ASPECTOS SOCIAIS, PRÉ E PÓS ROMPIMENTO DA BARRAGEM DE FUNDÃO, NA BACIA DO RIO DOCE, BRASIL

SOCIAL ASPECTS, PRE AND POST-BREAKDOWN OF THE FUNDÃO DAM, IN THE RIO DOCE BASIN, BRAZIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/bjpe.v6i8.33948

Palavras-chave:

Educação, Saúde, Impactos Sociais, Bibliometria

Resumo

A Bacia Hidrográfica do Rio Doce, localizada no sudeste do Brasil possui uma população de 3,5 milhões de habitantes, que em sua maioria depende do rio Doce, considerado um dos rios mais importantes do país. Mas em 2015 este rio foi atingido por um dos maiores desastres socioambientais, o rompimento da barragem de Fundão em Mariana (MG). A população mencionada foi exposta à lama que impactou severamente suas vidas. Com isso, o objetivo é a realização de um estudo bibliométrico (quantitativo e qualitativo), com recorte voltado para os aspectos sociais que envolvem a Bacia do Rio Doce, buscando verificar e descrever as mudanças ocorridas nas publicações antes e depois do desastre. Onde foram analisados 81 artigos que envolvem os aspectos sociais gerais relacionados a Bacia Hidrográfica do Rio Doce. É possível notar que o rompimento da barragem de Fundão impactou o ambiente, a sociedade e o foco das pesquisas que envolvem a bacia. Concluiu-se que as publicações sobre a educação, saúde e impactos sociais passou a ter como foco a realidade dos atingidos, assim como as comunidades isoladas que sofrem até hoje, cinco anos após o desastre, com os resquícios da lama. Destaca-se as obras relacionadas a aspectos sociais gerais, e os impactos sobre as comunidades ribeirinhas, além de discutir sobre os atores envolvidos, como o Estado, empresas, Fundação Renova e atingidos. Não deixando de mencionar a importância das publicações que tratam dos riscos e falhas em barragens, afim de estudar maneiras de evitar e mitigar esses tipos de desastres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanielle Aparecida Patrocinio Gomes, Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Departamento de Engenharias e Tecnologia.

Graduada em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus, E.S. / UFES-CEUNES. Pós-Graduada em Direito Público com Ênfase em Gestão Pública com capacitação para Magistério Superior pela Faculdade Damásio na Unidade de Colatina-ES Mestranda em Energia pela Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus, E.S. / UFES-CEUNES. Destaca-se produções textuais e atividades de pesquisa sobre Identificação e Caracterização de Potencialidade Social Econômica e Ambiental; Método de tomada de decisão com multicritérios - AHP; Atividade Pesqueira; Eficiência Energética e Energia Eólica.

Mayra Jankowsky, Instituto de Pesca de São Paulo

Possui graduação em Ciências Biológicas Bacharelado pela Universidade Federal de São Carlos (2004), graduação em Ciências Biológicas Licenciatura pela Universidade Federal de São Carlos (2004), mestrado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (2007) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (2011). Trabalhou junto ao poder público na Diretoria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca do Município de Cananeia e na gestão de Unidades de Conservação junto a Secretaria de Meio Ambiente. Contribuiu com a elaboração de Planos de Manejo e Planos de Bacia Hidrográfica. Gerenciou o Programa de Monitoramento Pesqueiro no Estado do Paraná entre 2016 e 2020. Atualmente, é pós-doutoranda no Instituto de Pesca/SAA de São Paulo. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia Humana, atuando principalmente nos seguintes temas: manejo participativo, recursos pesqueiro, ecologia humana, resiliência e sistema-alimentar.

Raphaela Martins de Carvalho, Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio

Bacharela e Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (USP). Especialista em Gerenciamento Ambiental pela USP, analisando as contribuições da Política Nacional de Resíduos Sólidos para a melhoria do manejo e da disposição dos resíduos sólidos domiciliares nos pequenos municípios. Mestra em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade (área de concentração: Gestão Ambiental) da USP, analisando a qualidade das alternativas de localização em Estudos de Impacto Ambiental do setor sucroalcooleiro do estado de São Paulo, e as contribuições do Zoneamento Agroambiental nos processos de Licenciamento Ambiental com Avaliação de Impacto Ambiental. Atualmente, atua como Supervisora de Campo no Projeto de Monitoramento e Caracterização Socioeconômica da Atividade Pesqueira no Rio Doce e no Litoral do Espírito Santo, o qual tem como objetivo avaliar a evolução da interferência do rompimento da Barragem de Fundão em Mariana - MG sobre as comunidades pesqueiras. Ainda, integra o Programa de Extensão Ufes Sustentável, que visa contribuir para a construção de sociedades mais sustentáveis, através do desenvolvimento de projetos socioambientais.

Rodrigo Randow de Freitas, Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.

Atualmente Professor Adjunto do curso de Engenharia de Produção em regime de dedicação exclusiva da Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus, E.S. / UFES-CEUNES (2015). Doutor pelo programa de Pós-Graduação em Aquacultura pela Fundação Universidade Federal de Rio Grande (FURG) em 2011; Mestrado em Aquacultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006); Especialização em Educação e Gestão Ambiental (Faculdade Saberes - 2003); e Graduação em Administração de Empresas: ênfase em análise de sistemas (Faculdade de Ciências Humanas de Vitória - 2001). Experiência na área de Gestão Ambiental e Gerenciamento Costeiro, Gestão de processos e produtos, análise de cadeias produtivas e Planejamento Estratégico. 

Referências

Abreu, J. L. N., & Vilarino, M. T. B. (2009). Território da doença e da saúde: o Vale do Rio Doce frente ao panorama sanitário de Minas Gerais (1910-1950). Locus: Revista de História, 15(1), 191–205.

Aleixo, L. S. P., & Bastos, S. P. (2018). Perspectivas De Reparação No Caso Samarco: Indivisibilidade, Interdependência E Direitos Econômicos, Sociais, Culturais E Ambientais. Revista Do Instituto Brasileiro de Direitos Humanos, 17/18, 157–173.

Amâncio, F. F., Amorim, V. D., Chamone, T. L., Brito, M. G. de, Calic, S. B., Leite, A. C., Fraga, G. L., & Ferraz, M. L. (2011). Epidemiological characteristics of Brazilian spotted fever in Minas Gerais State, Brazil, 2000-2008. Cadernos de Saúde Pública, 27(10), 1969–1976. https://doi.org/10.1590/s0102-311x2011001000010

Antônio, E. G., Malacco, M. A. F., Gontijo, C. M. F., Moreira, E. F., Caldas, I. S., Pena, J. L., & Machado-Coelho, G. L. L. (2011). Canine visceral leishmaniasis in the Krenak indigenous community, Resplendor, Minas Gerais State, Brazil, 2007. Cadernos de Saúde Pública, 27(3), 603–607. https://doi.org/10.1590/s0102-311x2011000300020

Araújo, T., Azevedo Lopes, F., & Palhares Teixeira, C. (2019). Incidência de doenças diarreicas na bacia do Rio Doce e possíveis relações com infraestrutura de saneamento e o rompimento da barragem de Fundão - Mariana/MG. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e Da Saúde, 15(31), 95–111. https://doi.org/10.14393/hygeia153249102

Armstrong, M., Petter, R., & Petter, C. (2019a). Why have so many tailings dams failed in recent years? Resources Policy, 63(November 2018), 101412. https://doi.org/10.1016/j.resourpol.2019.101412

Armstrong, M., Langrené, N., Petter, R., Chen, W., & Petter, C. (2019b). Accounting for tailings dam failures in the valuation of mining projects. Resources Policy, 63(July), 101461. https://doi.org/10.1016/j.resourpol.2019.101461

Baeta, A. M., & Mattos, I. M. (2007). A Serra da Onça e os índios do rio Doce: uma perspectiva etnoarqueológica e patrimonial. Habitus, 5(1), 39–62.

Baeta, A. M., & Mattos, I. M. de. (1994). Arte rupestre, etno-história e identidade indígena no Vale do Rio Doce -MG. Revista de Arqueologia, 8(1), 303–320. https://doi.org/10.24885/sab.v8i1.482

Bandini, B., Vitória, F. C. da, Silva, E. R. da, & Almeida, J. R. (2019). Desastre Ambiental Da Barragem De Fundão, Mariana, Mg - Análise De Impactos Socioambientais. Revista Internacional de Ciências, 9(3), 2–15. https://doi.org/10.12957/ric.2019.40296

Barbosa, L. G. C., & Silva, J. de P. (2019). Esquistossomose e determinantes sociais. Revista Atenas Higeia, 1(2), 41–45.

Bieber, J. (2014). Mediation Through Militarization: Indigenous Soldiers and Transcultural Middlemen of the Rio Doce Divisions, Minas Gerais, Brasil, 1808-1850. The Americas, 11(1906), 59–60.

Bieber, J. (2015). The Brazilian Rhône’: Economic Development of the Doce River Basin in Nineteenth-Century Brazil, J. Lat. Amer. Stud., 1819–49.

Bieber, J. (2017). Uatú Júpú: a History of the Indigenous Rio Doce. Brasiliana- Journal for Brazilian Studies, 5(2), 128–153. https://doi.org/10.25160/v5i2.d6

Borges, C., & Maso, T. F. (2017). The collapse of the River Doce dam. SUR, 14(25), 71–87. https://doi.org/10.1080/03087298.1983.10442760

Campos, R. B. F., Santos, T. M., Souza, M. C. R. F. de, & Enes, E. N. S. (2017). Risco, desastre e educação ambiental: a terceira margem do rio Doce. Revista PerCursos, 18(36), 66–94. https://doi.org/10.5965/1984724618362017066

Carlos, E. (2016). Mobilizando a sociedade civil : inovação organizacional e repertórios de confronto no desastre do rio Doce. Revista Psicologia Política, 19, 8–28.

Carlos, E. (2020). Civil Society and Social Mobilizations in the Context of the Rio Doce Socioenvironmental Disaster. Integrated Environmental Assessment and Management, 00(00), 1–10. https://doi.org/10.1002/ieam.4282

Carmo, F. F. do, Kamino, L. H. Y., Junior, R. T., Campos, I. C. de, Carmo, F. F. do, Silvino, G., Castro, K. J. da S. X. de, Mauro, M. L., Rodrigues, N. U. A., Miranda, M. P. de S., & Pinto, C. E. F. (2017). Fundão tailings dam failures: the environment tragedy of the largest technological disaster of Brazilian mining in global context. Perspectives in Ecology and Conservation, 15(3), 145–151. https://doi.org/10.1016/j.pecon.2017.06.002

Carvalho, D. W. (2019). The ore tailings dam rupture disaster in mariana, Brazil 2015: What we have to learn from anthropogenic disasters. Natural Resources Journal, 59(2), 281–300.

Castro, T. G., Campos, F. M., Priore, S. E., Coelho, F. M. G., Campos, M. T. F. D. S., Franceschini, S. D. C. C., & Rangel, A. D. A. (2004). Saúde e nutrição de crianças de 0 a 60 meses de um assentamento de reforma agrária, Vale do Rio Doce, MG, Brasil. Revista de Nutrição, 17(2), 167–176. https://doi.org/10.1590/s1415-52732004000200003

César, P. S. M., & Carneiro, R. (2017). O rompimento da barragem em Mariana para as populações historicamente vulneráveis. Revista Livre de Sustentabilidade e Empreendedorismo, 2(1), 223–240.

Chagas, C. A., Castro, T. G. de, Leite, M. S., Viana, M. A. C. B. M., Beinner, M. A., & Pimenta, A. M. (2019). Prevalência estimada e fatores associados à hipertensão arterial em indígenas adultos Krenak do Estado de Minas Gerais, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 36(1), 1–15. https://doi.org/10.1590/0102-311X00206818

Coelho, F. M. G., Castro, T. G. de, Campos, F. M., Campos, M. T. F. de S., Priore, S. E., & Franceschini, S. do C. C. (2005). Educação para promoção da saúde infantil: relato de experiência em um assentamento de reforma agrária, Vale do Rio Doce (MG). Ciência & Saúde Coletiva, 10(3), 739–747. https://doi.org/10.1590/s1413-81232005000300030

Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce. (2021). A Bacia. Disponível em: <http://www.cbhdoce.org.br/institucional/a-bacia>. Acesso em: 05 jan. 2021.

Corrêa, C. S. L., Lima, A. de S., Leite, I. C. G., Pereira, L. C., Nogueira, M. C., Duarte, D. de A. P., Fayer, V. A., & Bustamante-Teixeira, M. T. (2017). Rastreamento do câncer do colo do útero em Minas Gerais: avaliação a partir de dados do Sistema de Informação do Câncer do Colo do Útero (SISCOLO). Cadernos Saúde Coletiva, 25(3), 315–323. https://doi.org/10.1590/1414-462x201700030201

Creado, E. S. J., & Helmreich, S. (2018). A wave of mud: the travel of toxic water, from Bento Rodrigues to the Brazilian Atlantic. Revista Do Instituto de Estudos Brasileiros, 69, 33–51. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901x.v0i69p33-51

Demajorovic, J., Lopes, J. C., & Santiago, A. L. F. (2019). The Samarco dam disaster: A grave challenge to social license to operate discourse. Resources Policy, 61(November 2018), 273–282. https://doi.org/10.1016/j.resourpol.2019.01.017

Drumond, S. N., Santiago, A. da F., Moreira, M., Lanna, M. C. da S., & Roeser, H. M. P. (2018). Molecular identification of diarrheagenic escherichia coli in the watershed of Xopotó river, in Alto do Rio Doce, Brazil. Engenharia Sanitária e Ambiental, 23(3), 579–590. https://doi.org/10.1590/s1413-41522018165696

Enes, E. N. S., Souza, M. C. R. F. de, Santos, T. M., & Campos, R. B. F. (2019). Relação Com O Saber E O Rio Doce: A Marca Das Aprendizagens Relacionais E Afetivas. Revista De Estudos De Cultura, 5(14), 117–130.

Espindola, H. S. (2015). O rio Doce e a emancipação da economia nacional (Brasil). Historia Ambiental Latinoamericana y Caribeña (HALAC): Revista de La Solcha, 5(1), 10–27. https://doi.org/10.5935/2237-2717.20150001

Espindola, H. S., & Guerra, C. B. (2017). Desastre da Samarco/Vale/BHP: uma tragédia em diferentes atos. Revista Do Lhiste, 4(6), 221–235.

Espindola, H. S., Nodari, E. S., & Santos, M. A. dos. (2019). Rio Doce : riscos e incertezas a partir do desastre de Mariana ( MG ). Revista Brasileira de História, 39(81), 141–162. https://doi.org/10.1590/1806-93472019v39n81-07

Facury, D. M., Carvalho, V. J. B.-G. B. de, Cota, G. E. M., Magalhães Júnior, A. P., & Barros, L. F. de P. (2019). Panorama das publicações científicas sobre o rompimento da Barragem de Fundão (Mariana-MG): subsídios às investigações sobre o maior desastre ambiental do país. Caderno de Geografia, 29(57), 306–333. https://doi.org/10.5752/p.2318-2962.2019v29n57p306-333

Feinberg, J. (2009). Wordle-beautiful word clouds.

Feitosa, T. M. P., & Almeida, R. T. de. (2007). Perfil de produção do exame citopatológico para controle do câncer do colo do útero em Minas Gerais, Brasil, em 2002. Cadernos de Saúde Pública, 23(4), 907–917.

Fernandes, G. W., Goulart, F. F., Ranieri, B. D., Coelho, M. S., Dales, K., Boesche, N., Bustamante, M., Carvalho, F. A., Carvalho, D. C., Dirzo, R., Fernandes, S., Galetti, P. M., Millan, V. E. G., Mielke, C., Ramirez, J. L., Neves, A., Rogass, C., Ribeiro, S. P., Scariot, A., & Soares-Filho, B. (2016). Deep into the mud: ecological and socio-economic impacts of the dam breach in Mariana, Brazil. Natureza e Conservacao, 14(2), 35–45. https://doi.org/10.1016/j.ncon.2016.10.003

Ferreira, M. C. P., Pires, P. C. C., Ribeiro, R. T., & Silva, C. L. A. da. (2019). Frequência de consumo de alimentos fonte de ferro entre crianças de 6 a 59 meses atendidas pela Estratégia de Saú- de da Família. HU Revista, 45(1), 13–21. https://doi.org/10.34019/1982-8047.2019.v45.16970

Fischer, G. (2018). Acelerações em escala regional: A transformação do vale do Rio Doce, ca. 1880-1980. Varia História, 34(65), 445–474. https://doi.org/10.1590/0104-87752018000200007

Fongaro, G., Viancelli, A., dos Reis, D. A., Santiago, A. F., Hernández, M., Michellon, W., da Silva Lanna, M. C., Treichel, H., & Rodríguez-Lázaro, D. (2019). Mineral Waste Containing High Levels of Iron from an Environmental Disaster (Bento Rodrigues, Mariana, Brazil) is Associated with Higher Titers of Enteric Viruses. Food and Environmental Virology, 11, 178–183. https://doi.org/10.1007/s12560-019-09373-5

Gama-Rosa, R., Cynamon, S., Soterio, C. N., Costa, R. G.-R., Cohen, S. C., & Soterio, C. N. (2018). Eliasz Cynamon e o Programa do Rio Doce ( Sesp ): contribuição de fontes para a história das ações de saúde e saneamento no Brasil , 1952-1960. História, Ciências, Saúde, 25(1), 245–259. https://doi.org/10.1590/s0104-59702018000100014

Garcia, L. C., Ribeiro, D. B., De Oliveira Roque, F., Ochoa-Quintero, J. M., & Laurance, W. F. (2017). Brazil’s worst mining disaster: Corporations must be compelled to pay the actual environmental costs: Corporations. Ecological Applications, 27(1). https://doi.org/10.1002/eap.1461

Genovez, P. F., & Vilarino, M. (2011). A cultura sanitária a partir da perspectiva da história oral: o Sertão do Rio Doce em suas múltiplas percepções temporo‑espaciais. História Oral, 2(14), 147–172.

Genovez, P. F., Vilarino, M. T. B., & Cazarotto, J. L. (2012). Entre o moderno e o rústico: a territorialização da medicina preventiva no médio rio Doce. História, Ciências, Saúde, 19(4), 1333–1339. https://doi.org/10.1590/S0104-59702012000400013

Guedes, G. R., Simão, A. B., Dias, C. A., & de Oliveira Braga, E. (2015). Risco de adoecimento por exposição às águas do Rio Doce: Um estudo sobre a percepção da população de Tumiritinga, Minas Gerais, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 31(6), 1257–1268. https://doi.org/10.1590/0102-311X00063514

Jankowsky, M., Carvalho, R. M., Gomes, V. A. P, & Freitas, R. R. (2021). Peixes e pesca na Bacia do Rio Doce, uma análise bibliométrica. Brazilian Journal of Production Engineering, Edição Especial, 1-27.

Júnior, O. A. B., Vieira, R., & Adams, I. L. (2017). O Desastre De Mariana Atuação Interfederativa Para Superação Dos Impactos Da Maior Tragédia Da História Do Brasil. Revista Da AGU, 16(2), 45–76. https://doi.org/10.25109/2525-328x.v.16.n.02.2017.1084

Lacaz, F. A. de C., Porto, M. F. de S., & Pinheiro, T. M. M. (2017). Tragédias brasileiras contemporâneas: o caso do rompimento da barragem de rejeitos de Fundão/Samarco. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 42(0), 1–12. https://doi.org/10.1590/2317-6369000016016

Lavalle, A. G., Leirner, A., Albuquerque, M. do C. A. de, & Rodrigues, F. P. (2019). As dificuldades da participação : Desencontro de interesses na recuperação do rio doce. Revista Psicologia Política, 19, 121–145.

Leal, G. G. de A., Carneiro, M., Pinheiro, A. da C., Marques, L. A., Ker, H. G., Reis, A. B., & Coura-Vital, W. (2018). Risk profile for Leishmania infection in dogs coming from an area of visceral leishmaniasis reemergence. Preventive Veterinary Medicine, 150, 1–7. https://doi.org/10.1016/j.prevetmed.2017.11.022

Losekann, C. (2017). “It Was No Accident!” the Place of Emotions in the Mobilization of People Affected By the Collapse of Samarco’S Tailings Dam in Brazil. Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, 14(2), 1–25. https://doi.org/10.1590/1809-43412017v14n2p102

Losekann, C., Dias, T. H., & Camargo, A. V. M. (2020). The Rio Doce mining disaster: Legal framing in the Brazilian justice system. Extractive Industries and Society, 7, 199–208. https://doi.org/10.1016/j.exis.2019.11.015

Lyra, M. G. (2019). Challenging extractivism: Activism over the aftermath of the Fundão disaster. Extractive Industries and Society, 6(3), 897–905. https://doi.org/10.1016/j.exis.2019.05.010

Magalhães, P. A., Mayrink, W., Costa, C. A., Melo, M. N., Dias, M., Batista, S. M., Michalik, M. S. M., & Willinms, P. (1980). Calazar na zona do rio Doce - Minas Gerais: resultados de medidas profiláticas. Revista Do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, 22(4), 197–202.

Malaquias, L. C. C., Do Carmo Romualdo, R., Do Anjos, J. B., Giunchetti, R. C., Corrêa-Oliveira, R., & Reis, A. B. (2007). Serological screening confirms the re-emergence of canine leishmaniosis in urban and rural areas in Governador Valadares, Vale do Rio Doce, Minas Gerais, Brazil. Parasitology Research, 100(2), 233–239. https://doi.org/10.1007/s00436-006-0259-z

Marques, G. D. M., & Souza, M. C. R. F. (2019). Percepção de estudantes jovens e adultos sobre o Rio Doce – cartografias do medo. Ambiente & Sociedade, 22, 1–20.

Murta, R. de O., Mafra, R. L. M., Oliveira, F. P. de, & Coelho, F. M. G. (2012). Desenvolvimento regional no Médio Rio Doce/MG: análise da viabilidade jurídica do manejo sustentável da aroeira. Revista Direito GV, 8(2), 455–483. https://doi.org/10.1590/s1808-24322012000200004

Nishijima, M., & Rocha, F. F. (2020). An economic investigation of the dengue incidence as a result of a tailings dam accident in Brazil. Journal of Environmental Management, 253(October 2019), 109748. https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2019.109748

Owen, J. R., Kemp, D., Lèbre, Svobodova, K., & Pérez Murillo, G. (2020). Catastrophic tailings dam failures and disaster risk disclosure. International Journal of Disaster Risk Reduction, 42, 101361. https://doi.org/10.1016/j.ijdrr.2019.101361

Paaz, C., & Souza, L. D. R. de. (2018). As consequências sociais do rompimento da barragem de fundão em Mariana (Minas Gerais – Brasil): uma análise por meio de pesquisa de campo. Revista Catalana de Dret Ambiental, 9(2), 1–50. https://doi.org/10.17345/rcda2423

Pastran, S. H., & Mallett, A. (2020). Unearthing power: A decolonial analysis of the Samarco mine disaster and the Brazilian mining industry. Extractive Industries and Society, March, 1–12. https://doi.org/10.1016/j.exis.2020.03.007

Pereira, C. A., Salmen Espindola, H., & Martins, D. (2019). Formação econômica do Vale do Rio Doce: uma análise histórica (1940-1970). IDeAS – Interfaces Em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, 13, 1–24.

Pinheiro, A. da C., da Costa, A. S. V., de Oliveira, R. S., & Reis, M. L. C. (2020). Epidemiological aspects and spatial distribution of visceral leishmaniasis in Governador Valadares, Brazil, between 2008 and 2012. Revista Da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 53(September 2019), 0–2. https://doi.org/10.1590/0037-8682-0216-2019

Portes, E. M. L. (2015). Arte, Arte indígena, Arte Borum/Krenak : os imbricados caminhos para a compreensão da arte. Ars, 13(25), 88–103.

Rabelo, D. C., Teixeira, E. C., & Espluga, J. L. (2013). A participação cidadã no plano de bacia do rio Doce: Análise a partir do Termo de Referência. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 9(3), 184–204.

Rabelo, D. C., Espluga, J. L., Teixeira, E. C., & Brugué, Q. (2014). Citizenship participation in water management plans in the Doce River Basin, Brazil and Catalonia, Spain. Water Policy, 16(2), 205–221. https://doi.org/10.2166/wp.2013.077

Reis, D. A., Fongaro, G., da Silva Lanna, M. C., Dias, L. C. P., & Santiago, A. da F. (2019). The Relationship Between Human Adenovirus and Metals and Semimetals in the Waters of the Rio Doce, Brazil. Archives of Environmental Contamination and Toxicology, 77(1), 144–153. https://doi.org/10.1007/s00244-019-00625-w

Ribeiro, M. D. S., & Junior, M. da S. T. (2017). Os efeitos econômicos do rompimento de barragem de resíduos : divulgações nas demonstrações contábeis comparativamente à grande mídia The economic effects of the waste dam break : Revista de Administração Da Universidade Federal de Santa Maria, 10, 100–116. https://doi.org/10.5902/19834659 25338

Rocha, L. E. (2019). Caracterizações socioeconômica e espacial do trabalho infantil nas regiões rurais e urbanas do estado de Minas Gerais. Revista de Geografia Agrária, 14(32), 53–83. https://doi.org/10.14393/rct143203

Rückert, B., & Aranha, A. V. S. (2018). Struggling for health is struggling for agrarian reform: A study on health practices within the Brazil’s landless workers’ movement. Saúde e Sociedade, 27(1), 116–127. https://doi.org/10.1590/s0104-12902018170158

Ruscheinsky, A., & Treis, M. (2019). Desastre ambiental , atores sociais , políticas públicas e espaços passíveis de participação. Revista Psicologia Política, 19, 173–198.

Salvador, G. N., Leal, C. G., Brejão, G. L., Pessali, T. C., Alves, C. B. M., Rosa, G. R., Ligeiro, R., & Montag, L. F. de A. (2020). Mining activity in Brazil and negligence in action. Perspectives in Ecology and Conservation, 18(2), 139–144. https://doi.org/10.1016/j.pecon.2020.05.003

Silva, S. J. da. (2019). O povo indígena tupinikim no contexto do desastre ambiental no rio doce. Revista Psicologia Política, 19, 29–43.

Silva, M. Z. e, Cayres, D. C., Souza, L. A. M. de, Zorzal e Silva, M., Cayres, D. C., & Souza, L. A. M. de. (2019). Artigo Desastre socioambiental e Termo de Transação e Ajustamento de Conduta ( TTAC ) como instrumento de política pública O caso da barragem de Fundão , MG. Civitas - Revista de Ciências Sociais, 19(2), 464. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2019.2.30227

Souza, L. A. M., Rodrigues, M., & Souza, P. de. (2019). Institucionalização e capacidades estatais em dois municípios capixabas atingidos pelo desastre-crime do rio doce : Os casos de Colatina e Linhares. Revista Psicologia Política, 19, 84–103.

Souza, L. A. M., & Carlos, E. (2019). Políticas públicas e mobilização social no contexto do desastre no Rio Doce. Redes, 24(2), 56–80. https://doi.org/10.17058/redes.v24i2.13040

Souza, L. D. R. de, & Paaz, C. (2019). O Rompimento Da Barragem De Fundão Em Mariana/Mg E a Proteção Dos Deslocados Ambientais: Uma Análise Por Meio De Pesquisa De Campo. Revista Juridica, 2(55), 351. https://doi.org/10.21902/revistajur.2316-753x.v2i55.3399

Souza, M. C. R. F., Campos, R. B. F., Santos, T. M., Enes, E. N. S., Souza, M. C. R. F. de, Campos, R. B. F., Santos, T. M., & Enes, E. N. S. (2020). Aprendizagens Ambientais De Estudantes Sobre O Rio Doce: Relações E Sentidos. Cadernos de Pesquisa, 50(175), 160–184. https://doi.org/https://doi.org/10.1590/198053146822

Teixeira, R. O. S. (2018). A lama e suas marcas: neoextrativismo e seus efeitos em um contexto de desastre. Revista Perfiles Económicos, 5, 77–103. https://doi.org/10.22370/rpe.2018.5.1237

Temponi, A. O. D., De Brito, M. G., Ferraz, M. L., Diniz, S. D. A., Silva, M. X., & Da Cunha, T. N. (2018). American tegumentary leishmaniasis: A multivariate analysis of the spatial circuits for production of cases in Minas Gerais state, Brazil, 2007 to 2011. Cadernos de Saúde Pública, 34(2), 1–14. https://doi.org/10.1590/0102-311x00165716

Viegas, F. B., Wattenberg, M., & Feinberg, J. (2009). Participatory visualization with wordle. IEEE Trans. Vis. & Comp. Graphics, 15(6). doi: 10.1109/TVCG.2009.171.

Vieira, D. R., & Silva, M. Z. e. (2019). Discursos e assimetrias na reparação dos danos decorrentes do desastre da barragem da Samarco. Revista Psicologia Política, 19, 62–83.

Vormittag, E. da M. P. A. de A., de Oliveira, M. A., & Gleriano, J. S. (2018). Health evaluation of the barra longa population affected by the disaster in Mariana County. Ambiente e Sociedade, 21. https://doi.org/10.1590/1809-4422asoc0122r2vu18l1ao

Zhouri, A. (2019). Violência, Memória E Novas Gramáticas Da Resistência: O Desastre Da Samarco No Rio Doce. Revista Pós Ciências Sociais, 16(32), 51–68.

Zhouri, A., Oliveira, R., Zucarelli, M., & Vasconcelos, M. (2017). The Rio Doce Mining Disaster in Brazil: Between Policies of Reparation and the Politics of Affectations. Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, 14(2), 1–21. https://doi.org/10.1590/1809-43412017v14n2p081

Arquivos adicionais

Publicado

2021-04-05

Como Citar

Gomes, V. A. P., Jankowsky, M. ., Carvalho, R. M. de ., & Freitas, R. R. de . (2021). ASPECTOS SOCIAIS, PRÉ E PÓS ROMPIMENTO DA BARRAGEM DE FUNDÃO, NA BACIA DO RIO DOCE, BRASIL : SOCIAL ASPECTS, PRE AND POST-BREAKDOWN OF THE FUNDÃO DAM, IN THE RIO DOCE BASIN, BRAZIL . Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 6(8), 41–62. https://doi.org/10.47456/bjpe.v6i8.33948