Estudos da Tradução e Interpretação de Línguas de Sinais em publicações internacionais

métodos de pesquisa em destaque

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/cl.v15i32.35730

Palavras-chave:

Interpretação de língua de sinais, Interpretação educacional, Estudo bibliométrico

Resumo

O presente trabalho analisa os métodos utilizados em pesquisas sobre a Interpretação Educacional em Língua de Sinais, no período de 1990 a 2020 (três décadas), com base em publicações de periódicos científicos internacionais que divulgam a produção ligada aos Estudos da Tradução e Estudos da Interpretação, Estudos sobre Educação de Surdos e Linguística das línguas de sinais. Adotou-se como metodologia de pesquisa a análise bibliométrica e, a partir dela, apresentamos os resultados considerando os métodos de pesquisas utilizados em 38 artigos que discutem a interpretação educacional. Constatamos uma diferença significativa no volume de publicações a depender do periódico. Predominam as investigações sobre o intérprete educacional em revistas do campo da Educação, impactando consideravelmente nos modos de fazer a pesquisa. Se identifica o emprego de um amplo leque de aparatos teórico-metodológicos, sobressaindo o método do estudo de caso, associado a instrumentos de coleta de dados, como as entrevistas, observação e questionários. O uso de recursos tecnológicos para registro dos dados se destacou. Há escassez de detalhamento por parte dos pesquisadores em descrever o percurso metodológico empreendido em suas pesquisas, o que inviabiliza a ampla divulgação científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neiva de Aquino Albres, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutora em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), mestra em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). É professora do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução e do curso de Letras Libras da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Membro do Grupo de Pesquisa em Interpretação e Tradução de Línguas de Sinais (InterTrads).

Mairla Pereira Pires Costa, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Mestra em Estudos da Tradução pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde atualmente cursa Doutorado. É bolsista CAPES Excelência. Membro do Grupo de Pesquisa em Interpretação e Tradução de Línguas de Sinais (InterTrads).

Referências

AGUIAR-DOS-SANTOS, S. Tradução/Interpretação de língua de sinais no Brasil: uma análise das teses e dissertações de 1990 a 2010, 2013. 313 f. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução) – Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/122677. Acesso em: 10 abr. 2021.

ALBRES, N. A. As novas tendências metodológicas nos estudos da tradução/interpretação entre o par Português/Libras. In: QUADROS, R. M.; WEININGER, M. J. (Orgs.). Estudos da Língua Brasileira de Sinais. v. 3. Florianópolis: Insular, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/178906. Acesso em: 30 nov. 2020.

ALBRES, N. A.; LACERDA, C. B. F. de. Interpretação educacional como campo de pesquisa: estudo bibliométrico de publicações internacionais e suas marcas no campo nacional. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 1, n. 31, p. 179-204, abr. 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2013v1n31p179. Acesso em: 07 maio 2020.

ALVES, D. S.; VASCONCELLOS, M. L. Metodologias de pesquisa em Estudos da Tradução: uma análise bibliométrica de teses e dissertações produzidas no Brasil entre 2006-2010. D.E.L.T.A, São Paulo, n. 32.2, p. 375- 404, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/delta/v32n2/1678-460X-delta-32-02-00375.pdf. Acesso em: 30

nov. 2020.

AMORIM, M. Vozes e silêncio no texto de pesquisa em Ciências Humanas. Cadernos de Pesquisa, n. 116, p. 7-19, jul. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/n116/14396.pdf. Acesso em: 05 maio 2020.

AMORIM, M. O pesquisador e seu outro: Bakhtin e Ciências Humanas. São Paulo: Editora Musa, 2004.

BAKER, M. (Ed.). Routledge Encyclopedia of Translation Studies. Londres, Routledge, 1998.

BAKHTIN, M. Para uma filosofia do ato responsável. Trad. Valdemir Miotello e Carlos Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

BEUREN, I. M.; SOUZA, J. C. Em busca de um delineamento de proposta para classificação dos periódicos internacionais de contabilidade para o Qualis CAPES. Rev. Contab. Finanç., v. 19, n. 46, p. 44-58, 2008.

BOURDIEU, P. O campo científico. In: ORTIZ, R. (Org.). Pierre Bourdieu: Sociologia. São Paulo: Ática, 1983. p. 122-155.

BOURDIEU, P. Método científico e hierarquia social dos objetos. In: NOGUEIRA, M. A; CATANI, A. Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 33-38.

CHESTERMAN, A. The Name and Nature of Translation Studies. Hermes – Journal of Language and Communication Studies, n. 42, p. 13-22, 2009. Disponível em: https://tidsskrift.dk/her/article/view/96844/145601. Acesso em: 10 maio 2020.

FREITAS, M. T. A. A abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cadernos de Pesquisa, n. 116, p. 21-39, jul. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/n116/14397.pdf. Acesso em: 10 maio 2020.

GARCEZ, A.; DUARTE, R.; EISENBERG, Z. Produção e análise de videogravações em pesquisas qualitativas. Educ. Pesqui., v. 37, n. 2, p. 249-261, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v37n2/v37n2a03.pdf. Acesso em: 10 mar. 2020.

GATTI, B. Algumas considerações sobre procedimentos metodológicos nas pesquisas educacionais. EccoS, v. 1, n. 1, p. 63-80, 1999. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/155/167. Acesso em: 10 mar. 2020.

GESSNER, A. V. P. Intérprete educacional de língua de sinais para surdos: publicações internacionais em foco – 2010 a 2015. In: ALBRES, N. A. (Org.). Libras e sua tradução em pesquisa: interfaces, reflexões e metodologias. Florianópolis: Biblioteca Universitária UFSC, 2017. p. 38-67. Disponível em: http://libras.ufsc.br/wp-content/uploads/2017/03/ALBRES-2017-Ebook_Libras-e-sua-tradu%C3%A7%C3%A3o-em-pesquisa.pdf. Acesso em: 20 fev. 2020.

HALE, S.; NAPIER, J. Interpreting research methods: A practical resource. London: Bloomsbury. 2013.

HOLMES, J. The Name and Nature of Translation Studies. In: Translated! HOLMES, J. (Ed.). Papers on Literary Translation & Translation Studies. Amsterdam: Rodopi, 1988. p. 67-80.

PAGANO, A. As pesquisas historiográficas em tradução. In: PAGANO, A. (Org.). Metodologias de Pesquisa em Tradução. Belo Horizonte: UFMG, 2002. p. 117-146.

PAGANO, A.; VASCONCELLOS, M. L. Estudos da tradução no Brasil: reflexões sobre teses e dissertações elaboradas por pesquisadores brasileiros nas décadas de 1980 e 1990. D.E.L.T.A., v. 19, spe., p. 1-25, 2003. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/delta/v19nspe/03.pdf. Acesso em: 10 fev. 2020.

PÖCHHACKER, F. Issues in Interpreting Studies. In: Munday, J. (Ed.). The Routledge Companion to Translation Studies. London: Routledge, 2009, p. 128-140.

PÖCHHACKER, F. Introducing interpreting studies. London, UK: Routledge. 2004.

TORO, C. G. Translation Studies: An Overview. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 2, n. 20, p. 9-42, 2007. DOI: https://doi.org/10.5007/%25x.

VANDEPITTE, S. Remapping Translation Studies: Towards a Translation Studies Ontology. Meta, v. 53, n. 3, p. 569-588, 2008. DOI: https://doi.org/10.7202/019240ar.

VANTI, N. A. P. Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ci. Inf., v. 31, n. 2, p. 369-379, 2002.

WILLIAMS, J.; CHESTERMAN, A. The Map: A Beginner’s Guide to Doing Research in Translation Studies; Manchester: St. Jerome Publishing, 2002.

Downloads

Publicado

2021-12-16