O movimento nacionalista modernista dos anos 1920 e a atuação de Villa-Lobos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/e-20243501

Palavras-chave:

Villa-Lobos, música, modernismo, nacionalismo

Resumo

Partindo-se de sua inserção no movimento modernista brasileiro dos anos 1920 – ao lado de nomes como os dos literatos Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Graça Aranha –, são discutidas e analisadas algumas das obras mais audaciosas do músico brasileiro Heitor Villa-Lobos, de um ponto de vista composicional, com particular atenção para os últimos choros (os choros sinfônicos) da sua célebre série composicional Choros, além de outras obras, como o Noneto. O objetivo central é mostrar o caráter radicalmente inovador dessa fase da escrita musical villa-lobiana, o que faz desse compositor brasileiro o maior representante da vanguarda musical nos meios artísticos brasileiros do período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José D'Assunção Barros, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Professor-Associado da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Professor-Permanente do Programa de Pós-Graduação em História Comparada da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense.

Referências

ANDRADE, Mário de. Ensaio sobre a Música Brasileira. São Paulo: Livraria Martins, 1972.

ANDRADE, Mário de. Aspectos da Música Brasileira. São Paulo: Livraria Martins, 1973.

ANDRADE, Mário de. De Paulicéia Desvairada a Café (Poesias Completas). São Paulo: Círculo do Livro, 1986.

ANDRADE, Mário de. Macunaíma. Belo Horizonte: Itatiaia, 1986.

ANDRADE, Oswald de. Manifesto da Poesia Pau Brasil. Correio da Manhã, 18 de março de 1924 [Porto Alegre: UFRGS, 2007. Disponível em: < http:/ /www.ufrgs.br/cdrom/oandrade/oandrade.pdf >. Acesso em: 06 jan. 2012].

ANDRADE, Oswald de. “O manifesto antropófago” In: TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda européia e modernismo brasileiro: apresentação e crítica dos principais manifestos vanguardistas. Petrópolis: Vozes, 1976 [original: 1928].

ANDRADE, Oswald de. Memórias sentimentais de João Miramar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971.

ANDRADE, Oswald de. Serafim Ponte Grande. Rio de Janeiro: Editora Globo, 2006.

ARANHA, Graça. A Emoção Estética na Arte Moderna – conferência de Abertura da Semana de Arte Moderna. 13 de fevereiro de 1922.

ARANHA, Graça. Obra completa. Rio de Janeiro: MEC/INL, 1968.

KATER, Carlos. Música Viva e Koellreutter. São Paulo: Musa / Atravez, 2001.

Lery, Jean. Viagem à Terra do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.

NEVES, José Maria. Villa-Lobos, o Choro e os Choros. São Paulo: Musicália, 1977.

NÓBREGA, Adhemar. Os Choros de Villa-Lobos, Rio de Janeiro: Museu Villa-Lobos, 1973.

ROQUETE PINTO. Rondônia, São Paulo: CEN, 1935.

VILLA-LOBOS, H. Presença de Villa-Lobos. Rio de Janeiro: MEC / Museu Villa-Lobos, 2ْ volume, 1966.

WISNIK, Miguel. “Getúlio da Paixão Cearense (Villa-Lobos e o Estado Novo)” In: WISNIK, J. M e E. SQUEFF. O nacional e o popular na cultura brasileira, São Paulo: Brasiliense, 1982, p.165-174).

Downloads

Publicado

19-02-2024

Como Citar

BARROS, José D’Assunção. O movimento nacionalista modernista dos anos 1920 e a atuação de Villa-Lobos. Revista Ágora, Vitória/ES, v. 35, p. e-20243501, 2024. DOI: 10.47456/e-20243501. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/agora/article/view/42088. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Modernismos no Brasil ao longo do século XX