A RELAÇÃO ENTRE A (IN)EFICIÊNCIA E A ESTABILIDADE NO SERVIÇO PÚBLICO

THE RELATIONSHIP BETWEEN (IN) EFFICIENCY AND STABILITY IN THE PUBLIC SERVICE

Autores

  • Elizangela de Oliveira Universidade Federal do Amazonas
  • Ênio Valdir Pereira da Cruz Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Diego Allan de Abreu Oliveira Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG)
  • Léia Maria Erlich Ruwer Instituto Brasileiro de Gestão de Negócios, Faculdade IBGEN - Instituto Brasileiro de Gestão de Negócios
  • Rafael Alves Pedrosa Universidade Metropolitana de Santos, Universidade Metropolitana de Santos - UNIMES.
  • Darly Fernando Andrade Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Gestão e Negócios.
  • Ezequiel Redin Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Instituto de Ciências Agrárias. https://orcid.org/0000-0002-3750-8225

Palavras-chave:

Serviço público, (in)eficiência, Estabilidade

Resumo

O presente estudo aborda a falta ou ausência de eficiência na atuação do serviço público, e a relação dessa problemática com a prerrogativa de estabilidade na referida função. O objetivo foi pesquisar estudos já realizados nas Ciências Sociais Aplicadas, no período 2000-2020, acerca da estabilidade e eficiência/ineficiência do servidor público e compor um delineamento das pesquisas que trazem em seus apontamentos elementos que relacionem esses aspectos. Para tanto, foi realizado um estudo do tipo exploratório, de natureza bibliográfica, que contemplou análise de conteúdo em uma amostra de 20 artigos selecionados, provenientes de bases públicas online. Os resultados do estudo não confirmam a relação causal existente, mas apontam para a existência de ferramentas que, ao ser devidamente implementadas, podem vir a alterar essa realidade de ineficiência no serviço público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ênio Valdir Pereira da Cruz , Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Enio Valdir Pereira da Cruz: Possui pós-graduação em Gestão Pública pelo Instituto Federal do Norte de Minas Gerais- IFNMG (2020), com ênfase na eficiência no Serviço Público; Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública pela Universidade Anhanguera - Uniderp (2016). Atualmente é bacharelando em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES.

Diego Allan de Abreu Oliveira , Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG)

Baharel em Administração pela Universidade Estadual de Montes Claros (2006). Especialista em Gestão Pública Municipal, pela Universidade Estadual de Montes Claros (2013). Mestre em Administração pela Universidade Federal de Bahia (2018). Servidor do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais(IFNMG), lotado na Reitoria no cargo de Administrador. Atua na Coordenação de Desenvolvimento de Pessoas na Diretoria de Gestão de Pessoas do IFNMG.

Léia Maria Erlich Ruwer, Instituto Brasileiro de Gestão de Negócios, Faculdade IBGEN - Instituto Brasileiro de Gestão de Negócios

Administradora e Especialista em Administração pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (1994/2000), Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004) e Doutora em Serviço Social pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2011). Carreira desenvolvida nos últimos 15 anos na Docência no Ensino Superior na Área de Gestão Estratégica de Pessoas e Marketing (graduação, pós-graduação, MBAs e educação corporativa - em empresas como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Santander, Unimed, Electrolux, Câmara Brasil Alemanha, BB Tecnologia, dentre outras). Ampla bagagem generalista de estudos em empresas de pequeno, médio e grande porte nacionais e multinacionais. Professora Titular no IBGEN/POA (Graduação e MBA). Avaliadora de Cursos de Graduação do INEP/MEC. Atua com Consultoria Organizacional e desenvolvimento de conteúdo, aulas, palestras, disciplinas e materiais para o ensino presencial e EAD. 21 anos de experiência de atuação no mercado financeiro, no HSBC Bank Brasil, como Gerente de Aquisição. Expertise em: Processos de RH, Legislação de ensino superior; Gestão de Pessoas e Supervisão e alinhamento de conteúdo de aulas com os professores e tutoria on-line; supervisão de Conteúdo de curso EAD - elaboração de conteúdo, design instrucional; experiência em entrevistas de seleção para MBAs; produção/autoria de mais de 60 apostilas para EAD, 20 capítulos de livros publicados, e diversos artigos em periódicos de áreas da administração e interdisciplinar no Brasil e no Exterior. Membro da Comissão Científica da Revista Contextus da UFC/CE. Avaliadora de artigos no EnEPQ Encontro de Ensino e Pesquisa em Adm. e Contabilidade; e no EnANPAD Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Adm. Membro do Banco de Avaliadores do Sinaes ? BASis. Orientação de mais de 200 trabalhos de conclusão de Graduação, Pós-Graduação e MBAs, em temas diversos, com destaque para: Gestão de Pessoas, MKT, Gestão Estratégica, Desenvolvimento Regional Sustentável e Responsabilidade Social. Participa de redes de estímulo ao Empreendedorismo e Empreendedorismo feminino. Entusiasta por transformar a educação superior com metodologias ativas, modelos híbridos, valores, tecnologias digitais e novas formas de avaliação. Perfil relacional, resiliente, hands on e focado em resultados.

Rafael Alves Pedrosa, Universidade Metropolitana de Santos, Universidade Metropolitana de Santos - UNIMES.

Consultor de Gestão com enfoque em Logística Portuária e de Transportes, com graduação em Administração, Comércio Exterior, Logística e Transporte Multimodal, Gestão Portuária e Direito em andamento; Pós Graduação em Gestão de Comércio Exterior e Logística ; MBA em Docência do Ensino Superior pela Fundação Getúlio Vargas ? FGV; Mestre em Sustentabilidade de Sistemas Costeiros com dissertação voltada a Dragagem de Aprofundamento do Porto de Santos/SP; Doutorando em Planejamento e Gestão pela Universidade Federal do ABC (UFABC) com tese voltada ao impactos da expansão portuária do Porto de Santos na integração porto/cidade. Autor e organizador de livros e capítulos de livros relacionados a sua área de atuação.Coordenador de projetos de pesquisa e revisor de periódicos ligados as áreas de Logística e Comércio Exterior e planejamento territorial e urbano. Professor conteudista de cursos superiores em EaD. Possui cursos de atualização nas áreas de Administração, Logística e Comércio Exterior, fez intercâmbio na Argentina adquirindo fluência no idioma Espanhol, além de participar constantemente de fóruns destinados a estas áreas. Coordenador do curso de pós graduação em Gestão Portuária e Operações Internacionais. Com experiências na coordenação de Logística e transportes em empresas multinacionais sendo responsável pelo planejamento de distribuição e Logística das regiões Sul e Sudeste do país. Tendo sido contemplado com o prêmio de Melhor ideia inovadora 2010 . Atuou ainda no papel de Coordenador de Operações Portuárias. Já na docência foi contemplado com o prêmio Mérito Docente por atuação acadêmica destacada e foi contemplado com o prêmio Dr. Milton Teixeira pela orientação do melhor trabalho de iniciação cientifica.

Darly Fernando Andrade, Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Gestão e Negócios.

Bacharel em Estatística (1997) com Mestrado em Administração Estratégica - Ênfase em Marketing pela UFMG (2002) e Doutor em Administração pela Universidade FUMEC (2014). Atualmente é professor Adjunto da Universidade Federal de Uberlândia com interesses na área de marketing e estatística.

Ezequiel Redin, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Instituto de Ciências Agrárias.

Professor Adjunto do Instituto de Ciências Agrárias da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e Vice-Coordenador do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Estudos Rurais). Membro da Academia Centro Serra de Letras, ocupando a cadeira n. 21. Membro dos Comitês de avaliação da FAPERGS/RS, FAPESC/SC e FAPITEC/SE. Editor do Periódico Extensão Rural (Santa Maria). Tesoureiro da Associação Riograndense dos Tecnólogos (ARTECNOL). Foi Secretário da Juventude Unida, Linha Paleta, Arroio do Tigre, RS (2015-2018). Completou o Ensino Médio em 2002. Permaneceu na roça até ingressar como colaborador celetista da Cooperativa Agrícola Mista Linha Cereja LTDA (COMACEL) em 2003, onde trabalhou no setor fumageiro e na classificação de grãos até o segundo semestre de 2005, quando ingressou no Curso SUPERIOR de Tecnologia em Agropecuária: Sistemas de Produção da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS) - Cachoeira do Sul. Formado no Curso SUPERIOR da UERGS com o título de Tecnólogo em Agropecuária: Sistemas de Produção (2009). Bacharel em Administração (2006-2010). Formado na licenciatura do Programa Especial de Graduação de Formação Pedagógica de Professores (PEG/UFSM - 2012-2013). Formado no curso de Filosofia - Licenciatura (UFSM - 2016-2019). Formado no Mestrado em Extensão Rural (2009-2011). Formado na Pós-graduação em Gestão Pública Municipal (2010-2011). Formado na Pós-graduação em Tecnologias de Informação e Comunicação aplicadas à Educação (UFSM - 2013-2014). Formado na Pós-graduação em Ensino de Sociologia no Ensino Médio (2014-2015). Formado na Pós-graduação em Ensino de Filosofia no Ensino Médio (2017-2018). Doutorado em Extensão Rural pelo Programa de Pós-graduação em Extensão Rural (2011-2015). Foi o criador da Pós-graduação Lato Sensu e Coordenador do Curso de Pós-graduação em Agronegócios da Faculdade Metodista de Santa Maria (2017-2018). Foi Coordenador do Curso de Administração (2018-2018). Foi Coordenador do Curso de Ciências Contábeis (2018-2018). Foi Assessor da Pós-graduação da Faculdade Metodista de Santa Maria (2017-2018). Já prestou consultorias para a Winrock International, empresas e associações (juventude rural, empresas de saúde, escolas de samba, associações de produtores). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Extensão Rural, atuando principalmente nos seguintes temas: extensão rural, agricultura familiar, juventude rural, crédito rural, família rural, reprodução social, desenvolvimento rural e tabaco. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em marketing de relacionamento, gestão de pessoas, empreendedorismo e agronegócios. Tem oito anos de experiência na Educação a Distância (EAD) pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Foi membro da Câmara de Pós-graduação e Pesquisa da Faculdade Metodista de Santa Maria (FAMES) e foi membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso de Administração da FAMES. Foi membro do Colegiado do Curso Superior de Graduação Tecnológica em Agricultura Familiar e Sustentabilidade (2014-2017). Foi professor da Faculdade Metodista de Santa Maria (2015-2018). Foi tutor a distância da Unidade Curricular 22 - Tecnologia e Inovação na Agropecuária do Curso Técnico em Agronegócio, da Rede e-Tec Brasil no SENAR. Participa do Grupo de Pesquisa "Desenvolvimento Agropecuário do Noroeste de Minas Gerais" registrado no CNPq. É avaliador credenciado dos Cursos Superiores a Distância do BASIs do INEP/MEC. Tem experiência e também ministrado palestras sobre os seguintes temas: Juventude rural; Extensão Rural; Projetos de Crédito Rural; Agroecologia; Sustentabilidade e Desenvolvimento; Empreendedorismo rural; Agricultura Familiar; Cadeia produtiva do tabaco; Famílias rurais; Ensino superior tecnológico.

Referências

A Gazeta. Governo federal estuda a possibilidade de encaminhar PEC ao Congresso para alterar as regras de estabilidade do funcionalismo e permitir a redução de carga horário e salários. Recuperado de https://www.agazeta.com.br/fala-leitor/fim-da-estabilidade-de-servidor-aumenta-eficiencia-leitores-debatem-0919

Amaral, R. R. (2014). O Regime jurídico dos bens vinculados ao contrato de concessão de Serviços públicos. 2014. 62f. Monografia (Bacharel em Direito) – Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná. Curitiba.

Andrade, M. M. de. (1998). Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 3. ed. São Paulo: Atlas.

Araújo, D. A. et al., (2008). Organizações sem fins lucrativos e a gestão estratégica: um estudo da eficiência operacional pelo modelo de análise da competitividade do Instituto Alemão de Desenvolvimento – IAD. Recuperado de http://www.anpad.org. br/evento.php?cod_evento_edicao=33

Bardin, L. (2008). Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70.

Bergue, S. T. (2014). Comportamento organizacional. 3. ed. rev. atual. – Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC; [Brasília]: CAPES: UAB, 114p.

Bergue, S. T. (2014). Cultura e mudança organizacional. 3. ed. rev. atual. –Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC; [Brasília]: CAPES: UAB. 102p.

Bocafoli, A. I. (2010). Responsabilidade Administrativa dos Funcionários por ineficiência. São Paulo: USP. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, SP, 2010. Recuperado de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2134/tde31012011161517/publico/definitiva_completa.pdf

Bonezi, C. A., & Pedraça, L. L. de O. (2008). A nova administração pública: reflexão sobre o papel do Servidor Público do Estado do Paraná. 42 p. Monografia (Pós-Graduação em Formulação e Gestão de Políticas Públicas) – U. E. L. – Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Bresser-Pereira, L. C. (1996). Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do serviço público, Brasília. 120 (1).

Bressser-Pereira, L. C. (2006). Da administração pública burocrática à gerencial. In L. Bresser-Pereira, & P. Spink (Orgs.). Reforma do Estado e administração pública gerencial (7a ed., 237- 270). Rio de Janeiro: Editora FGV.

Caldas, I. L. D. A. (2011). A avaliação periódica de desempenho do servidor público estável: efeitos do princípio da eficiência sobre o desempenho do servidor público. Revista Âmbito Jurídico. Recuperado de http://www. ambito-juridico. com. br/site/index. php

Chiavenato, I. (2003). Modelo burocrático de organização. Em busca da organização ideal. In: Introdução à teoria geral da administração. Uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Elsevier. 6ª reimpressão.

Coelho, R. C. (2014). O Público e o Privado na Gestão Pública. 3. ed. rev. atual. – Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC; [Brasília]: CAPES: UAB. 76p.

Correio Brasiliense. Recuperado de http://www.correiobrasiliense.com.br/app/noticia/politica/2019/09/03/Interna_politica, 780579/planalto-pretende-appresentar-pec-para-mudar-estabilidade-do-funcionalism.shtml

Costa, C. S. da. (2015). A influência da estabilidade funcional e do comprometimento sobre o desempenho no trabalho: uma pesquisa descritiva em um banco público brasileiro. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Curso de Administração. Recuperado de https://lume.ufrgs.br/handle/10183/130643

De Souza, S. C, & De Oliveira Mello, M. S. (2013). A evolução histórica do serviço público e a necessidade da transformação do servidor público. In: Convibra. Recuperado de http://www.convibra. com.br/upload/paper/2013/38/2013_38_6812.pdf

Diniz, T. G. S., Cruz, E. P., Silva, F. N. S. da, & Fontanillas, C. N. (2012). Estabilidade no emprego e o comportamento do servidor público de municipal. 16 f. Artigo. Universidade Federal Fluminense-UFF. Rio de Janeiro, 2012. Recuperado de https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos12/1201677.pdf. Acesso em: 23 de out. de 2019.

Fidelis, L. G. (2016). Estabilidade do Servidor Público efetivo em prol da eficiência da administração pública. Recuperado de http://192.100.247.84/handle/prefix/372

Freire Neto, A. B.; Almeida, T. M. F. (2017). O Principio da eficiência e a efetividade do Serviço Público. Revista de Direito Constitucional e Internacional, 1, p. 1.

Fontainha, F. de C., et al., (2014). Processos seletivos para a contratação de servidores públicos: Brasil, o país dos concursos? Recuperado de https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/11929

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Gonçalves, S. N. de S. (2018). Estabilidade do servidor público: vantagens e desafios. 42 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Gestão Pública) - Instituto de Educação a Distância, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, São Francisco do Conde.

Kauss, L. F. (2011). A estabilidade Funcional e a Eficiência no Serviço Público. 23 f. Artigo. Recuperado de http://www.sintese.com/doutrina_integra.asp?id=1201

Leite Júnior, A. D. (2014). Desenvolvimento e mudanças no Estado Brasileiro. 3.ed. rev. atual. – Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC; [Brasília]: CAPES: UAB. 88p.

Machado, É. M., & Umbelino, L. M. (1995). A questão da estabilidade do servidor público no Brasil: perspectivas de flexibilização. Brasília: ENAP.

Mainardes, E. W., & Lourenço, L. (2010). Conceitos de Qualidade: Percepções na Universidade. Tópicos Avançados de Gestão: Reflexões, Contributos e Aplicações. p. 413-428.

Meirelles, H. L, Filho, J. E. B, & Burle, C. R. (2016). Servidores Públicos / Hely Lopes Meirelles, Emmanuel Burle Filho. In: Direito administrativo brasileiro.-42. ed. / atual. Até a Emenda Constitucional 90, de 15.9.2015.-São Paulo: Malheiros. 968p.

Mukokoma, M. M. N., & Dijk, M. P. (2013). New public management reforms and efficiency in urban water service delivery in developing countries: Blessing or fad? Public Works Management & Policy, 18(1), 23-40.

Poletto, Á. E. (2019). A regulamentação do procedimento de avaliação periódica de desempenho do servidor público estável como um efeito da aplicação do princípio da eficiência da Administração Pública. Recuperado de https://repositorio.ucs.br/xmlui/handle/11338/6245

Revoredo, M. S. (2018). A Estabilidade do servidor público na Administração Pública brasileira: Contornos jurídicos à luz do ordenamento brasileiro e da jurisprudência. 68 f. Monografia (Graduação em direito) – Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Departamento de Direito. Natal, RN.

Ribeiro, C. V. dos S., & Mancebo, D. (2013). O servidor público no mundo do trabalho do século XXI. Psicol. cienc. prof., 33(1), 192-207. doi:10.1590/S1414-98932013000100015

Sampaio, R. F.; Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica, Revista brasileira de fisioterapia, vol. 11, no. 1, pp. 83–89, 2007.

Sano H., & Montenegro Filho M. J. (2013). As técnicas de avaliação da eficiência, eficácia e efetividade na gestão pública e sua relevância para o desenvolvimento social e das ações públicas. Desenvolvimento Em Questão, 11(22), 35-61. doi:10.21527/2237-6453.2013.22.35-61. Acesso em 26 de junho de 2020.

Severino, A. J. (2007). Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez.

Souza, T. C. P. de. (2002). Mérito, estabilidade e desempenho: influência sobre o comportamento no servidor público. 123p. Dissertação (Mestrado Executivo). Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2002.

Taniguchi, K., & Da Silva Arten, K. C. (2010). O paradigma da estabilidade do funcionário público federal frente ao princípio da eficiência. Revista de Direito, 13(17), 73-88. Recuperado de https://revista.pgsskroton.com/index.php/rdire/article/view/1898/1803

Traesel, E. S., & Merlo, Á. R. C. (2014). “Somos sobreviventes”: vivências de servidores públicos de uma instituição de seguridade social diante dos novos modos de gestão e a precarização do trabalho na reforma gerencial do serviço público. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho,17(2), 224-238.

Publicado

2020-08-18

Como Citar

Oliveira, E. de, Cruz , Ênio V. P. da, Oliveira , D. A. de A. ., Ruwer, L. M. E. ., Pedrosa, R. A., Andrade, D. F. ., & Redin, E. . (2020). A RELAÇÃO ENTRE A (IN)EFICIÊNCIA E A ESTABILIDADE NO SERVIÇO PÚBLICO: THE RELATIONSHIP BETWEEN (IN) EFFICIENCY AND STABILITY IN THE PUBLIC SERVICE. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 6(2), 188–204. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/bjpe/article/view/30039

Edição

Seção

GESTÃO PÚBLICA - PUBLIC MANAGEMENT