EVOLUÇÃO DAS FLORESTAS PLANTADAS ENTRE 1986 E 2017: O CASO BRASILEIRO DE PEÇANHA, MINAS GERAIS

THE EVOLUTION OF PLANTED FORESTS FROM 1986 TO 2017: THE BRAZILIAN CASE OF PEÇANHA, MINAS GERAIS

Autores

  • Rodney Alves Barbosa Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG-SJE), Brasil
  • Gustavo Bastos Braga Universidade Federal de Viçosa (UFV), Brasil
  • Sebastião Renato Valverde Universidade Federal de Viçosa (UFV), Brasil
  • Katia de Fatima Vilela Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG-SJE), Brasil
  • Camila Savastano de Queiroz Capra Especialista em Sistemas Vivos, CAPRA, Brasil
  • Patrícia Barbosa de Souza Universidade Federal de Viçosa (UFV), Brasil
  • Wellington Gonçalves Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil

Palavras-chave:

Rural producers, Cellulose industry, Forest fomenting

Resumo

The massif forest market has been gaining prominence in Brazil, due to its participation in the economy. In Brazil, Minas Gerais State represents the largest planted forest area in the country and Peçanha municipality stands out for its wood production as well as for the insertion of its rural producers in the cellulose industry productive chain. This research aimed at mapping the evolutions of the planted forests in Peçanha, MG, from 1986 to 2017, presenting the forests planted by the private companies as well as the ones planted by the rural producers, integrated or not to the cellulose industry. The methodology of the research assumes an exploratory and a documental character, meaning a study case in which primary data were used obtained through interviews, and secondary data about the forest sector of the municipality, such as maps of the soil use and occupation, obtained from the MapBiomas Project of the IBGE and reports made by the cellulose industry. The results showed that there was an increase in the planted forest area and a decrease of grazing and agricultural areas, as well as an increase in wood production for cellulose industry and for the vegetal charcoal production, destined to the steelwork sector. It was concluded that the rural producer has been expanding the forestry areas, mainly over grazing and agricultural areas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodney Alves Barbosa, Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG-SJE), Brasil

Doutorando em Extensão Rural na Universidade Federal de Viçosa (UFV), Mestre em Engenharia de Produção (2002) pela Universidade Federal de Santa Catarina, Licenciado em Matemática (1999) pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras do Alto São Francisco (FASF). Especializações em: Informática na Educação (2000), Gerenciamento de Micros e Pequenas Empresas (2001). Atualmente é Professor Efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), campus São João Evangelista. Atua nas áreas de matemática, educação matemática, engenharia de produção, extensão rural. Seu interesse atual de pesquisa é nos temas: silvicultura e fomento florestal.

Gustavo Bastos Braga, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Brasil

Doutor em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa, Brasil (2015), Mestre em Administração pela Universidade Federal de Viçosa (2013), Pós graduado em Administração Estratégica pela Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde (2009), Extensão em EAD Docência pela Fundação Getúlio Vargas (2009) e MBA em Logística pela Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde (2010) e graduado em Administração pela Universidade Presidente Antônio Carlos (2008). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Viçosa, Brasil.

Sebastião Renato Valverde, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Brasil

Doutor (1999) e Mestre (1994) em Ciência Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), graduado em Engenharia Florestal (1987) também pela Universidade Federal de Viçosa. Atualmente é professor titular do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Política e Legislação Florestal, atuando principalmente nos seguintes temas: economia florestal, política e legislação florestal, mercado e gestão florestal

Katia de Fatima Vilela, Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG-SJE), Brasil

Doutoranda em Extensão Rural na Universidade Federal de Viçosa (UFV), Mestre em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Regional pela Faculdade Vale do Cricaré (FVC), Graduada em Administração e Tecnóloga em Gestão de Recursos Humanos pela Faculdade do Sul da Bahia (FASB) e Especialista em Gestão de Pessoas. Tem experiência nas áreas de Logística, Administração de Recursos humanos, Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais, Contabilidade tributária, Empreendedorismo e Plano de Negócios, Prática Contábil I e II, Administração Financeira, Sistemas de Informação Gerencial, Noções de Economia, Administração de Projetos e EAD. Atualmente é Professora Efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - IFMG, Campus São João Evangelista.  Seu interesse atual de pesquisa é nos temas: políticas públicas, redes e  programa nacional de alimentação escolar (PNAE)

Camila Savastano de Queiroz, Capra Especialista em Sistemas Vivos, CAPRA, Brasil

Mestre em Restauração e Conservação de Ecossistemas pela Universidade Federal de Lavras (2018), Graduada em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (2004). Com experiência na área de Gestão Ambiental, Política Florestal, Saúde e Segurança do Trabalho, Qualidade, Meio Ambiente, Auditoria e Mineração. Atualmente é Pesquisadora Convidada do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa e sócia-proprietária da CAPRA

Patrícia Barbosa de Souza, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Brasil

Graduanda em Agronegócio pela Universidade Federal de Viçosa. Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica desde o ano de 2018, desenvolvendo pesquisas no âmbito do Programa Federal de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural. Em 2019 foi estagiária da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) auxiliando nas áreas de pesquisas de adubação nitrogenada e sistemas de cultivos de plantas de cobertura para semeadura direta do algodão e análise econômica de sistemas de produção de grãos e fibras no cerrado além do acompanhamento da classificação do algodão por HVI e H2SD no Estado de Goiás e Bahia. Nos últimos anos tem gerenciado equipes multidisciplinares na Equipe Agroplus-UFV, desenvolvendo projetos na área de sustentabilidade, em parceria com instituições públicas e privadas dos estados de Minas Gerais, Bahia e Mato Grosso

Wellington Gonçalves, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil

Trabalha com planejamento e gestão de operações na cadeia de suprimento, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento e gestão de serviços e operações logísticas, integração na cadeia de suprimento, planejamento e gestão de transportes. Seu interesse atual de pesquisa é nos temas: logística e serviços.

Referências

Aquino, S. L. (2013) Estratégias empresariais e efeitos locais: a integração de pequenos agricultores à indústria fabricante de papel e celulose. Revista IDeAS, 7(Especial), 158-97.

Basso, V. M., Jacovine, L. A. G., Griffith, J. J., Nardelli, A., Alves, R. R., & Souza, A. L. (2012). Rural producer development programs in Brazil. Pesquisa Florestal Brasileira, 32(71), 321-334.

Canto, J. L., Coelho, F. M. G., Noce, R., Machado, C. C., Rezende, J. L. P., Mendes, L. M., & Oliveira, J. M. (2015). Social aspects of subsidized forest plantations in the state of Espírito Santo, Brazil. Cerne, 15(2), 123-132.

Celulose Nipo-Brasileira S. A. - CENIBRA. (2018). Plano de Manejo Florestal: resumo público 2018. Recovered in 21 march, 2018, in https://www.cenibra.com.br/wp- content/uploads/2018/04/2018PLANO-DE-MANEJO-FLORESTAL.pdf.

Celulose Nipo-Brasileira S. A. - CENIBRA (2019, 30 julho). Coordenação de Fomento Florestal - DESIL-F. Dados do fomento da CENIBRA. [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por: .

Cordeiro, S. A., Silva, M. L., Jacovine, L. A. G., Valverde, S. R., Rocha, J. L., & Soares, N. S. (2009). Desempenho do fomento do órgão florestal de Minas Gerais. Cerne, 15(3), 273-281.

Cordeiro, S. A., Silva, M. L., Jacovine, L. A. G., Valverde, S. R., & Soares, N. S. (2010). Contribution of the public promotion of a forest of Minas Gerais in returns and risk reduction for rural producers. Revista Árvore, 34(2), 367-376.

Erthal, R. (2006). Os complexos agroindustriais no Brasil: seu papel na economia e na organização do espaço. Revista geo-paisagem, 5(9).

Espíndola, C. J. (2008, abril). A cadeia produtiva de frango de corte na América do Sul: considerações preliminares. Anais do 12o Encontro de Geógrafos da América Latina, Montevidéu, Uruguai, 3.

Farina, E. M. M. Q. (1999). Competitiveness and agribusiness systems coordination: a conceptual essay. Gestão & Produção, 6(3), 147-61.

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional. Brazilian Journal of Production Engineering, São Mateus, Editora UFES/CEUNES/DETEC.

- 84 -

Citação (APA): Barbosa, R. A., Braga, G. B., Valverde, S. R., Vilela, K. F. V., Queiroz, C. S., Souza, P. B., & Gonçalves, W. (2020). The evolution of planted forests from 1986 to 2017: the brazilian case of Peçanha, Minas Gerais. Brazilian Journal of Production Engineering, 6(4), Edição Especial “Tecnologia & Inovação na Agricultura”, 72-84.

Fischer, A. (2009). The Furtherance in Forest Based Industry. Informe GEPEC, 13(2), 6-19.

Gonçalves, J. L. M., Ferraz, A. V., Rocha, J. H. T., Peressin, M., & Alvares, C. A. (2020). Forest outgrower schemes in small and medium-sized farmers in Brazil. Forest Ecology and Management, 456, 117654.

Graça, C. T., Reydon, B. P., Postal, A. M., Bueno, A. P. S., & Moreira, G. L. (2017). Governança de terras: da teoria à realidade brasileira (Cap. 14, 339-368). Brasília: Food and Agriculture Organization - FAO/ Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário - SEAD.

Hilgemberg, E. M., & Bacha, C. J. C. (2001). A evolução da indústria brasileira de celulose e sua atuação no mercado mundial. Análise Econômica, 19(36), 145-164.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2017). Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura (SIDRA/Tabela 5930). Recovered in 22 october, 2018, in https://sidra.ibge.gov.br/tabela/5930.

Instituto Estadual de Florestas - IEF. (2018). Fomento florestal. Recovered in 9 november, 2018, in http://www.ief.mg.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=58&Itemid=236.

Juvenal, T. L., & Mattos, R. L. G. (2002). O setor florestal no Brasil e a importância do reflorestamento. Recovered in 9 july, 2019, in https://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhe cimento/bnset/set1601.pdf.

Mengel, A. A., Aquino, S. L. (2011, novembro). Productive Integration in Family Farming: a debate on development prospects. Anais do I Circuito de Debates Acadêmicos, Brasília, DF, Brasil, 118.

Oliveira, P. R. S., Valverde, S. R., Coelho, F. M. G. (2006). Aspects of economic relevance in the forest promotion from the perception of the involved farmers. Revista Árvore, 30(4), 593- 601.

Paulilo, M. I. S. (1990). Produtor e agroindústria: consensos e dissensos: O caso de Santa Catarina. Florianópolis: Editora da UFSC e Secretaria de Estado da Cultura e do Esporte.

Projeto de Mapeamento Anual da Cobertura e Uso do Solo no Brasil - MapBiomas. (2019). Coleção v.3.1 da Série Anual de Mapas de Cobertura e Uso de Solo do Brasil. Recovered in 2 july, 2019, in http://mapbiomas.org/map#coverage.

Schmidt, V. D. B. (2003). Agricultura e Espaço Rural em Santa Catarina. Florianópolis: Editora da UFSC.

Silva, M. M. (2003). A fumicultura em Santa Catarina: discutindo a rentabilidade à luz das implicações sociais e econômicas. Agricultura e Espaço Rural em Santa Catarina. Florianópolis: Editora da UFSC, 99-123.

Soares, N. S., Valverde, S. R., Silva, M. L., Jacovine, L. A. G., Silva, A. G. Jr., & Lirio, V. S. (2007). Decisive of success and failure of a future contract of reforestation wood in Brazil. Scientia Forestalis, 35(76), 91-102.

Publicado

22.07.2020

Como Citar

Barbosa, R. A. ., Braga, G. B. ., Valverde, S. R. ., Vilela, K. de F. ., Queiroz, C. S. de ., Souza, P. B. de ., & Gonçalves, W. (2020). EVOLUÇÃO DAS FLORESTAS PLANTADAS ENTRE 1986 E 2017: O CASO BRASILEIRO DE PEÇANHA, MINAS GERAIS: THE EVOLUTION OF PLANTED FORESTS FROM 1986 TO 2017: THE BRAZILIAN CASE OF PEÇANHA, MINAS GERAIS. Brazilian Journal of Production Engineering, 6(4), 72–84. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/bjpe/article/view/30030

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>