Reinado. Tese (Doutorado em História) ‒ Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2003.

GRAHAM, R. Clientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

LACERDA, A. H. D. Negócios de Minas: família, fortuna, poder e redes de sociabilidades – os Ferreira Armonde (1751-1850). São Paulo: Intermeios; Juiz de Fora: Funalfa, 2013.

LENHARO, A. As tropas da moderação. 2. ed. Rio de Janeiro: Sec. Municipal de Cultura, 1993.

MARTINS, M. F. V. A velha arte de governar: um estudo sobre política e elites a partir do Conselho do Estado (1842-1889). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2007.

MARTINS, M. F. V. Família, estratégia e redes de poder em Minas Gerais (sécs. XVIII-XIX). Acervo, Rio de Janeiro, v. 30, n. 1, p. 121-139, jan./jun. 2017. Disponível em: https://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/802/787

MONTEIRO, N. G. Poderes municipais e elites locais (séculos XVII-XIX): estado de uma questão. O Município no Mundo português, Seminário Internacional. Região Autônoma da Madeira: Centro de Estados de História do Atlântico, Secretaria Regional do Turismo e Cultura, 1998. p. 79-89.

NEVES, L. M. B. P. das. Corcundas constitucionais: cultura e política (1820-1823). Rio de Janeiro: Revan: FAPERJ, 2003.

OLIVEIRA, M. G. de. Entre nobres lusitanos e titulados brasileiros: práticas, políticas e significados dos títulos nobiliárquicos entre o período joanino e o alvorecer do Segundo Reinado. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

PEIXOTO, R. C. O Marquês de Barbacena: política e sociedade no Brasil imperial (1796-1841). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2022.

PESSOA, T. C. O império da escravidão: o complexo no vale do café (c. 1850 - c. 1888). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2018.

RODARTE, C. Partidos políticos, poderes constitucionais e representação regional na 1a Legislatura da Assembleia Geral do Império do Brasil: Minas Gerais (1826-1829). Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

SCHNOOR, E. C. Na penumbra: o entrelace de família e negócios (Vale do Paraíba, 1770-1840). Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

SILVA, E. R. da. Famílias mineiras: Álvares Correa, Almeida; Drummond; Lara, Mendonça, Monteiro de Barros; Monteiro de Castro, Negreiros; Pinto de Góes e Lara; Rezende, Ribeiro; Ribeiro de Avelar, Sá e Castro. (s. l.): (n. d.).

SOARES, P. A. F. “Senhores absolutos desta província”: a família Monteiro de Barros e suas redes de poder em Minas Gerais na primeira metade do século XIX. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2022.

STUMPF, R. G. Nobrezas na América portuguesa: notas sobre as estratégias de enobrecimento na capitania de Minas Gerais. Almanack, Guarulhos, n. 1, p. 119-136, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/2236-463320110109

VARGAS, J. Pelas margens do Atlântico: um estudo das elites locais e regionais na economia e política: charqueadores de Pelotas, RS (século XIX). 2013. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013.

SOARES, Pedro de Almeida Freitas, “Senhores Absolutos desta Província”: A Família Monteiro de Barros e suas redes de poder em Minas Gerais na primeira metade do século XIX. Dissertação de mestrado. UFJF, Juiz de Fora, 2022.

SCHNOOR, Eduardo Cavalcanti. Na penumbra: O entrelace de família e negócios (Vale do Paraíba, 1770-1840). Tese de doutorado – USP, São Paulo, 2005.

VARGAS, Jonas. Pelas Margens do Atlântico: um estudo das elites locais e regionais na economia e política: charqueadores de Pelotas – RGS (século XIX). 2013. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Downloads

Publicado

28-03-2024

Como Citar

DE ALMEIDA FREITAS SOARES, Pedro. Um estudo sobre famílias, elite e política: a trajetória do visconde de Congonhas do Campo e dos Monteiro de Barros. Revista Ágora, Vitória/ES, v. 35, p. e-20243504, 2024. DOI: 10.47456/e-20243504. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/41610. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos