PESQUISA BIBLIOGRÁFICA SOBRE IMPLEMENTAÇÃO DA AUTOMAÇÃO NA PISCICULTURA

BIBLIOGRAPHIC RESEARCH ON IMPLEMENTATION OF AUTOMATION IN PISCICULTURE

Autores

  • Matheus de Jesus Amorim Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.
  • Gabriéla Ramalho Sousa Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.
  • Marielce de Cássia Ribeiro Tosta Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo. https://orcid.org/0000-0001-6037-4088

DOI:

https://doi.org/10.47456/bjpe.v6i8.34578

Palavras-chave:

Piscicultor; Produtividade; Qualidade; Automação.

Resumo

O uso das tecnologias de automação, podem melhorar a produção da aquicultura, de modo a favorecer a produtividade e qualidade do produto. O futuro deste comércio depende, principalmente, de como a indústria conduzirá o processo de automação de sua produção. Isto posto, objetivou-se neste estudo analisar o aumento da produtividade advinda com o uso da automação na alimentação e monitoramento da qualidade da água, além de descrever os projetos realizados com esta finalidade e as empresas que prestam tais serviços. Para isso, foi realizada revisão bibliográfica para levantar informações sobre os protótipos e, além disso, foi efetuado o contato com algumas empresas que fornecem o serviço de automação por completo ou parcialmente. Como resultado, foi possível notar que existem várias possibilidades de implementação da automação na piscicultura, variando os custos de implementação desde baixo a alto e conforme necessidade do piscicultor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus de Jesus Amorim, Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.

Graduando em Engenharia de Produção, Centro Universitário Norte do Espirito Santo - CEUNES/UFES.

Gabriéla Ramalho Sousa, Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.

Graduanda em Engenharia de Produção, Centro Universitário Norte do Espirito Santo - CEUNES/UFES

Marielce de Cássia Ribeiro Tosta, Universidade Federal do Espírito Santo, CEUNES - Centro Universitário Norte do Espírito Santo.

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Viçosa (2001), mestrado (2003) e doutorado (2007) em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa. Atualmente é professora na graduação nos cursos de engenharia da Universidade Federal do Espírito Santo no campus São Mateus e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública PPGGP/UFES na linha de pesquisa de política, planejamento e governança pública com experiência em economia do setor público, custos industriais, engenharia econômica, agronegócio e sustentabilidade. É tutora do grupo PET ProdBio desde 2013.

Referências

Acqua Nativa. (2018). Monitoramento em tempo real de cargas e viveiros na piscicultura: pH, nitrogênio, oxigênio dissolvido e temperatura. Recuperado de https://www.acquanativa.com.br/aplicacoes/monitoramento-piscicultura-tempo-real.html

Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. (n.d.). Agenda brasileira para a Indústria 4.0. Recuperado de http://www.industria40.gov.br/

Agostinho, C.A. et al. (2014). Aqui o Matic: Programa para a automação do fornecimento de ração para peixes e rãs com base nas variações da temperatura da água, no oxigênio dissolvido e no ganho diário de peso estimado com base na conversão esperada. INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

Anschau, S. P. (2016). Protótipo de alimentador automático para a larvicultura da tilápia (Oreochromis niloticus)(Dissertação de mestrado). Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, PR, Brasil.

Arduino. (2021). O que é Arduino? Recuperado de https://www.arduino.cc/en/Guide/Introduction

Argentim, D. (2016). Automação do manejo alimentar de bijupirá (Rachycentron canadum) (Dissertação de doutorado). Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP, Brasil.

Beck, J.C., Silva, I.N., Guerra, K., & Messias, D.E. (2006). Automação e controle de tanque para Piscicultura. Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo, RS, Brasil.

Brettel, M., Friederichsen, N., Keller, M., & Rosenberg, M. (2014). How Virtualization, Decentralization and Network Building Change the Manufacturing Landscape: An Industry 4.0 Perspective. International Scholarly and Scientific Research & Innovation, London, 8(1), 37-44.

Brito, J. M., Pontes, T. C., Tsujii, K. M., Araújo, F. E., & Ricther, B. L. (2017). Automação na tilapicultura: revisão de literatura, desempenho, piscicultura, tecnologias, tilápias. Nutritime, 14 (3), 5053-5062.

Calil, B.M. (2005). Automação de Piscicultura em Tanques Artificiais (Dissertação de mestrado). Universidade de Taubaté, Taubaté, SP, Brasil.

Canton, R., Weingartner, M., Fracalossi, D.M., & Zaniboni, E., Filho. (2007). Influência da frequência alimentar no desempenho de juvenis de jundiá. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, 36 (4), 749-753.

Castro, C.S., Ribeiro, R.R., Agostinho, L.M., Santos, A.A.D., Carmelin, C.A., Jr., Chan, R.V., ... & Agostinho, C.A. (2014). Polyculture of frogs and tilapia in cages with high feeding frequency. Aquacultural Engineering, Amsterdam, 61, 43-48.

Cyrino, J.E.P., Bicudo, Á.J.D.A., Sado, R.Y., Borghesi, R., & Dairik, J.K. (2010). A Piscicultura e o ambiente – o uso de alimentos ambientalmente corretos em piscicultura. Revista Brasileira de Zootecnia, São Paulo, 39, 68-87.

Danoesastro, M.; Freeland, G.; & Reichert, T. (2017). A CEO's guide to leading digital transformation. BCG - Perspectives, Boston, 1-4.

Cubitt, K.F., Williams, H.T., Rowsell, D., McFarlane, W.J., Gosine, R.G., Butterworth, K.G. & McKinley, R.S. (2008). Development of an intelligent reasoning system to distinguish hunger states in Rainbow trout (Oncorhynchus mykiss). Computers and Electronics in Agriculture, Amsterdam, 62(1), 29-34.

Fleury, A.C.C. (1978). Organização do trabalho industrial: um confronto entre teoria e realidade (Dissertação de doutorado). Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Hossain, M.A.R., Haylor, G.S., & Beveridge, M.C.M. (2001). Effect of feeding time and frequency on the growth and feed utilization of African catfish Clarias gariepinus (Burchell, 1822) fingerlings. Aquaculture Research, Chichester, 32, 999-1004.

Kubitza, F. (2019). Alimentação automatizada na aquicultura: ganhos em eficiência e redução de custos. Panorama da aquicultura, 29(171), 20-21.

Lekang, O. (2009). Aquaculture engineering. Blackwell Publishing Ltd.

Longo, W.P. (1984). Tecnologia e soberania nacional. Nobel.

Maciente, A.N.; Rauen, C. V.; & Kubota, L. C. (2019). Tecnologias digitais, habilidades ocupacionais e emprego formal no Brasil entre 2003 e 2017. Mercado de Trabalho: conjuntura e análise, 66, 115-129.

Matos, J.S. (2018). A Indústria 4.0 na economia brasileira: Seus benefícios, impactos e desafios (Trabalho de monografia). Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil.

Mercado Livre. (n.d.) Arduino uno. Recuperado de https://lista.mercadolivre.com.br/arduino-uno

Mercado Livre. (n.d.). Controladores lógicos programáveis. Recuperado de https://lista.mercadolivre.com.br/controladores-logicos-programaveis

Mercado Livre. (n.d.) Microprocessador atmel modelo atmega8. Recuperado de https://lista.mercadolivre.com.br/microprocessador-atmel-modelo-atmega8

Nääs, I.A. (2011). Uso de técnicas de precisão na produção animal. Revista Brasileira de Zootecnia, 40, 358-364.

Nwanna, L.C., Lemme, A., Metwally, A., & Schwarz, F.J. (2012). Response of common carp (Cyprinus carpio L.) to supplemental DLmethionine and different feeding strategies. Aquaculture, 356, 365-370.

Ostrensky, A., & Boeger, V. (1998). Piscicultura: Fundamentos e Técnicas de Manejo. Guaíba: Agropecuária.

Schulter, E.P.; & Vieira, J.E.R., Filho. (2017). Evolução da piscicultura no brasil: diagnóstico e desenvolvimento da cadeia produtiva de tilápia [Texto para discussão, N° 2328]. Rio de Janeiro, RJ: IPEA.

Schwab, K. (2017). The fourth industrial revolution. New York: Crown Business.

Sigma Sensores. (s.d.). Estações para Piscicultura com Telemetria de Dados. Recuperado de https://sigmasensors.com.br/estacao-piscicultura

Siqueira, T.V. (2018). Aquicultura: a nova fronteira para produção de alimentos de forma sustentável. Revista do BNDES, 25(49), 119-170.

Sousa, R.M.R., Agostinho, C.A., Oliveira, F.A., Argentim, D., Novelli, P.K., & Agostinho, S.M. M. (2012). Productive performance of Nile tilapia (Oreochromis niloticus) fed at different frequencies and periods with automatic dispenser. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, Belo Horizonte, 64 (1), 192-197.

Suzuki, M.A.A., Hernandez, F.B.T. (1999). Automação de sistemas de irrigação. Ilha Solteira: Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira – UNESP.

TatilFish. (s.d.). A TATILFish auxilia o produtor a obter Sucesso na Piscicultura. Recuperado de https://www.tatilfish.com.br/

Trabachini, A. (2013). Sistema automatizado de alimentação automatizada para suínos visando aplicação em rastreabilidade animal. (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP, Brasil.

Zaccharias, R.L., & Rocha, R.V. (2016). Automação dos processos de produção e controle para aumento de produtividade e redução de desperdícios na piscicultura. Revista Eletrônica Competências Digitais para Agricultura Familiar, 2(2), 52-67.

Zion, B. (2012). The use of computer vision technologies in aquaculture – A review. Computers and Electronics in Agriculture, 88, 125-132.

Publicado

2021-05-25

Como Citar

Amorim, M. de J., Sousa, G. R., & Tosta, M. de C. R. (2021). PESQUISA BIBLIOGRÁFICA SOBRE IMPLEMENTAÇÃO DA AUTOMAÇÃO NA PISCICULTURA: BIBLIOGRAPHIC RESEARCH ON IMPLEMENTATION OF AUTOMATION IN PISCICULTURE. Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE, 6(8), 85–96. https://doi.org/10.47456/bjpe.v6i8.34578